quinta-feira, 16 de abril de 2009

O "Jeito PT de Ser" no RS - II

.
-->Cafetina, petistas e empresários, armaram complô para matar líderes do PSDB e do PMDB no RS.

Você lembra, leitor, das disputas que os líderes petistas Antonio Palocci (ex-ministro da Fazenda e atual deputado federal de SP) e Rogério Buratti, travaram na disputa pelos favores da prostituta agenciada pela cafetina Jeanne Mary Corner? O caso foi um tormento, porque ao ser preso pela Polícia Federal de São Paulo, Buratti contou todo o escabroso caso e além disto dedurou todas as tramóias ribeironenses de Palocci. Palocci não renunciou por isto, mas porque violou o sigilo bancário do caseiro Francenildo Pereira.
Pois no RS, acaba de ser desvendado também um caso que envolve líderes petistas e uma cafetina, mas desta feita com um adendo que mais lembra o caso do líder petista Sombra e o ex-prefeito Celso Daniel, porque inclui a contratação de um pistoleiro para matar dois adversários políticos do PT de Estância Velha. Vera Lúcia Vanzam, principal testemunha do Caso Martinelli, o jornalista que levou cinco tiros de pistoleiros contratado por líderes locais do PT, em Estância Velha, RS, avisou esta semana que comparecerá ao julgamento dos cinco políticos e empresários que se organizaram em quadrilha para contratar o pistoleiro Alexandre Ribeiro, o Seco. Vera Vanzam viu e ouviu toda a trama, porque os eventos ocorreram na sua própria casa. Uma cafetina, Claci Campos, foi usada como chamariz para atrair outro político marcado para morrer, o vereador João Vitor Godoy, o Duduzinho.
Na entrevista que você poderá ler no jornal O Diário, Vera Vanzam contou que os atentados poderiam ter sido evitados, caso a polícia desse ouvidos a suas denúncias. Vera contou que uma denúncia formal chegou a ser rasgada na Delegacia de Polícia. O inquérito policial só andou quando foi para a órbita da delegacia regional de São Leopoldo, sendo que o processo foi para Ivoti.
Mauri Martinelli, o jornalista, que era também secretário Geral do PSDB, levou cinco tiros, mas não morreu. O vereador João Vitor Godoy, do PMDB, escapou das tocaias armadas pela cafetina, foi emboscado, mas conseguiu escapar com vida.
Saiu no dia 7, a denúncia do promotor do município de Portão, RS, Marcelo Tubino Vieira, que pediu o julgamento de dois líderes do PT, um empresário e uma cafetina do município de Estância Velha, dentro do processo instaurado na comarca de Ivoti para fazer justiça no caso dos atentados feitos contra o jornalista Mauri Martinelli e o ex-vereador Duduzinho.
O inquérito policial foi concluído há duas semanas. A lista dos acusados pela polícia e pela promotoria é liderada pelo ex-chefe de gabinete do prefeito do PT, Jayme Schneider, pelo ex-presidente do PT e atual vereador Luís Carlos Soares, pela cafetina Ana Cleci Campos e pelo empresário Jauri de Matos, fornecedor da prefeitura do PT. Os advogados de Martinelli e Duduzinho queriam incluir no rol de réus o ex-prefeito Elevir Desian, do PT.
CLIQUE AQUI para ler mais sobre o caso e também para ler a entrevista da principal testemunha de acusação, Vera Vanzam.
Fonte: Políbio Braga
COMENTO: O assunto já foi abordado aqui, em março mas, agora, lendo a reportagem do jornal O Diário, o caso fica mais claro. Deve ser destacada a "atuação" da polícia local, avisada com antecedência sobre o crime a ser cometido.

Nenhum comentário: