sexta-feira, 10 de julho de 2009

Comentaristas de Futebol = Inutilidade. Resposta a um Bosta Denominado Chico Lang

.
Repasso dois textos relativos a futebol, note-se no primeiro o mau hálito revanchista:
Primeiro tem o texto difamando a gauchada, depois a excelente resposta.

Gauchada esquece a bola e quer levantar títulos na força

O futebol gaúcho sempre foi conhecido pelo espírito belicoso, coisa de fronteira. Quer dizer, ou vai na bola ou no pau. No entanto, Grêmio e Internacional estão exagerando. Gremistas fizeram carnaval em Belo Horizonte. Colorados prometem outro salseiro contra o Corinthians, na próxima quarta-feira. Está na hora de a CBF meter a colher nisso e, se for o caso, tirar mando de campo desses caras, um bando de "machochos", ou seja, sem suco, insípidos, debilitados metidos a macho.
Gremistas e colorados sentiram a barra. Estão em tremenda desvantagem em relação a Cruzeiro (Libertadores) e Corinthians (Copa BR). Os 3 a 1 no Mineirão praticamente garantiram os mineiros na decisão da sul-americana. O mesmo acontecendo com o Timão, que não levou e ainda marcou dois gols.
O jeito, então, é apelar para a ignorância, criando um "clima de guerra", coisa de índio mesmo, de gente sem espírito esportivo, querendo ganhar o jogo no grito. Resultado: se eu fosse dirigente de Cruzeiro ou Corinthians levaria um pelotão de seguranças, prontos para o que der e vier nas partidas de volta em Porto Alegre.
Na época da ditadura militar, a maioria dos generais era lá do Sul. Os caras torturaram, mataram, usaram dinheiro público ao bem prazer e tudo bem. Criou-se a cultura de não ser "revanchista" com o surgimento da democracia. No entanto, crime é crime e ninguém foi punido e, pelo jeito, nunca vai ser. Muita gente daquela época já está ardendo no fogo dos infernos. Como diria a avó do psiquiatra Zé Carlos Zeppellini, "Deus escreve certo por linhas tortas".
E assim caminha a mediocridade...


DIREITO DE RESPOSTA

por Pedro Henrique Sebben
Hoje vejo que a questão que foi muito debatida nos últimos dias sobre a obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão de jornalista é algo sem muita importância, pois mesmo no tempo em que havia essa obrigatoriedade vemos jornalistas como o Sr. Chico Lang exercendo essa tão ilustre e importante profissão, e ainda por cima em uma historicamente reconhecida emissora da imprensa brasileira.
Sr. Chico Lang, lhe garanto que não é necessário nossos adversários ou qualquer outra pessoa que venha ao nosso estado estar acompanhada de um batalhão de seguranças, creio que isso seria até de um imenso prejuízo para São Paulo, pois por ser o estado mais violento do país qualquer homem da segurança que saia desse estado irá fazer uma tremenda falta.
Mas caso por algum temor ou falta de coragem isso seja preciso, lhes sugiro que no mesmo dia não seja efetuado nenhum jogo na cidade de São Paulo, pois a "civilizada" torcida paulista como já acompanhamos em outros fatos que são decorrentes todos os anos incluindo esse, tem o costume de promover algumas confusões mais generalizadas, como a que acompanhamos dias atrás no jogo entre Corinthians x Vasco pela Copa do Brasil, ou Corinthians x São Paulo e Santos x Corinthians no Campeonato Paulista, isso para ficarmos apenas no que ocorreu esse ano, e olha que coincidência, os três jogos tem a participação de um mesmo time. Enquanto isso aqui no “belicoso” Rio Grande do Sul não temos nenhum registro de violência com pessoas feridas ou mortas nesse ano, ou até mesmo no ano passado, mesmo sendo disputados sete Gre-Nais nesse período.
Prezado jornalista, não confunda garra, gana, vontade de vencer com incitação a violência, os times gaúchos sempre foram reconhecidos por seu futebol viril, guerreiro, e por sempre acreditar e buscar até o ultimo segundo, e não vai ser agora que isso vai ser alterado, e muito menos devido à opinião do senhor. Os gaúchos nunca precisaram de apoio e bajulação da imprensa do eixo para serem vencedores, nossos dois maiores clubes conquistaram tudo o que qualquer time do mundo pode almejar com somente seu esforço e superação, mesmo quando tivemos alguns obstáculos digamos “fora do comum” como ocorreu em 2005, e creio que seja isso que provoque tamanho recalque vindo de sua pessoa.
Quanto à citação de que na época da ditadura militar a maioria dos generais eram gaúchos é de uma infelicidade comparada ao tamanho de sua falta de respeito para com nosso povo, é a mesma coisa que alguém afirmar que todo o povo do Maranhão é desonesto devido ao Sarney ser daquele estado, afirmar que todo povo baiano é ladrão devido ao Daniel Dantas ter nascido naquele tão belo estado, ou então afirmar que todo jornalista paulista é um mau jornalista por o senhor ser daquele estado.
E assim caminha a inveja, prepotência e falta de respeito.

Pedro Henrique Sebben
Colorado, Gaúcho e não tem diploma de jornalista
Fonte: recebido por correio eletrônico
do meu amigo Luthero
COMENTO: Eu nunca consegui entender qual a utilidade dos tais "comentaristas esportivos". Esporte é para ser praticado ou apreciado. No momento em que precisa ser comentado, "explicado", o apreciador ou torcedor, se sujeita a ter seu raciocínio conduzido pelo "comentarista". Além do mais, nos "programas esportivos", o que se vê, em geral são fofocas sobre contratos e vida pessoal dos atores principais do futebol. É só jornalista falando mal de técnicos e jogadores que não lhe são simpáticos, ou então, incensando os que lhes proporcionam o famoso "jabá".
.

Um comentário:

WORF NETO disse...

Tuareg, por isso é que não tenho mais paciência para assistir a um jogo. Fofoqueiros e mamadores, não passam disso! Uns então, colocam teses, como se estivessem num pós-doutorado de Física Quântica!
O futebol só é bom para quêm joga e recebe os altos salários pagos até para qualquer perna de pau! E para a mídia, que faz um forrobodó por nada. Futebol é passatempo, é entretenimento. Eu particularmente não consigo entender como um ser humano se deixa envolver e fica deprimido por um bando de idiotas que não sabem nem se expressar, não o conhecem e nem querem, só visam grana e são cafonas à rigor!
Tratando-se de "seleção estrangeira" a amarelinha, é Brasil penta, Ufa! Dá nos nervos!
Sem sombra de dúvidas esta é uma pátria que só se dói quando lhe pisam a chuteira. Sociedade infantil e patética!
Um forte abraço!