domingo, 18 de novembro de 2012

STJ dá à Folha Acesso a Gasto de Publicidade do Governo

.
A Folha obteve ontem (14/11) vitória no Superior Tribunal de Justiça em ação que movia contra o governo federal para ter acesso aos dados completos de gastos com publicidade estatal desde 2000.
A decisão foi unânime na Primeira Seção do STJ.
O governo federal fica agora obrigado a informar em até 30 dias seus "gastos com publicidade por categoria, agência, veículo e tipo de mídia", informou ontem o tribunal em seu site.
A SECOM (Secretaria de Comunicação Social da Presidência) disse que vai recorrer da decisão.
O pedido da Folha abrange a administração federal direta e indireta. Ou seja, o governo terá de fornecer os dados sobre gastos com publicidade da Presidência da República "que já são conhecidos", mas também os de todos os ministérios, fundações, autarquias e empresas estatais.
"A decisão, concedida à véspera do aniversário da República, prestigia a transparência e a liberdade de informação", disse Taís Gasparian, advogada do jornal.
Antes de entrar com a ação, a Folha pediu em março de 2011 os dados à SECOM.
A pasta não atendeu à solicitação. Entre outras razões, disse que os dados não estariam disponíveis ou teriam caráter estratégico de mercado e, portanto, seriam sigilosos.
O ministro Arnaldo Esteves, relator do processo no STJ, afirmou que a solicitação da Folha é "plausível, razoável, jurídica e legítima", ao buscar dados e fontes de órgãos públicos para o trabalho essencial de bem informar a população.
"O que desejam os impetrantes, com os dados de fato pretendidos, é viabilizar, no particular, o cumprimento de sua tarefa, que tem especial assento na Carta Magna, de examinar o respectivo conteúdo e, com fidelidade, bem informar a comunidade nacional, credora definitiva das informações de interesse ou mesmo utilidade pública", acrescentou o relator.
COMENTO:  Volta e meia tento encontrar a quantidade de verbas públicas destinadas à propaganda governamental e não consigo. Cheguei a me achar incompetente no manuseio de informações disponibilizadas, e hoje, graças à notícia acima, descobri que tais informações são "sigilosas", como os gastos dos Cartões Corporativos presidenciais. Esse "segredo" facilita casos como os dos jornais do ABC que recebiam verbas de propaganda sem sequer existir. 
Ainda falta muito para liquidarmos todas as modalidades de "mensalões" brasileiros.

Um comentário:

Anônimo disse...

Por que a Folha faz tal pedido? se quiser saber mesmo, faca o seguinte:
- va a uma biblioteca;
- municie-se de paciencia infinita (vai precisar)
-Pegue todas as edicoes impressas do Diario Oficial da Uniao desde 2003
- va para todas as secoes que listam a liberacao de recursos;
- Pegue papel, lapis e calculadora;
- Anote tudo e faca as contas.
- E pronto!
OBS- uma das minhas obrigacoes profissionais era ler o DOU diariamente, e o horror tomou conta de mim apos 2003...o numero e volume de liberacao de recursos pra partidarios simplesmente cresceu em progressao geometrica....