segunda-feira, 9 de julho de 2012

Sangue Verde Oliva

Editorial Reservativa 04/07/2012
Desde sua criação a Instituição Exército Brasileiro recebeu em seu seio milhões de Brasileiros e Brasileiras
Diga-me o que pintas e te direi quem és.
Dia-a-dia, a convivência com sua doutrina e seus ensinamentos cotidianamente absorvidos, forma um grupo rigidamente situado numa hierarquia social, determinado por uma ocupação comum a todos os membros, a defesa da Pátria, seu povo, seu solo sua soberania, e sua democracia, de forma a criar uma estirpe com base sólida no amor a Nação brasileira, a responsabilidade da manutenção da paz interna e externa, de forma que seria épico vislumbrar o sangue correndo em suas veias, atingindo seu coração com uma cor que não fosse o Verde Oliva.
Por mais forte que sejam seus ensinamentos, por mais glorioso que sejam seus ideais, por mais abnegados que sejam seus soldados não consegue o Exército Brasileiro penetrar em todos os corações que dele fazem ou fizeram parte, e essa é a essência do espirito democrático, de forma que uma pequena parte, põe suas conveniências próprias a frente dos interesses da corporação. 
São eles os descolorados, que perdendo o vinculo com seu juramente de defesa da Pátria, da Bandeira e seus brasões, perdem consequentemente além da dignidade, o seu “virtual” sangue verde oliva, e ao contrario de Getúlio Vargas, "saem da historia para se beneficiar na vida” das regalias do posto, - e não digo da “pompa”, porque até o ato de subir ao Palanque na festa que sempre foi militar, no Dia da Independência, lhes foi usurpado e aceito subservientemente
Ruim é o cego que não quer ver. Pior é o que finge que não vê.
Em nome de uma hipotética convivência, tendo como beneficio uma paz temporária, e a esperança, que já se avizinha, de que a curto prazo teremos a queda subsequente das ideologias de esquerda na America latrina, onde cairão um-a-um os “dominós de cuba”, estamos fazendo ouvidos moucos, para os gritos das casernas.
Mas.... até quando?
Jose Nascimento 
Ten Ref. Cav da OMM
Fonte: Reservativa

Nenhum comentário: