terça-feira, 28 de outubro de 2014

Falece Janer Cristaldo

por Maurício Renner // terça, 28/10/2014 08:40
Faleceu nesta segunda-feira, 27, em São Paulo, vítima de um câncer contra o qual vinha lutando há anos, o colunista do Baguete Diário Janer Cristaldo Ferreira Moreira (Santana do Livramento, 2 de abril de 1947 — São Paulo, 27 de outubro de 2014) .
Janer podia causar bem mais estrago com uma coluna
do que com um martelo.
O Janer começou a escrever no site ainda na primeira encarnação do Baguete, quando éramos um portal de clipagens, lá em 1999.
Desde que eu assumi a editoria do Baguete, em 2006, vi o Janer criar centenas de polêmicas com a esquerda, seu alvo favorito (um dos seus orgulhos era ter criado a definição “Supremo Apedeuta” para se referir a Luis Inácio Lula da Silva. Outro era ter participado da demolição do Muro de Berlim).
Mas o Janer não parava por aí. Também implicava, da maneira mais agressiva e informada possível com religiões de todo tipo (motivo pelo qual ele criticava parte da direita também), o movimento gay, o tradicionalismo gaúcho, a academia, a imprensa, os psicanalistas, os terapeutas equínos e, até, a categoria profissional dos ornitólogos, e mais de uma vez.
Perdi as contas de quantas vezes me disseram que nós precisávamos tirar o Janer do site, dizendo que o estilo incisivo, às vezes deliberadamente agressivo dele “queimava nosso filme” ou “não tinha nada que ver com tecnologia” ou “ia acabar fazendo com que nós fossemos processados”.
A maioria das pessoas que me dizia isso o fazia depois de ler alguma coluna especialmente polêmica do Janer. Poucos queriam argumentar com ele, que sempre respondeu com educação (ou, pelo menos, com a educação merecida) a todos os comentários na sua coluna e nunca me pediu para censurar nenhum, mesmo os mais agressivos.
Eu nunca tive coragem de fazer a coisa mais cautelosa e dizer para o Janer que ele não podia escrever mais para nós, apesar de não concordar com boa parte do que o Janer dizia (a única pessoa que poderia concordar com tudo que o Janer dizia provavelmente era o próprio Janer). 
Apesar de tudo, o estilo ácido, a imensa erudição e as inúmeras polêmicas dele contribuíram para fazer do Baguete o portal meio imprevisível e diferente dos demais que nós gostamos que ele seja.
O velório será na terça-feira, 28, entre 10h e 14h, no cemitério São Pedro, em São Paulo. Antes da cremação, haverá uma cerimônia de despedida às 14h no Crematório da Vila Alpina, na Avenida Francisco Falconi, n. 437 (ao lado do cemitério). 
Descansa em paz Janer.
Fonte:  Baguete
COMENTO: efetivamente, Janer Cristaldo foi uma pessoa polêmica. Com um texto primoroso e sempre fiel às suas convicções, incomodou e agradou a muitos. É uma enorme perda para a cultura brasileira. Suas opiniões, sempre muito francas, farão falta! Que o Deus, no qual ele não cria, o receba com piedade.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Inteligência é Paciência e Uso de Todos os Informes

