domingo, 28 de abril de 2013

Para Onde Vai Nossa Grana

A REDE RECORD DESPENCA. E RESPINGA AQUI NO RS!!
por José Luiz Prévidi
Primeiro, confira com toda atenção esse quadro aí abaixo.
Como diz o outro, os números não mentem:
Pode ter um dado errado, para mais ou para menos, mas é isso aí, há anos.
A Globo fica com a maior parte. E até justificam: tem a maior audiência.
É muita grana. Aliás, é muita grana para todas as redes. Muita!!
--
Sem critérios técnicos, só baseado na observação, dou meus palpites. Olha só.
Boa parte dessa grana que a Globo ganha, no mole, é para o comercial "comum", no intervalo da programação e naqueles eventos "esportivos", que não passam de pura picaretagem. Mas são umas picaretagens bem feitas - vôlei, basquete, esportes radiais, etc. Até a maior picaretagem de todas, o Criança Esperança, leva dinheiro do Governo federal.
A Rede Globo só não sabe improvisar, mas quando arma o circo com antecedência é imbatível.
--
Qualquer criança sabe que as novelas da Globo não podem ser superadas. O que acontece?
As demais redes insistem em apostar em novelas. A Record, então, acumula fiascos.
Não tenho a menor ideia onde os chefes da Record gastam o dinheiro de dona Dilma, mas muito desses 174 milhões de reais devem ser desperdiçados nessas bobagens açucaradas.
A Globo dá de relho nas demais redes no quesito novela. E ponto.
--
O problema é que as demais redes tornam-se "um saco sem fundo".
No caso da Record, pode entrar dinheiro de todos os Governos, da Iurd, de tudo que é lugar, que a crise sempre vai estar rondando as emissoras.
--
Não é de hoje que todo dia se lê alguma matéria sobre a crise da Rede Record.
Demissões, queda na qualidade dos programas e a consequente reflexo no Ibope.
Há tempos que recebo e-mails com informações sobre a precariedade da programação nacional da Rede.
A repetição de matérias é a mais comum.
Evito publicar porque aí aumenta a minha fama de implicante.
Não li em nenhum lugar o que está acontecendo com a TV Record e Record News. Que a situação era e é de penúria todos têm conhecimento. Entretanto, ultimamente a televisão está repetindo matérias velhas... e põe velhas nisso. O Domingo Espetacular, apresentado pelo Paulo Henrique Amorin, no último domingo, desencavou material de vários meses atrás. No tempo que dediquei a ver o programa, não percebi qualquer reportagem nova. Era tudo requentado de outros programas. Não consegui saber o que houve. Se foi um protesto branco dos funcionários do Rio ou São Paulo ou sei lá o quê. Na Record News então, tá uma salada. Como é o canal que reprisa tudo que foi feito na Record, agora está reprisando o que já reprisou há meses... Bem, fica a sugestão para investigar esse empastelamento geral da Record. 
--
Agora, a queda de qualidade chegou ao principal programa da Record RS, o Balanço Geral.
Claro que eu sei que, especialmente pelo Alexandre Gordinho Mota, o programa tem picos de audiência, mas no geral o declínio é flagrante.
Não tenho tido oportunidade de acompanhar, como em anos anteriores, mas meus amigos/leitores me avisam.
Ontem, o Sérgio Leitão me enviou um e-mail:
"O Gordinho Mota, no Balanço Geral, requenta algumas matérias. Demitiram o grande Sacomory, substituindo-o pela totalmente sem sal, porém esforçada, Kelen Caldas, agora atacando de megafone, às quartas.
Na reprodução, o Rafael Rocha, às 19 horas, repete no Rio Grande Record, todo o material utilizado pelo Mota.
A empresa deveria alterar o nome para algo semelhante a 'Xerox do Brasil'. KKKK".
--
Há tempos que falta matéria para os programas locais.
Não é sem motivo aquelas matérias de baixarias em todo o país e até mesmo na China, Índia, etc.
Outra coisa: A Kelen Caldas é uma excelente jornalista. Não é comediante e/ou humorista. Assim como o Gordinho não tem nada de comediante/humorista. O único que tinha graça era, sim, o Sacomory.
Mais uma: Cadê os repórteres?
Dia desses assisti a um pedaço do Balanço Geral. Uma conversa fiada junto a um quartel do Corpo de Bombeiros. Negócio sem pé nem cabeça, apenas para encher linguiça.
Triste, mesmo. E o Gordinho querendo ser engraçado.  ......
COMENTO:  usei esse texto do Prévidi para mostrar uma coisa que por muito tempo me tem mantido curioso. O gasto governamental em "comunicação social", ou propaganda. R$ 10,7 bilhões em doze anos, e destes, R$ 1,126 bilhão só em 2012. Isto só para as redes de televisão. Junte com o que é destinado para jornais, revistas, rádios, "bolsa-web" (aquele pessoal impoluto que recebe uma graninha para manter sitios e blogs com opiniões sempre favoráveis ao governo e seus quadrilheiros, em toda e qualquer circunstância), e teremos o volume de dinheiro público que deveria ser usado em saúde, educação, habitação, construção e/ou manutenção de estradas, que é desperdiçado propagandeando as mentiras dos canalhas empoleirados no poder desde 1985. E não esqueça, quando escrevo dinheiro público, me refiro à grana extorquida de mim, de você e de todos os "contribários" (contribuintes otários) no dia a dia.

Nenhum comentário: