terça-feira, 29 de dezembro de 2009

A Lei da Resistência Cidadã

por Arlindo Montenegro
Este é um convite a todos os cidadãos brasileiros, acima de ideologias, grupismo, religião, gênero, idade, cor e preconceitos correntes. E um convite para fazer valer a presença, a força da união e para mostrar que ainda somos capazes de bravura e decisão. É um convite para decidir, contra a vontade dos políticos para afastar do Congresso, dos Governos e Legislativos Estaduais, das Prefeituras e Câmaras de Vereadores, os candidatos “ficha suja”.
O Convite é feito a blogueiros, formadores de opinião, estudantes, religiosos, professores, associações, clubes, sindicatos, todas as organizações, para listar os pretendentes a cargo público, vasculhar suas vidas, levantar a história de cada um e divulgar por todos os meios.
O objetivo é defender e restaurar a democracia de direito desfigurada e cada vez mais ameaçada: mensalões, superfaturamento de obras, propaganda mentirosa, um trilhão e cem milhões de impostos contra 70% da malha rodoviária esburacada provocando acidentes, segurança nem se fala, polícias despreparadas, judiciário e legislativos amarrados a interesses contrários ao bem de toda a nação. Tudo como se fosse natural.
Um grupo de pessoas reuniu um milhão e quinhentas mil assinaturas e deu entrada num projeto de lei para mudar os critérios de inscrição de candidatos aos postos eletivos: quem estiver pendurado em crimes, esperando o pronunciamento da justiça que tarda e falha, fica fora da disputa. Mas o corporativismo fez que o projeto fosse engavetado pelo Sr. Michel Temer. E é difícil que os senhores deputados o aprovem já que a maioria tem culpa no cartório.
Então vamos fazer valer a Lei da Resistência Cidadã. Os mais conscientes e esclarecidos devem abraçar a responsabilidade de divulgar quem é quem, mostrando como chegar junto, conhecer e poder exigir que os futuros novos legisladores correspondam à conveniência da nação, distanciando-se dos vícios das velhas raposas que tomaram o galinheiro de assalto.
O convite é para fazer faxina no governo federal, nos governos estaduais e nas Prefeituras. O convite é para exigir dos nossos futuros novos representantes um compromisso de mudança política e cultural, com programas e prazos que restaurem o orgulho e a vontade da nação. Sem personalismos e com plena liberdade para o trabalho individual e iniciativas empresariais.
A educação, a saúde e o objetivo do pleno emprego e redução de impostos e controles centralizados em Brasília são essenciais. O compromisso com uma forma de estado federativo de fato é fundamental. Hoje, governadores e prefeitos dependem de políticas centralizadas. Os biomas são ignorados. E todos ficam viajando a Brasília para passar o chapéu e mendigar verbas, dos impostos produzidos com o trabalho que se realiza nos municípios e nos estados.
Isto tem de mudar. As raposas têm de ser expulsas do galinheiro! Só a plena consciência e vontade dos brasileiros pode realizar este milagre! Principalmente nos rincões onde a maior ignorância é vitimada pela compra de votos e promessas de acabar com as secas, reduto onde se elegem os velhos coronéis e onde as ONGs estrangeiras e padres da Teologia da Libertação cativam os mais pobres com falsas promessas do reino dos céus na terra.
É preciso saber que livres para atuar com a orientação e ajuda dos governos locais que se apliquem aos problemas locais mobilizando as populações, é possível e viável fortalecer o país e sua economia com cada cidadão podendo ser dono do seu nariz, sem dever nada a qualquer político, como favor ou como esmola que reduz a vergonha na cara e a dignidade, reduz a liberdade de qualquer um.
O Brasil para os brasileiros é diferente do Brasil para usufruto de qualquer político ou qualquer partido. Quem gera os recursos econômicos - que eles têm desviado e usado a seu bel prazer em negociatas secretas - são os brasileiros que ralam, os empresários e os trabalhadores com carteira assinada, os que sem trabalho vivem de bicos, mascateando, camelôs quase na condição de escravos, suando e ralando dia e noite para sobreviver e criar os filhos.
O convite é para avivar a esperança, a fé, a consciência, o orgulho e a força organizada de um povo cristão ou de qualquer fé, na construção da verdadeira democracia de direito, responsabilidade de todos com cada um e com a terra de onde todos retiramos o de comer. Lembrando que ideologias e utopias, quaisquer que sejam, historicamente, conduzem a guerras e ditaduras. Vamos começar a respeitar a vida e agradecer a Deus, da maneira como cada grupo o concebe e venera.
O começo é escolher gente ficha limpa e trabalhar desde já para escolher, convidar, conhecer bem as pessoas e entregar, no dia do voto, cada posto de gerência da nação a gente de respeito e saber, gente com autoridade e competência. Gente como a gente, acessível e honesta.
Arlindo Montenegro é Apicultor.
Fonte: Alerta Total

Um comentário:

Partido Alfa disse...

Vou lhe dizer uma coisa, baseada nas experiências que eu conheço. Esses partidos politicos que ai estão são verdadeiras escolas para ladrões. Pegam um cara que se destaca e levam para algum cargo. Deu. É o começo da doutrinação. Os mais novos são usados como laranjas dos mais velhos, repassando parte dos desvios e assim o sistema se perpetua. Mesmo que o cara queira sair, não dá. Leia os Artigos 2º e 4º dos Estatutos do Partido Alfa (www.partidoalfa.org.br). Foram criados exatamente para barrar esse tipo de coisa, independente de quem estiver no comando das ações. Contra a corrupção é preciso jogar muito duro.