Conan e Pirulo, os dois cães que ajudaram a liquidar Alfonso Cano
Bogotá - 21 Out 2014
Graças aos cães que acompanhavam o então comandante das FARC, vulgo Alfonso Cano, há três anos atrás as Forças Militares Colombianas descobriram o local onde ele se escondia, e o abateramSeu verdadeiro nome era Guillermo León Sáenz Vargas. 
Em 4 Nov 2011, o Exército Colombiano bombardeou um local no departamento (Estado) de Cauca, a uns 350 quilômetros ao sudoeste de Bogotá, confiando que "Cano" se refugiava em uma casa campesina, no meio das montanhas. 
A operação foi antecedida por várias tarefas de Inteligência - incluídas as interceptações das comunicações rebeldes - que permitiram situar com precisão o lugar. Logo, as autoridades esperaram pacientemente que uma pista confirmasse a presença de "Cano": esta foi o avistamento de dois cães que se sabia serem os fiéis escudeiros do bandido, conforme mostra uma gravação em vídeo do Exército Colombiano que foi entregue ao canal local RCN e cujas imagens foram adquiridas pela The Associated Press
Conan, um labrador, e Pirulo, um cão sem pedigree, acompanhavam León Sáenz desde que este participou nos frustrados diálogos de paz das FARC com o governo do ex presidente Andrés Pastrana (1998-2002) na região de San Vicente del Caguán. 
Confirmado o objetivo, na manhã de 4 de novembro de 2011 se autorizou o bombardeio. Veio depois o desembarque de tropas e a recuperação dos corpos de três guerrilheiros. León Sáenz, porém, não foi encontrado de imediato. 
Foi ao cair a noite quando um soldado escutou sons na vegetação próxima à zona da operação e viu a silhueta de uma pessoa, que tentou escapar ante a determinação de alto. O militar, seguindo as ordens de seus superiores, disparou sem saber que se tratava do narcoguerrilheiro conhecido como "Alfonso Cano"
Estes detalhes da forma como caiu o chefe quadrilheiro foram conhecidos por ocasião de uma entrevista, feita pelo canal RCN com o militar que efetuou o disparo mortal ao delinquente, sendo mantida no anonimato sua identidade por questões de segurança.
"Alfonso Cano" assumiu a chefia das FARC em 2008 após a morte natural do longevo Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo"
Após a morte de León Sáenz, a guerrilha elegeu como seu chefe máximo a Rodrigo Londoño Echeverry, vulgo "Timochenko" ou "Timoleón Jimenez", que deu sua concordância às negociações em curso com o governo do presidente Juan Manuel Santos para tentar por fim a um conflito de meio século.
Fonte:  tradução livre de El Colombiano

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

EsSA - CFS 2015/2016 - Concurso/2014

.

Passadas as provas do Exame Intelectual do Concurso aos Cursos de Formação de Sargentos do Exército Brasileiro que funcionarão em 2015 e 2016, podemos aqui manifestar alguns pontos de opinião, atualizando postagem feita no ano passado. Tivemos, neste ano de 2014, 48.173 candidatos confirmados (meus agradecimentos ao 1º Sgt André, do Núcleo de Inscrições/EsSA), número um pouco menor do que no ano passado quando houve 57.783 candidatos (apresentaram a documentação exigida e efetivaram o pagamento da taxa devida).
Assim, praticamente podemos repetir nosso comentário feito a pouco mais de um ano atras, sobre o mesmo assunto.
Considerando que foi divulgada a existência de 1.380 vagas (aí incluídas 80 vagas destinadas a Técnicos de Enfermagem e 80 vagas para Músicos, conforme a página 10 do Manual do Candidato), temos uma média de aproximadamente 35 candidatos com inscrição confirmada para cada vaga disponibilizada.  Uma demanda considerável, se comparada a outros concursos para cargos em função pública. 
Temos então que, apesar do esforço das 'otoridades' - infelizmente com o apoio de membros da própria Instituição - em desmoralizar e desmotivar os profissionais das armas, a carreira militar continua a encantar nossos jovens que amam o Brasil e não temem sair de sob as asas dos seus pais. Espero que entre os candidatos aprovados não haja quem espere "levar vantagem", pois se houver vai se decepcionar. A carreira castrense é para quem se sujeita a uma vida de sacrifícios com remuneração somente suficiente para a sobrevivência familiar.
Aos que tiverem sucesso nas provas, alguns pequenos esclarecimentos que não é costume serem feitos, mas que eu os faço previamente para que, mais tarde, não usem o argumento covarde de que não sabiam direito o que estavam fazendo:
- Preparem-se para, diferentemente do que ocorre em Concursos para Cargos Públicos Civis, começarem a "mostrar serviço" depois de frequentarem o Curso de Formação; e isso vai continuar por 30 anos de serviço, no mínimo. É costume dizer que Sargentos devem provar a cada dia que são bons profissionais.
- Preparem-se, também, para permanecerem por sete ou oito anos na graduação de 3º Sargento, com vencimentos brutos mensais, após 01 Mar 2015, por volta de R$ 3.774,00. A isto podem ser agregados mais 4% do soldo (aproximadamente R$ 118,00) se fizerem algum Curso de Extensão/Especialização Militar; e 10 ou 20% também do soldo (R$ 294,00 ou R$ 588,00) se forem servir em regiões consideradas inóspitas.
- Preparem-se, ainda - também diferentemente das funções públicas civis -, para serem destinados para servir em qualquer parte do território nacional, independentemente dos interesses familiares (casa própria, emprego da esposa, curso universitário, doenças de pais, avós, sogros, etc).
- Depois do Curso, no exercício das funções de Sargento as condições profissionais continuarão difíceis (passar frio, cansaço, acampamentos em condições precárias, escalas de serviço apertadas - sem direito a recebimento de "horas extras" -, formaturas, exercícios físicos, "tempo zero" para estudos fora do EB, etc), acrescidas da responsabilidade de repassar seus conhecimentos, com os devidos cuidados de segurança, para seus subordinados (os Soldados incorporados anualmente para o Serviço Militar Inicial).
- Quanto aos aspectos financeiros, a cada promoção terão um acréscimo de 15 a 20% em seus vencimentos, chegando à graduação de Subtenente com o vencimento bruto, também a partir de 01 Mar 2015) valendo aproximadamente R$ 6.360,00. Caso alcancem o oficialato, poderão chegar ao posto de Capitão, que terão vencimentos brutos, após 01 Mar 2015, por volta de R$ 10.200,00. Ao vislumbrar esses valores, a grosso modo, devem ser abatidos cerca de 11% dos mesmos, a título de descontos obrigatórios para atendimentos de saúde e para o fundo que financiará, no futuro, a Pensão de sua viúva. Depois desse desconto, ainda tem que prestar contas com o famigerado e faminto Leão do Imposto de Renda.
- Os que não prestaram o Serviço Militar Inicial devem atentar para um detalhe importantíssimo: se acharem que as condições oferecidas durante o Curso de Formação não lhe agradaram, não insista. Se você teve capacidade para ser aprovado no Concurso do CFS, certamente tem capacidade para fazer outros concursos para atividades profissionais onde se sinta melhor. 
Se não gostou do Curso, não irá gostar do dia-a-dia da caserna, assim, busque sua felicidade fazendo outra carreira e não se torne um mau profissional (desmotivado, mau-humorado, dos que só enxergam motivos para reclamar e criticar, desagregador, sem disposição para consertar ou melhorar seu ambiente de trabalho).
- Aos que entenderem que podem passar seus dias dedicando-se às atividades castrenses, sejam bem vindos! Terão trinta e poucos anos de atividade profissional extremamente gratificante, em um ambiente que tem por característica principal a camaradagem!

Aproveito para citar cinco princípios a serem seguidos para um bom desempenho profissional:
- Conheça sua profissão (saiba qual seu papel na sociedade como profissional);
- Interesse-se por sua profissão (busque conhecimentos sobre como melhorar seu desempenho profissional);
- Conheça seus subordinados (identifique as características individuais de cada um, a fim de melhor destinar missões, recompensas e sanções);
- Mantenha seus subordinados bem informados (só assim, eles poderão desenvolver sua iniciativa no sentido de melhor cumprir suas missões); e
- Interesse-se, verdadeiramente, pelo bem estar de seus subordinados.

Essas regras, que parecem simples, na realidade são difíceis de serem seguidas, pois são as que diferenciam os Líderes dos Chefes. E uma das principais características exigidas ao Sargento é ser Líder.
E sejam Sargentos, profissionais conscientes de pertencerem a uma das Instituições mais respeitadas por nossa população decente!

Imagens:  "Futuro Sargento do EB" no Facebook

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Vítimas do Terrorismo - Outubros

.
Neste outubro de 2014, reverenciamos a todos os que, em outubros passados, tombaram pela fúria política de terroristas. Os seus algozes, sob a mentira de combater uma ditadura militar, na verdade queriam implantar uma ditadura comunista em nosso país.
Cabe-nos, hoje, lutar para que recebam isonomia no tratamento que os "arautos" dos direitos humanos dispensam aos seus assassinos, que hoje recebem pensões e indenizações do Estado contra o qual pegaram em armas.
Move-nos, verdadeiramente, o desejo de que a sociedade brasileira lhes faça justiça e resgate aos seus familiares a certeza de que não foram cidadãos de segunda classe, por terem perdido a vida no confronto do qual os seus verdugos, derrotados na luta armada, exibem uma vitória bastarda, alimentada por um revanchismo odioso.
A esses heróis o reconhecimento da Democracia e a garantia da nossa permanente vigilância, para que o sacrifício de suas vidas não tenha sido em vão.

12/10/68 - Charles Rodney Chandler - (Capitão do Exército dos EUA - SP) 
Herói na guerra com o Vietnã, veio ao Brasil para fazer o Curso de Sociologia e Política, na Fundação Álvares Penteado, em São Paulo/SP. No início de outubro/68, um "Tribunal Revolucionário", composto pelos dirigentes da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), Onofre Pinto (Augusto, Ribeiro, Ari), João Carlos Kfouri Quartin de Morais (Manéco) e Ladislau Dowbor (Jamil), condenou o capitão Chandler à morte, porque ele "seria um agente da CIA". Os levantamentos da rotina de vida do capitão foram realizados por Dulce de Souza Maia (Judite) - que ainda vive, dedicando-se à "defesa do meio ambiente". O capitão Chandler quando retirava seu carro da garagem para seguir para a Faculdade, foi assassinado friamente com 14 tiros de metralhadora e vários tiros de revólver, na frente da sua esposa Joan e seus 3 filhos.
O grupo de execução era constituído pelos terroristas Pedro Lobo de Oliveira (Getúlio) - militar reformado da PM/SP -, Diógenes José de Carvalho Oliveira (Luis, Leonardo, Pedro) e Marco Antônio Bráz de Carvalho (Marquito).
Diógenes José de Carvalho Oliveira, também conhecido como Diógenes do PT, na década de 90 ingressou nos quadros do PT/RS, e vive em Porto Alegre/RS, sempre assessorando os líderes partidários mais influentes.
João Carlos Kfouri Quartin de Morais é Professor de Filosofia e Ciências da UNICAMP e, Ladislau Dowbor é Professor de Economia da PUC/SP e trabalha no Instituto de Economia da UNICAMP.

24/10/68 - Luiz Carlos Augusto - (civil - RJ) 
Morto, com um tiro, durante uma passeata estudantil.

25/10/68 - Wenceslau Ramalho Leite - (civil - RJ)
Morto, com 4 tiros de pistola Luger 9mm, durante o roubo de seu carro, na avenida 28 de Setembro, Vila Isabel, RJ.
Autores: Murilo Pinto da Silva (Cesar ou Miranda) e Fausto Machado Freire (Ruivo ou Wilson) ambos integrantes da Organização Terrorista COLINA (Comando de Libertação Nacional).

04/10/69 - Euclídes de Paiva Cerqueira - (Guarda particular - RJ) 
Morto por terroristas durante assalto ao carro transportador de valores do Banco Irmãos Guimarães.

06/10/69 - Abelardo Rosa Lima - (Soldado PM - SP) 
Metralhado por terroristas numa tentativa de assalto ao Mercado Peg-Pag.
Autores: Devanir José de Carvalho (Henrique), Walter Olivieri, Eduardo Leite (Bacuri), Mocide Bucherone e Ismael Andrade dos Santos, militantes das Organizações Terroristas: REDE (Resistência Democrática) e MRT (Movimento Revolucionário Tiradentes).

07/10/69 - Romildo Ottenio - (Soldado PM - SP) 
Morto quando tentava prender um terrorista.

31/10/69 - Nilson José de Azevedo Lins - (Civil - PE) 
Gerente da firma Cornélio de Souza e Silva, distribuidora da Souza Cruz, em Olinda. Foi assaltado e morto quando ia depositar no Banco o dinheiro da empresa (50 milhões de "cruzeiros novos").
Autores: Alberto Vinícius Melo do Nascimento, Rholine Sonde Cavalcante Silva, Carlos Alberto Soares e João Maurício de Andrade Baltar, militantes do PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário).

27/10/70 - Walder Xavier de Lima - (Sargento da Aeronáutica - BA) 
Morto quando, ao volante de uma viatura, conduzia terroristas presos, em Salvador.
O assassino, Theodomiro Romeiro dos Santos (Marcos), militante do PCBR o atingiu covardemente com um tiro na nuca. Atualmente, Theodomiro é Juiz do Tribunal Regional do Trabalho, em Recife/PE.

--/10/71 - Alberto da Silva Machado - (Civil - RJ) 
Morto por terroristas durante assalto à Fábrica de Móveis Vogal Ltda, da qual era um dos proprietários.

01/10/72 - Luiz Honório Correia - (Civil - RJ) 
Morto por terroristas quando do assalto a Empresa de Ônibus Barão de Mauá.

06/10/72 - Severino Fernandes da Silva e José Inocêncio Barreto - (Civis - PE) 
Mortos por terroristas durante agitação no meio rural.

Os mortos acima relacionados não dão nomes a logradouros públicos e seus atestados de óbito não especificam que foram vítimas de ações terroristas; seus parentes não receberam indenizações governamentais, mas os responsáveis diretos ou indiretos por suas mortes dão nome à escolas, ruas, estradas e suas famílias receberam vultosas indenizações, pagas com o nosso dinheiro. 

Fonte: Texto adaptado de: TERNUMA