quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Eles se aperfeiçoam - mais um narcosubmarino encontrado

Jaime Saldarriaga, Reuters-Timbiqui
O que faria você se tivesse 4 bilhões de pesos (cerca de 4 milhões de reais)? A pergunta poderia colocar muitos a sonhar com viagens, jóias, ou compras de carros e mansões de luxo. Para um grupo de narcotraficantes colombianos teve a resposta foi direta: construir um submarino com autonomia para chegar à costa do México.
O achado na zona rural de Timbiqui (Cauca) não foi surpresa para a Armada Nacional colombiana pois segundo o Comandante da Força Nacional do Pacífico, Contra Almirante Hernando Wills Vélez, as apreensões de dezenas de semisubmergíveis (61 desde 1993) nos últimos anos já haviam alertado que os narcotraficantes logo dariam o passo seguinte: ter um submarino de verdade.
A primeira pista do que poderia estar vindo tiveram no ano passado quando as autoridades equatorianas encontraram um submarino na província de Esmeraldas.
E foi no domingo passado (13/2/2010), quando em um estuário conhecido como El Sandé, militares do Comando Conjunto do Pacífico (integrado pelo Exército, Armada e Força Aérea da Colombia) encontraram uma nave de 31,5m de comprimento, 3m de altura e 2,5m de largura.
Para comparar a evolução da tecnologia dos narcos, basta dizer que o maior semisubmergível  encontrado até então media 19,5m de comprimento.
Decepção na primeira viagem
A nave encontrada, que ao cidadão comum pode remeter aos livros de Julio Verne ou a filmes de ação, foi construída em fibra de vidro e com reforços de fibra de carbono e madeira, podendo desenvolver uma velocidade de 20 Km por hora.
Ao que parece, ela estava pronta para sair do estuário para ser carregada com até oito toneladas de cocaína e chegar até o Oceano Pacífico, rumando para o México, pois poderia viajar umas 500 milhas náuticas em dez dias. Não é descartada a possibilidade de que pudesse chegar à costa dos Estados Unidos.
"É quase circular e conta com toda tecnologia [necessária]. Navegação por GPS e telefones por satélite. Tem quatro camas para um capitão, um auxiliar, um piloto e um representante do dono da carga. Eles se revezam em turnos de navegação", explicou o Contra Almirante Wills Vélez.
Outra particularidade do submarino apreendido é a de não ser descartável como alguns dos semisubmergíveis  anteriormente encontrados. "Não se descarta que pudesse regressar ao país com armas", indicou o oficial.
Ainda que não se saiba quem são os donos, o Contra Almirante Wills Vélez afirma que deve ser uma aliança de narcotraficantes e grupos armados ilegais para financiarem uma nave com semelhante magnitude.  As inspeções a serem realizadas na "base" próxima à baia Málaga podem ajudar a desvendar esse mistério.
Assim sendo, não se pode descartar que o próximo passo a ser dado por esses grupos seja a construção de submarinos que possam ser manejados por controle remoto desde algum navio.
» Contexto
A historia data de 1993
Em 1993 se registrou a primeira apreensão de um semisumergivel por parte da Armada, na ilha de Providencia. Até ontem tinham sido apreendidos 61, alguns deles ainda em processo de fabricação. Só em 2009 foram confiscados vinte.
Fonte:  El Colombiano
Veja mais fotos do artefato clicando AQUI.  Em 2009, já havia publicado um outro texto sobre o assunto.

Nenhum comentário: