domingo, 8 de julho de 2012

A Falácia da Previdência

por Mauricio Alves
Veja realizou recentemente duas reportagens sobre o assunto, e deveriam ser cotejadas. Se a situação previdenciária é tão grave, por que o Governo não a entrega às diversas categorias profissionais para sua gestão?
Entrevistou essa figura desconcertante do ministro Garibaldi. Como o próprio disse, nada entendia de previdência. Aliás, essa é a assustadora administração petista imposta ao Brazil... 
De onde vem o rombo da Previdência?
Esses fantoches, supõem que todos nós somos idiotas, e espargem o veneno da mentira insistente... até que pareça verdade. É a conhecida ideologia em martelá-la à exaustão.
Aí exaurem os cofres públicos, surrupiando matreiramente seus recursos em malas, cuecas, pacotes, nas garagens, enfim, não há limites. Alguém deve ser responsabilizado...
Conhecidos ventrículos alardeiam, então que a Previdência não agüenta...
Ora, a prorrogação da DRU (Desvinculação das Receitas da União), permite o assaque de 20%, ou seja 1/5 do Orçamento da União, agora somados aos da Previdência Social para serem gastos à vontade da Presidente... Antes a incidência da DRU era apenas sobre a receita tributária. Malandramente, resolveram fundir coisas distintas: tributos com as contribuições previdenciárias. Aumentaram o “bolo”. Significa apossar-se indevidamente dos descontos efetuados aos salários dos trabalhadores, contribuições dos empresários, além de transferências das diversas loterias, obras civis, etc. Uma fábula!
Essa é a violência contra a Previdência, prevista para garfar-lhe 62 BILHÕES, exatamente o déficit anunciado. Popularmente, isso se chama ROUBO! Isso mesmo, o trabalhador está sendo TUNGADO em sua aposentadoria, atendimento à saúde, além do sofrimento no pensionamento de suas viúvas, e ainda a sobrevida de seus netos...
Nem se precisa falar no CÂMBIO PREVIDENCIÁRIO, quando as contribuições em salários mínimos se transformam no garfário FATOR PREVIDENCIÁRIO!!! Explicando: Paga-se em uma moeda e recebe-se noutra diferente, e mais fraca!...
Aí nossa imaginação fica impregnada de minhocas... Será que não se vê essas aberrações?
O antigo teto da previdência eram de 20 salários mínimos. Lembram-se? Reduziram para 10 S.M. 
Para onde foi a diferença?
Agora, o Governo investe contra o Servidor Público de Carreira, reduzindo-lhe suas aposentadorias, ajustando-as àquelas minguadas, e miseráveis, quase impossíveis de serem conseguidas, igualando-as àquelas pagas pelo famigerado INSS...
Saliente-se, pois, que jamais o segurado, beneficiário da Previdência recebe o teto de sua contribuição...
Tenha-se, em conta, que a MOEDA de contribuição não é a mesma utilizada NO PAGAMENTO da retribuição das aposentadorias; isto porque, além do valor de referência, instituíram uma outra armadilha, que reduz o direito de seu alcance máximo, denominada FATOR DE REFERÊNCIA...
Além disso, o Governo, "dono da VERDADE", instituiu indenizações, aposentadorias, pensões, sem nenhuma contribuição daqueles que tanta desgraça trouxeram ao País, quando não esconderam suas preferências de VENDILHÕES DA PÁTRIA! É passado recente, daí concluir-se que tivemos em DITA MOLE, e não uma ditadura!
Para reforçar essas MENTIRAS graciosas, esse menestrel, engraçadinho, apareceu confessando que nada entendia de Previdência (Revista Veja-amarelas), e assim continua ventriculando suas fanfarrices, acomodado em suas polpudas aposentadorias de ex-governador, ex-ParlamenTar, e etc. A partir de um seminário, saltitou - EUREKA! A libélula transformou-se um sabichão! 
Desconhece, certamente a origem da previdência, que não era estatal, mas dava certo... 
Nos bons tempos, quando o Brasil, era grafado com “Z”, época, quando então instituiu-se a demagogia no País, capitaneado pelo espertalhão, Getulio Vargas, resolveu estatizar as Caixas de Aposentadorias e Pensões, disseminadas pelas diversas categorias profissionais, originadas das Caixas de Socorro, advindas da solidariedade dos trabalhadores, nascida na Inglaterra, quando as famílias se cotizavam para atender os acidentados no trabalho, ou seus mortos...
Entre nós, a derradeira e renitente foi a Caixa de Aposentadoria dos Ferroviários, que sobreviveu a sucessivos absurdos!
Aquele ditador vislumbrou, com sua perspicácia ladina, um magnífico curral eleitoral, se instituísse um órgão estatal centralizador dessas “Caixas”, que mais tarde, evoluíram nas diversas instituições de previdência: IAPAS, INAMPS, etc.
Os recursos arrecadados eram astronômicos! Foi o começo do fim... A partir daí, todos dela tiraram seus "quinhões". 
Serviu, preliminarmente, à construção da CSN, depois Brasília, investiu-se na Rodovia Trans-Amazônica, Ponte Rio-Niteroi, Hidrelétricas de Três Marias, Itaipú, etc. E nada retornou aos cofres... PREVIDENCIÁRIOS!
Diga-se, ainda que no caso dos Servidores da União, havia então, o IPASE (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado), então mantido com 5% das contribuições dos funcionários públicos. Vale dizer que esses recursos eram suficientes para pagar as aposentadorias e pensões, além de custear seu Plano de Saúde... Esses recursos eram aplicados, sobretudo mo financiamento de imóveis e automóveis, com juros módicos... Havia rentabilidade... Aí, mais uma vez, no Brasil, como tudo que dá certo não serve ao Governo, "amontoaram" os demais outros institutos, até essa famigerada Previdência Social de nossos dias, que quando permite o cidadão aposentar-se, aplica, impiedosamente, seu torniquete financeiro, levando-os à míngua! 
É como aquele clássico desmoronamento, que apesar da carga de explosivos, insiste de pé...
Quem se lembra do TETO MÁXIMO da Previdência? Eram 20 salários reduziram para 10 salários mínimos e, além de caparem essa diferença grotescamente, criaram uma nova moeda - SALÁRIO DE REFERÊNCIA. Aonde foi parar essa diferença? Deixemos de ser idiotas!
Por que o aposentado do Serviço Público, golpeado pelo STF do Jobim, tem que continuar pagando a Previdência? Ele já não pagou sua aposentadoria? E, com sobras? 
Recebi, após aposentado com 36 anos de contribuição, o saldo do PASEP, equivalente ao FGTS, o valor de R$ 1.800,00 (mil e oitocentos reais)... Minha filha, com 10 anos de serviço particular, levantou o Fundo de Garantia, que lhe proporcionou a aquisição de um apartamento em local nobre de Vitória...
Nossa contribuição, que não é pouca, avança sobre a totalidade dos vencimentos, não temos a contribuição PaTronal, Fundo de Garantia, nem ParTicipamos de multas rescisórias.
Quando FHC, Patrono da Maconha, chamou-nos de vagabundos, levantei no SIAFI, nossas contribuições, em todas as Unidades da Federação, em uma Conta-Corrente, no Tesouro Nacional, intitulada CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SERVIDOR PÚBLICO. Resultou essa busca que em todas elas, sem nenhuma exceção, apresentava SALDOS CREDORES! Nem mesmo nas menores delas, tais como Campos dos Goytacazes/RJ e Vitória/ES, eram deficitárias!
E, mais alentador para nossa glória: SEM A CONTRIBUIÇÃO PATRONAL!
Ora, Senhor repórter, por conseguinte, onde está esse ROMBRO fajuto? 
Para ingressar no SPF, tem que se submeter aos concursos públicos, onde certamente são selecionados os melhores, salvo a criação da vergonhosa criação dos cargos em comissão (?), modalidade em que, no mínimo, se esperava inteligências brilhantes, ao invés de espertos cabos eleitorais . 
Indaga-se: E, daí para frente, quem serão os novos funcionários públicos?
Se já não está bem, vamos piorá-lo! Aliás, ultimamente, exemplos de corruPTos é amazônico... 
Sem as garantias oferecidas pelo serviço público, tudo será nivelado, igualzinho... Ninguém é de ferro! 
Eis a diferença... Irão sim, todos se locupletarem à vontade! 
Maravilha! Ninguém reporá nada, tudo se reduzirá a um MENSALÃO brasileiro!
Imagine-se a procura por um simples uniforme de “guarda”; sim, de um guarda-chuvas, mas invertido, canalizado para receber as águas do proPinoduTo!
Lastimável, que esse imaturo repórter, não buscasse verdadeira história da previdência, servido apenas de caixa de ressonância à essa monumental PaTifaria, endossando esse lamentável desserviço à Pátria.
Publiquem os nomes desses 318 votantes a favor para que a população e eleitores os conheçam, e lhes dêem os merecidos castigos, se tiverem coragem.
Que Deus tenha piedade de nosso Brazil, e ilumine o Senado Federal para apagar esse triste projeto de derrocada pública!
Mauricio Alves é Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil.
Fonte:   Alerta Total

Nenhum comentário: