domingo, 26 de dezembro de 2010

Viva Rio afirma: Povo gaúcho tem mentalidade rural atrasada e policiais abastecem os criminosos

Desarmando os policiais
Durante os dois últimos dias houve verdadeira enxurrada de notícias sobre a “nova” campanha de desarmamento e o “novo estudo” do Viva Rio, bancado financeiramente com o dinheiro de nossos impostos, através do Ministério da Justiça.
Apresentando números verdadeiramente fantasiosos, entre eles o de armas ilegais, duas declarações nos chamaram a atenção.
A primeira é que militares, policiais e bombeiros seriam grandes fornecedores de armamento para os criminosos e isso aconteceria por que os mesmos possuem o direito de adquirir armas particulares. Falsamente chegam a afirmar que todo policial pode comprar três armas diretamente das fábricas por ano! Repetimos que isso é mentira!
Policiais civis e militares só podem adquirir UMA arma de calibre restrito diretamente da indústria e policiais federais duas.
Imediatamente o Ministro da Justiça, Paulo Barreto, que lá pelos idos de 2006, em reunião pública afirmou que haviam perdido o referendo, mas não desistiriam de desarmar a sociedade, já se prontificou a levar para a reunião com os Secretários de Segurança Pública o pedido para que os policiais sejam proibidos de adquirir armas particulares e que só possam utilizar a arma da corporação.
CLIQUE PARA AMPLIAR
Gaúcho é um povo de mentalidade rural atrasada
O Rio Grande do Sul sempre foi o estado brasileiro com o maior número de armas de fogo e também o estado com as menores taxas criminais.
Também foi o estado brasileiro com a maior votação contra o desarmamento no referendo de 2005.
Também são de lá vários deputados federais que defendem ferrenhamente o nosso direito no Congresso nacional.
Vimos nestes motivos à razão da agressividade das “viuvinhas do referendo”, em especial do Rangel Bandeira, coordenador da ONG Viva Rio, que declarou para um jornal de Piracicaba, interior de São Paulo: “Há uma cultura de glorificação da arma, fruto de uma mentalidade rural atrasada”.
Assim, este ongueiro profissional, ataca e ofende todos os gaúchos e todos aqueles que não se deixam levar por sua farsa e estão prontos para defender suas vidas, suas famílias e seu patrimônio. Ofende aqueles que disseram não ao entreguismo perante os criminosos.
COMENTO:   interessante seria saber quais os fundamentos das "análises" feitas em 340 mil armas apreendidas, que levam à conclusão da existência de 7,6 milhões de armas em situação irregular no Brasil A mentira a respeito da aquisição legal de armas por policiais e militares é uma amostra da validade desse "estudo" fajuto, pago sabe-se lá com quanta verba que seria melhor usada na repressão ao uso de telefones celulares no interior dos presídios brasileiros, para citar só um exemplo. Esse pessoalzinho ainda não digeriu a derrota sofrida em 2005, quando a maioria absoluta da população escolheu poder ter a liberdade de possuir uma arma para sua defesa, se e quando assim o desejar. O que eles querem é a completa subjugação dos "humanos direitos" (os cidadãos que cumprem seus deveres de cidadania mas não tem seus direitos respeitados) aos 'direitodusmano'.

Nenhum comentário: