terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

A Comissão é da Verdade?

.
Todo mundo sabe que os chefes comunistas do PCdoB colocaram na cabeça de jovens idealistas e sonhadores que havia necessidade de se criar um território livre no Brasil, para de lá começar a guerrilha rural, já fracassada em Caparaó e Registro. Mandaram os meninos e ficaram em SP e Rio tomando whisky de 12 anos, como contou um ex-comunista.
Lá se foram os jovens. Alguns morreram, outros mataram e outros estão por aí; e outros, enquanto presos, delataram os seus companheiros. Um deles chegou a ser Presidente do PT e deixou a presidência por ter assinado um cheque de grande importância “sem saber” e esteve envolvido, também, em dólar na cueca, com um seu irmão e assessores do mesmo. Não caberia à Comissão da VERDADE apurar quem lhe deu arma, dinheiro, para fazer parte da guerrilha? E se é buscar a VERDADE de onde veio tanto dólar na cueca?
É do conhecimento público que a esquerda acusa os militares de receberam ajuda dos EUA para combater o comunismo. Vamos buscar a VERDADE. Agora, é também do conhecimento público que Fidel Castro acusou Leonel Brizola de se apossar de uma importância em dólar que lhe foi enviada para financiar ações contra o governo do Brasil. E, é também, do conhecimento público que vários brasileiros foram para Cuba, China, Albânia, fazer curso de guerrilha para combaterem e matarem brasileiros, e instalar o comunismo no BRASIL. Não consta que o curso de guerrilha tivesse ensinado a plantar rosas em Xambioá. Fidel mentiu? Curso de guerrilha pode? Ajuda da China e Cuba vale, é válido e dos EUA, se houve, não pode? Vamos apurar a VERDADE dos dois lados? Querem a VERDADE? Vamos buscá-la. Aqui uma VERDADE escrita por um traidor da PÁTRIA. Se a esquerda não aceita como VERDADE temos mais um grande MENTIROSO na nossa História.
GUERRILHA: A MORTE DE ALBERTO MENDES JÚNIOR, NA VERSÃO DE LAMARCA
Texto extraído do "Manifesto da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR)", setembro de 1970. Nele, o "herói" Carlos Lamarca descreve o "julgamento" e a execução do tenente Alberto Mendes Júnior, um "repressor consciente, que odiava a classe operária".
(Antes de prosseguir, uma providência de ordem prática: certifique-se de que não irá vomitar sobre o teclado).
"Marchamos dois dias e duas noites sem dormir, o tenente não agüentava mais andar, por isso paramos (dia 10 de maio). Fizemos várias perguntas ao tenente; ele considerava a derrota como culpa dos soldados, que usavam a farda como meio de vida, que não tinham amor à farda - sobre o seu procedimento no tempo em que serviu no Presídio Tiradentes, declarou que os presos não são gente - sobre a emboscada que montara, quebrando a palavra empenhada, dizia-se traído pelos seus superiores - perguntado por que a Polícia Militar espancava operários e massacrou operários na greve de Osasco, respondeu que grevistas e desempregados são vagabundos, e não respondeu quando perguntamos sobre a miséria que tinha visto no campo, e particularmente no nordeste.
Foi julgado e condenado por ser um repressor consciente, que odiava a classe operária - por ter conduzido à luta seus subordinados que não tinham consciência do que faziam, iludidos em seus idealismos de jovens, utilizados como instrumento de opressão contra o seu próprio povo, iludindo os jovens, ensinando-os a amar a farda, quando deveriam amar o povo - por ter rompido com a palavra empenhada em presença de seus subordinados - por ter tentado denunciar a nossa posição.
A sentença de morte de um Tribunal Revolucionário deve ser cumprida por fuzilamento. No entanto, nos encontrávamos próximo ao inimigo, dentro de um cerco que pode ser executado em virtude da existência de muitas estradas na região. O tenente Mendes foi condenado a morrer à coronhadas de fuzil, e assim o foi, sendo depois enterrado. Não sofreu qualquer violência ou ameaça antes do justiçamento, nem teve as mãos amarradas."
Como o tenente não sofreu violência? Psicologicamente; o tenente não sabia que ia morrer? É ou não terrorismo e tortura?
MATAR a coronhadas não é crime bárbaro? Hediondo? Que Tribunal é este não previsto nas leis brasileiras? Os que participaram dele não deveriam se encontrar presos?
Vamos criar a COMISSÃO DA VERDADE e ouvir os dois lados. VERDADE não é só de um lado.
COMENTO: o canalha Lamarca descreveu o assassinato do Tenente Mendes de diversas formas, sempre mentindo e evitando demonstrar sua covardia e mau caratismo, infelizmente não detetados na escola de formação e início da vida militar. Ao redigir sobre seu crime, tenta manchar a memória de sua vítima acusando-a, sem chances de réplica, de não ter respeito por seus subordinados e superiores. Não houvesse o respeito por seus subordinados, o Tenente não teria se oferecido como refém em troca da liberação de seus subordinados feridos. Sendo oficial da PM de São Paulo, que "miséria que tinha visto no campo, e particularmente no nordeste"? E há quem queira fazer herói um cretino desses!!! E ainda falam em VERDADE! Bando de f.d.p.
.

Um comentário:

Partido Alfa disse...

F.d.p. não. F.d.p. são caras legais, apresentam a mãe pra qualquer um. Esses são maus carater mesmo. A promoção de lamarca é um tapa na cara de um exercito que não sabia com quem estava lidando. Militante politico é um soldado determinado a lutar até a morte e sua guerra não acaba nunca. Soldados comuns se rendem e quando a guerra acaba, ele tratam de esquecer. Militantes não. Apenas mudam de tática e voltam a carga. A prova está ai.