terça-feira, 12 de maio de 2009

Diferença Moral Entre Raposa Velha Catarinense e Senadora Heloisinha dos Agrestes Igual a Sete

.
por Janer Cristaldo
Há uns bons três anos, o capitão-de-mato Tarso Genro, então ministro das Relações Institucionais, comparou o comportamento político da senadora Heloísa Helena, então candidata do PSoL a presidente da República, ao do também senador Jorge Bornhausen, então presidente nacional do PFL, hoje DEM. A notícia é do jornal O Globo. Como se opunham ao ProUni, o velho bolchevique afirmou que ambos senadores representavam uma mesma posição, sendo que o senador catarinense era de direita e a senadora de Alagoas, da ultra-esquerda do país. Ele, Tarso Genro, o defensor de terroristas e mandalete de Fidel Castro, assumia a clássica posição aristotélica do in medium virtus.
O debate que está se processando sobre o ProUni demonstra uma identidade muito grande do PFL coligado com o PSDB, representado pelo senador Bornhausen, com a senadora Heloísa Helena. Heloísa Helena é radicalmente contra o ProUni e quer terminar com ele, um programa que vem favorecendo 220 mil jovens originários dos setores mais pobres da população. E o senador Bornhausen tem uma ação no STF de inconstitucionalidade, para terminar com o ProUni — disse Tarso.
A reação da senadora foi fulminante. O velho bolchevique foi chamado de moleque de recados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Perguntada se não temia chamar um ministro de empregadinho, como já fizera antes, Heloísa Helena respondeu que tem muito respeito pelos serviçais do Congresso Nacional.
Eu chamo os serviçais do Congresso Nacional de excelência. Dou beijo neles, que são meus amigos queridos. Respeito muito e tenho carinho por eles, que limpam os banheiros. Não vou bater boca com moleque de recado do presidente. Tarso que vá arranjar um trabalho para fazer e me tirar da cabeça dele porque ele está com ideia fixa com Heloisinha — disse.
Os extremos se tocam. A intuição de Tarso Genro vem agora à tona com a farra das passagens aéreas. Corrupção é vício mais forte que o tabagismo, persiste mesmo após o exercício do poder. No último desdobramento do festival de imoralidades do Congresso, descobriu-se que a cota de passagens aéreas de pelo menos 11 senadores foi usada após o término de seus respectivos mandatos. A Casa bancou nada menos que 291 vôos para ex-parlamentares, seus familiares, amigos e colaboradores entre fevereiro de 2007 e novembro de 2008. Mesmo depois de mortos, os mandatários continuaram financiando vôos. Bilhetes foram retirados após a morte de dois deles: Ramez Tebet (PMDB-MS) e Jefferson Péres (PDT-AM). Entre estes impolutos próceres estão a velha raposa catarinense, o ex-senador Bornhausen, com 13 vôos, e a ex-senadora de Pão de Açúcar, Alagoas, a Heloisinha, com seis vôos, sendo que três destes foram usados pelo filho da mãe alagoana.
Depois das vestais Pedro Simon, Fernando Gabeira e Eduardo Suplicy, o cordão dos impolutos cada vez aumenta mais. Entrou agora na roda a integérrima presidente nacional do integérrimo PSoL. Que hoje reagiu com fúria inusitada, em texto cheio de maiúsculas e caixas-altas - para enfatizar sua indignação? -, no site do partido:
Tenho a minha CONSCIÊNCIA ABSOLUTAMENTE TRANQUILA pois TUDO que foi feito durante o meu HONRADO Mandato de Senadora está TOTALMENTE de acordo com a Legalidade Institucional vigente. NUNCA fiz nenhuma Ilegalidade ou Imoralidade na minha vida Pública ou Privada. Repito NUNCA!! NÃO faço parte de nenhum dos Bandos Políticos de Alagoas e Brasília que fazem orgias, políticas e sexuais, com dinheiro público roubado. NUNCA patrocinei passagens aéreas para Marginais que viajam para articular o Propinódromo da Roubalheira do Eixo Alagoas/Brasília".
“USEI as passagens TOTALMENTE de acordo com o que estabelecia a Legislação Vigente. Repito TOTALMENTE de acordo com a Legislação vigente! SE eu gostasse de safadeza política eu teria uma Aposentadoria Parlamentar de 8 mil reais, e abri mão sem pestanejar por não reconhecer legalidade no fato. NUNCA usei o Plano de Saúde de Ex-Senadora como tenho direito exatamente por não reconhecer legalidade no fato. E para encerrar, Desafio o Jornal que deu manchete com o meu nome a publicar como foram utilizadas TODAS as passagens de TODOS os Deputados Federais e SENADORES de Alagoas".
Em verdade, ninguém está contestando a legalidade institucional vigente. Todos os senadores e deputados voadores sempre consideraram “abissolutamente” - como costuma dizer a alagoana - legal voar, não apenas sozinhos como também com seus familiares, às custas do contribuinte. Uma outra vestal do PSoL, a gaúcha Luciana Genro, por sinal filha do moleque de recados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, patrocinou passagens para o também integérrimo delegado de polícia Protógenes Queiroz. As alegres revoadas para Paris, Madri, Nova York ou Miami foram consideradas tão legais que todos os ilustres turistas e seus queridos foram anistiados pela Casa ... da Mãe Joana.
O que se questiona, em verdade, é a moralidade de tais turismos. É curioso constatar que a senadora, que nunca usou o Plano de Saúde a que tem direito exatamente por não reconhecer legalidade no fato, reconhece tranqüilamente a legalidade do uso de passagens após o término de seu mandato, inclusive para o filhinho adorado.
Mais do que imaginava o moleque de recados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, outras obscuras coincidências unem a senadora dos Agrestes à velha raposa barriga-verde. Mas há sutil diferença moral entre ambos. O ex-senador usou 13 passagens. A ex-senadora, seis. A diferença é sete.
No afã de responder às acusações que a equiparam aos demais senadores voadores, Heloisinha talvez não tenha percebido que, ao afirmar ter usado as passagens para o filho totalmente de acordo com o que estabelecia a Legislação Vigente - "Repito TOTALMENTE de acordo com a Legislação Vigente!" -, está absolvendo todos seus demais pares ou ímpares que usaram suas cotas para turismo familiar. Ou, em suas palavras, "que fazem orgias, políticas e sexuais, com dinheiro público roubado".
COMENTO: a única vantagem que os contribuintes espoliados estão tendo é a verdadeira "batalha de bugios" desenvolvida pelos imorais pegos com a boca na botija. Acusados, se defendem jogando merda nos "cumpanhêrus" como a atual vereadora alagoana, defendendo que venha a público "TODAS as passagens de TODOS os Deputados Federais e SENADORES de Alagoas". Se continuar o "aperto", mais merda ainda virá à tona! Arrependimento ou ressarcimento, nem pensar!
.

Um comentário:

WORF NETO disse...

Ótimo texto, melhor ainda o têrmo "Capitão do Mato"! Vamos divulgar esta alcunha de Herz Genro. Um forte abraço!