terça-feira, 1 de junho de 2010

Falta Charme

Pesquisas mostram grande apoio ao governo Lula, mas que há uns 5% cuja opinião o tem como ruim ou péssimo. O jornalista petista Ricardo Kotscho questiona em seu blog, embora provavelmente sabedor que opinião não é crime aqui neste país, "quem são eles, onde vivem, o que fazem, o que pensam? Já que ninguém se atreve a investigá-los, disponho-me aqui a encontrar algumas respostas sobre o perfil deste minoritário, mas sólido contingente de brasileiros que não mudam de opinião".
Nossa! Eu sou desse grupo que não gosta do governo Lula e folgo em saber que ninguém se atreva mesmo a investigar meus pensamentos, opiniões e o que passa com meus botões sobre temas da vida privada.
Portanto, assim de pronto, caso ele leve adiante sua investigação, eu acho difícil mesmo saber quem somos nós, o que fazemos e pensamos, justo por causa desse quem somos nós. Por haver variações no grupo, facções como dizem. Há os de direita, como eu, desbocados que falam mesmo o que pensam sobre qualquer governo.
O problema é que nesse meio, nesses 5%, tem também certa comunistada que não gosta do Lula, que o chama de neo-liberal de direita, diz que os petistas não são mais comunistas, que gostam do Sarney, do Collor, do Renan, do Jader Barbalho e outras altezas da nova esquerda.
Para esclarecer o perfil dessa gente valorosa do segmento que não gosta de Lula, apontá-los, indiciá-los e até enquadrá-los, seja moralmente ou em prática criminosa, como parece almejar o Kotscho, a imprensa não me parece capaz. Acho que é coisa para uma polícia política, uma KGB, no mínimo. Ficaria melhor, eu acho que esquerda com KGB é mais chic, mais charmosa.
Fonte: Trem Azul
COMENTO: a quebra do sigilo fiscal de alguns militares (crime devidamente "abafado", diga-se de passagem, e que não mereceu repúdio nem mesmo por parte das vítimas) pode ser atribuída a essa "curiosidade" manifestada pelo jornalista petista. Da minha parte, recebi faz alguns dias um "comentário" me criticando por não exibir meu "perfil" (como se saber detalhes da minha vida tivesse alguma importância!).
A propósit
o, o jornalista Reinaldo Azevedo escreveu ontem em sua coluna: "reportagem da VEJA desta semana mostra que um grupo de petistas já havia se organizado para, recorrendo a métodos policialescos, tentar, mais uma vez, melar as eleições. Consta que Dilma mandou parar tudo. Mas ninguém foi demitido. Os que acharam que podiam recorrer a tais métodos continuam na campanha. Por quê? Para quê? Quem era o chefe da turma e de onde saía o dinheiro que a sustentava?
"
Algo me diz que a "KGB petralha" já funciona há bom tempo. E não é nem um pouquinho chic ou charmosa, me parece sim criminosa!

Nenhum comentário: