sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

R$ 2,34 por dia e “A Miséria Acabou”

por Neil Ferreira
Do Povo (é nóis, é nosso imposto), Para o Povo (é elis i nóis, nóis é Povo), na boca da Democracia, dus Dereito dus Mano e na manchete de DC de ontem, 5ª feira: R$ 2,34 por dia e "A Miséria Acabou".
Russa, fantasiada com o Paletózinho (Camisona ? Batinha ?) Vermelho e Presidenta da Escola de Samba Unidos do Mensalão, botou o bloco na rua em plena Quaresma, pra apresentar sua mais recente marquetagem, "A Miséria Acabou". Acredite ou vai em cana.
Tome umas e outras pra acreditar; não esqueça de uma talagada das boas para o Santo, se não o milagre mela; você sabe quem é o Santo que aprecia gordas talagadas.
Ao som de "A Miséria Acabou", o Santo lançou Russa candidata a Presidenta da Unidos do Mensalão por mais 4 anos, numa festança na quadra deles, sob emoção, choro e aplausos de todas as alas. O Santo falô e disse.
Com umas e mais outras, você entra em Alpha e acredita piamente que a miséria acabou, que o Pac desempacou, que a Fome Zero zerou e em qualquer outra patranha vinda do palanque de 2014, armado e habitado pela Russa e pelo Criador de Todas as Coisas, inclusive da mais santa corrupção de todos os tempos.
Não quero encrenca com essa turma – veja o sucedido que sucedeu com Toninho de Campinas e Celso Daniel – conte comigo fora dessa.
A Russa canta e nos espanta: "A Miséria Acabou" porque "ela agora dá" R$ 2,34 por dia para os mais miseráveis de todos os miseráveis da nossa Pátria Amada Salve Salve.
Do jeito que fala parece que a grana milionária sai da humilde bolsinha Vuiton dela, do ordenadinho dela. Presidenta ganha uma merreca, menos que Dirceu O Inocente Injustiçado e do que o João Paulo Cinquenta Contos Cunha.
Não misture a Russa Presidenta da Unidos do Mensalão com a Russa Verdadeira, da comunidade da Unidos de Vila Isabel, que é a campeã deste ano. Essa sim, mulher do povo, Russa Verdadeira porque comunista sincera que nunca precisou de verba oficial para apoiar quem quer que fosse.
Sou Beija-Flor, propriedade do Corretor Zoológico inocente das acusações dos inimigos invejosos, brimo Aniz Abrahão e posso elogiar quem me dá na telha, então elogio a Russa Verdadeira.
A outra Russa nunca será Verdadeira por ser uma lenda urbana e não uma personagem real, da pura, da legítima, da mineira e de vez em quando também da gaúcha.
Russa Verdadeira apoiou Martinho da Vila, com quem teve a Martinália, na trilha do sucesso como cantora. Vai ter que carregar esse nome, imposto quando era um bebê indefeso e não tinha como protestar.
Protestava chorando e em vez de lhe trocarem o nome, trocavam a fralda ou davam mais uma mamadeira, reafirmando o velho brocardo: "Quem não chora não mama", mesmo que esteja com dor de barriga e não queira mamar. Uzômi chora i mama pra caramba nas tetas da Viúva.
Estou fantasiado de Miserável, fantasia que grudou em mim como cascão e não sai nem com Omo. Entro na Fila da Miserabilidade pra receber meus milionários R$ 2,34 e torrá-los comprando meia média com meio pão sem manteiga ou uma talagada da purinha de cabeça de alambique. Com a fortuna de R$ 2,34 todos os dias, estou feito – dia sim, uma talagada; dia não, meia média e meio pão sem manteiga. "País feliz é país sem miséria".
Depois a grana evapora, não dá pra nada, mas dá pra falar em tudo quanto é jornal, rádio e tv que "A Miséria Acabou". Se a Globo deu, aconteceu; se a Globo deu que "A Miséria Acabou", a miséria acabô.
O Brasil virou uma imensa Bahia com alegria permanente, praia, carnaval, Trios Elétricos com combustível caro ou barato todo santo dia, com chuva ou sem chuva, com Yvete Sangalo e a Outra Baiana, que é a própria Sangalo com outro nome. Uma e Outra são a mesma pessoa.
Felizes todo santo dia, quem sabe recebam incentivos culturais da Petrobras, o verdadeiro Ministério da Cultura que dá grana pra Escola de Samba cumpanhera, filme político cumpanhero, biografia cumpanhera do cumpanhero Lula, peças cumpenheras, times de futebol cumpanheros.
Como Cultura não dá dinheiro, a Petrobras desde o tempo do cumpanhero Gabrielli tá pra lá de Marrakesh de tão quebrada, quebrando junto a cambada de otários pequenos acionistas: eu, você, ele; nós, vós, eles.
O lulo-petismo celebra 10 anos de pudê com um festão festejando a corrupção do bem, a que é praticada para a inclusão e o bem de todos nós. Eles dão risada de nós há 10 longos anos.
Os festejos são abrilhantados pelos mais que mais festejados Lula, a Russa do Paletozinho Vermelho e os Mensaleiros Heróis do Povo, condenados e sentenciados pelo STF. Nos usos e costumes deles, condenação é condecoração. Se foi condenado e sentenciado, palmas pra ele.
Umas duas semanas depois que o carnaval acabou, o carnaval vai continuáááá no país da felicidade eterna, nunca antes vista “neçepaíz”, que canta "Tudo vai bem no melhor dos mundos", de autoria do Dr. Pangloss.
Gaste com moderação os R$ 2,34 por dia da Bolsa "A Miséria Acabou".
Neil Ferreira é publicitário

Nenhum comentário: