sábado, 20 de julho de 2013

O Brasil em Chamas

por Waldo Luís Viana*
Um dos livros que mais me encantou, do escritor Henri Lefevbre, sobre os dois anos anteriores à revolução francesa, falava sobre o povo com a falta de pão. A rainha lhes dizia, que comessem brioches, a Igreja dizia vamos lhes falar sobre o inferno e eles se acalmarão. O rei de nada tinha noção. Preguiçoso, corno e broxa. Pois bem o povo saiu às ruas, católico e devoto, e queimou a Bastilha. E libertou os prisioneiros, que saíram correndo para não serem ceifados vivos nas masmorras...
Isso foi nos idos de 1789... E está se repetindo no Brasil. O povo cracudo está com fome, cheio de drogas, sem dinheiro pra nada, sob um governo de canalhas como jamais se viu na história.
As tarifas mais altas do mundo: celular, educação, segurança, bombeiros, luz, gás, energia, os impostos mais altos da terra, uma derrama para matar dez Tiradentes...
Uma “presidenta” que fica gritando com seus subordinados e não sabe de nada, não sabe governar e fica cagando normas até pra outros países, como se aqui houvesse racionalidade administrativa com 39 ministérios... Um ministro da Fazenda que é um capacho daqueles que a gente usa em cinema... Um ministro da Educação com aquele bigode, tipo escova de vagina, que não sabe nada de coisa alguma... outro capacho...
Enfim, uma mulher cercada de capachos administrando um país, sem estradas, ferrovias, com o Nordeste falecendo... as cidades com a segurança destruída...
Ah, mas somos o país do futebol, como eles criticavam no governo Médici, lembram-se do radinho de pilha, o povo era alienado e agora, pão e circo?
E agora, canalhas, a história se repetirá como farsa ou tragédia? Quem sabe o Lula de novo, com o falso câncer o Lulinha com seu novo aviãozinho. Afinal ele não precisa mais limpar bunda de rinoceronte...
Um amigo meu até contou uma piada engraçada: não precisamos cassar comunistas, porque eles estão todos no mercado...
A avenida paulista é vermelha, mas o povo está ficando ruborizado. E a massa enfurecida vai transtornar essa turminha sindicalista, da UNE, das Ongs, desse esquema escroto do PT, de bolsa-família e voto de cabresto, apesar da antiga Lei Etelvino Lins.
Eu disse há dois anos que o país estava em entropia. Disseram-me: é maluco. Não sabe de nada... O PT retornará aos velhos ideais, como se fosse o conhaque Dreher...
Pois está acontecendo e nossos generais cagões só se interessam por duas coisas: bater continência pra qualquer um e receber o salário no dia 3.
Eu sou civil e meu urologista me disse que meus escrotos estão no lugar. Não aguento mais esse blá-blá-blá, de “Brasil acima de tudo”. Quando esses merdas vão pra reserva, ganham cérebro e começam a se lamentar da desordem reinante. Jogo todos os e-mails deles fora. São craques da covardia...
Não tenho armas em casa. Minha voz é o que escrevo, meu nojo e desprezo. Esse Congresso já deveria estar cercado. O Palácio do Planalto também. E chega de martirizar o Poder Judiciário. Querem que ele pare de funcionar para os corruptos dizerem quem manda no país. São eles, os empreiteiros, a FIFA. Aquela gangue multinacional que vai ganhar 40 bilhões aqui, distribuindo comissões a valer...
Só não quero morrer, com minha filha sabendo que sou omisso. Isso não sou. Quisera ficar em casa só escrevendo poesia. Mas poesia é dor e compromisso. Se o céu só fosse azul, as borboletas douradas e a lua branquinha não haveria poesia. É preciso dor e um coração doendo...
O meu está ardendo de ver esse país em chamas. Canalhas que deveriam estar há muito tempo na cadeia mandando nele e com ilustres advogados, pilotando recursos.
E uma mulher nos dirigindo que deveria estar sendo processada numa Comissão da Verdade. Onde está o dinheiro que ela roubou do cofre da amante do Ademar [em nome da democracia] e de todos aqueles que tombaram pelas organizações que ela comandava e dirigia...
Chega de PT, chega de vagabundagem...
Muito mais era o Roberto Campos que dizia:
O PT é um partido composto de trabalhadores que não trabalham, de estudantes que não estudam e de intelectuais que não sabem de nada...
Terminarei por aqui, porque sei que a ABIN sabe mais do que eu. Deploro apenas que a Polícia Federal e nosso glorioso Exército estejam complacentes com toda essa panacéia... Devem estar faturando o deles também...
É o tal lema: dinheiro é bom e eu gosto. E o povo que se foda...
*Waldo Luís Viana é economista, escritor,
 poeta e adora varrer o seu jardim...
Teresópolis, 19 de junho de 2013...

Nenhum comentário: