sábado, 27 de julho de 2013

Ultimato aos Oficiais Generais

por Pedro A. Marangoni
Senhores Oficiais Generais: não adianta bater na mesa de suas casas ou nos clubes. Isto tem que ser feito oficialmente nas instalações militares, com a presença dos três patetas senis, fantoches políticos que entrarão na História Militar como os inimigos que mais causaram danos às nossas fileiras.
Eles têm que sair, simplesmente usem o regulamento e os retirem das cadeiras que ocupam irregularmente;
- Que os de direito ocupem as vagas e que a fila ande, que cesse o triste empurrar onde carreiras estão sendo cisalhadas e ingloriamente acabando antes do prêmio merecido.
Sanado esse vergonhoso atentado à História Militar, que se ponha a casa em ordem e:
- Exijam um Ministro da Defesa verdadeiramente comprometido com a defesa da Nação, patriota e que seja preliminarmente aceito pelo oficialato;
- Que se faça uma devassa no ensino militar nas Academias e se expurgue as tentativas em curso de reescrever, deturpar, criar heróis e bandidos de acordo com a política vigente e não com a verdade e minando a formação das elites militares;
- Que se iniciem operações de guerra para aplastar, capturar e expulsar as FARC de dentro de nossas fronteiras;
- Que se invada e arrasem todos os campos de treinamento guerrilheiro dos mais diversos grupos nacionais e estrangeiros incentivados, mantidos e tolerados pelo atual governo, independente dos nomes de “movimentos sociais”, tipo MST e outros;
- Que se cacem todos os estrangeiros ilegalmente admitidos no país vindo de ditaduras marxistas,nomeadamente Cuba e Venezuela e que se apurem responsabilidades de traição à Pátria;
- Que se regule o crescimento de efetivos da Força Nacional e a mantenha sob controle do Exército.
Isso feito, às claras, plenamente de acordo com a Constituição Brasileira que assim exige das Forças Armadas e portando irrefreável, reprimindo de imediato e em força qualquer tentativa de inibição do processo, retomada estará a dignidade e as funções inerentes aos senhores militares. 
Sem misturar política com armas, expurgarão de vez o servilismo à figuras, partidos e postos políticos em nome de interesses espúrios e voltarão ao trabalho de Guardiões da Paz, Cavaleiros da Constituição e Guerreiros prontos ao sacrifício da própria vida, com os quais se deve ter o respeito dado à Bandeira. Assim sempre foi e assim deve voltar a ser, sob pena do descrédito e da dissolução que se avizinha.
Cumpra-se.
Pedro Alberto Marangoni, piloto militar formado pela
 Academia da Força Aérea, desligou-se da FAB e alistou-se na Legião Estrangeira.
 Deixou a Legião e engajou-se nas lutas das ex-colônias portuguesas
 na África, tendo atuado em Moçambique, e na guerra civil de Angola,
 além de ter sido instrutor de Comandos na Rodésia.
Esse pode dizer que "é o Cara"!
Fonte:  P.A.Marangoni

Nenhum comentário: