domingo, 14 de novembro de 2010

Histórias Desconhecidas da 2ª Guerra Mundial

.
Muitas vezes o sentimento dos seres humanos se coloca acima da brutalidade das guerras.
Charlie Brown era piloto americano de um B-17G do 379º Bomber Group em Kimbolton, na Inglaterra.
Durante um ataque a cidade de Bremen no território alemão, em 20 Dez 1943, seu B-17, apelidado "Ye Old Pub", foi seriamente danificado, atingido pelas balas dos caças inimigos e pela artilharia antiaérea.
Com a bússola arruinada, ele voava perdido e cada vez mais para dentro da Alemanha, ao invés de estar com rumo direcionado para sua base inglesa. Após sobrevoar um aeródromo alemão, um caça Messerschmidt Me 109G foi enviado para abater este B-17. 
Quem estava no comando do caça era o alemão Franz Steigler que ao se aproximar do bombardeiro, não podia crer no que via.
Em suas palavras:
"Nunca vi um avião naquele estado. A seção traseira, leme e profundores muito avariados, os artilheiros da ré  e da cúpula superior feridos, a proa do  quadrimotor destruída e furos por toda fuselagem."
Embora tivesse o caça armado e carregado, Franz emparelhou seu Me 109 com o B-17 e olhou para o comandante Charlie Brow e viu que este estava ferido, sangrando, apavorado e lutando com os controles para manter o bombardeiro voando.
Ciente da desorientação do piloto, Franz acenou para que ele girasse 180 graus, e escoltou o avião danificado em um rumo seguro de volta para a Inglaterra. Então Charlie Brown o saudou e voltou para sua base.
Ao pousar, Franz informou ao seu comandante que havia abatido o bombardeiro sobre o mar, e nunca contou a verdade para ninguém. No "debrief", Charlie Brown e sua tripulação informaram o ocorrido, mas foram instruídos para não falar sobre o episódio com ninguém.

Após 40 anos, Charlie partiu em busca daquele piloto alemão que o salvou. Depois de longo tempo de pesquisa, ele encontrou Franz. Este nunca havia citado o fato, nem nas reuniões do pós-guerra.
Eles se encontraram nos EUA,  em 1990, numa reunião do 379º BG, com o remanescente da equipe que ainda estava viva porque Franz não disparou suas armas em 1943. Quando perguntaram a Franz por que não derrubou o B-17, ele respondeu:
"Não tive coragem de acabar com a vida daqueles homens que lutavam para viver. Voei ao lado deles por um longo tempo. Eles davam tudo de si para chegar são e salvos à sua base, e eu não ia impedi-los de viver. Simplesmente não podia atirar em um inimigo indefeso. Seria o mesmo se eu estivesse num pára-quedas."
Pesquisas mostram que o 2º Ten Charlie Brown foi viver em Seattle após o final da Guerra e Franz Stigler mudou-se para Vancouver, Canadá, em 1953.  Quando finalmente eles se encontraram, descobriram que haviam vivido separados por menos de 200 milhas por quase 50 anos.
Ambos pilotos morreram em 2008.
Nas fotos, os pilotos na época da 2ª guerra e durante o seu encontro nos EUA, com Franz Steigler à esquerda e Charlie Brown à direita.










Fonte:  tradução livre de Aviation Stories e
Valor Studios

2 comentários:

Anônimo disse...

O piloto alemão demonstrou honra e cavalheirismo que havia entre os bravos adversários naquela luta! Ainda que tardiamente dou meus parabéns ao piloto alemão. Araujo.

Peter Paper disse...

Porque em 1º de Junho de 1982 o caça britânico que danificou o Hércules argentino não fez o mesmo, permitindo que o avião ferido e incapaz de seguir na guerra retornasse a sua base, é a guerra.