domingo, 27 de novembro de 2011

Na véspera do aniversário da Intentona Comunista Brasileira, os Canalhas Colombianos demonstraram como é o padrão de atuação das viúvas de Marx, Lenin, Stalin et caterva

"Nesta manhã (26/11) foram encontrados, assassinados com 'tiros de misericórdia', quatro militares da Força Pública", disse o Ministro da Defesa da Colômbia, Juan Carlos Pinzón, ao anunciar a triste notícia do assassinato dos militares que estavam em poder da narco-quadrilha FARC, no Departamento de Caquetá.
"Nos dói profundamente na alma. A Força Pública tem a legitimidade e a obrigação constitucional de defender os direitos dos colombianos em todo o território nacional, por isso é necessário adiantar operações militares em todo o território" disse o Ministro da Defesa ao confirmar os combates que se desenvolveram com os bandidos que tinham em seu poder os membros da Força Pública sequestrados há mais de doze anos.
É a seguinte a declaração do Ministro da Defesa:
"Nos dói profundamente na alma, nos dói por suas famílias.
A Força Pública tem a legitimidade e a obrigação constitucional de defender os direitos dos colombianos em todo o território nacional, por isso é necessário adiantar operações militares e policiais em todo o país, precisamente para defender os Direitos Humanos e as liberdades de todos os colombianos.
Há 45 dias tropas das Forças Militares desenvolvem uma operação na zona do município de Solano, em Caquetá. Nessa zona se executavam operações em busca de quadrilheiros das FARC, conforme informações obtidas previamente.
Nessas informações constava a possibilidade de que os bandidos tivessem sequestrados da Força Pública em seu poder.
Nesta manhã (26/11) por volta das dez horas, após ter encontrado pistas na noite anterior, as tropas se aproximaram e entraram em combate, minutos depois desse combate e na zona contígua, foram encontrados em um mesmo local quatro cadáveres. Quatro pessoas assassinadas, três delas com disparos na cabeça, uma delas com disparos nas costas. 
Essas pessoas eram membros da Força Pública sequestrados. Lamentamos profundamente que morram membros dessas instituições, que tenham sido assassinadas de modo indefeso, sem nenhuma possibilidade de defender sua integridade.
Foram covardemente assassinadas com 'tiros de misericórdia'. Havia correntes no local.
Como resultado desse combate, ainda houve um soldado ferido e, adicionalmente, foi capturada uma integrante dessa organização terrorista que portava uma arma de fogo, um fuzil.
A esta hora, estão chegando ao local as unidades de polícia judicial e se está coordenando para que o CTI (Corpo Técnico de Investigação)(*) se faça presente. O que se busca é uma análise detalhada da cena dos fatos e sobretudo uma inspeção dos cadáveres, dos corpos dessas pessoas assassinadas.
Na Colômbia, não podem esses fatos ficarem impunes, esses fatos devem ser absolutamente judicializados.
Nós esperamos que o planeta inteiro, Colômbia inteira, as organizações nacionais e internacionais de Direitos Humanos repudiem este terrível assassinato, este foi um assassinato desnecessário, a sangue frio, com tiros de misericórdia. 
Isto é francamente inaceitável e demonstra a irracionalidade e a falta de respeito pela vida, de respeito pelos Direitos Humanos das pessoas que tem essa organização terrorista das FARC. Só o que lhes importa é a arrogância, uma atitude criminosa, uma atitude que os leva a assassinar com tiros de misericórdia a pessoas em absoluto estado de indefesa depois de anos e anos de sequestro, de abusos, de vexames.
Esses crimes não podem ficar impunes em Colômbia. 
Às FARC e a outras organizações terroristas, lhes reiteramos que são responsáveis pela vida das pessoas que mantém sequestradas. Tem que responder por esse delito de lesa humanidade; tem que responder por esses crimes inaceitáveis.
De verdade, com profunda dor, enviamos uma saudação solidária às famílias; nos dói profundamente que à dor dessas famílias hoje se acrescente, depois de anos e anos de separação de seus seres queridos, sabendo que esses seres queridos estavam sendo maltratados, desonrados, hoje tenham que sofrer com a notícia da partida definitiva desses seres queridos.
Nos dói profundamente - em nossas Instituições existe uma profunda solidariedade - nos dói General Naranjo, nos dói General Navas, nos dói General Mantilla, que homens de suas Instituições tenham sido vilmente assassinados".
Os cadáveres dos quatro militares colombianos assassinados pelas FARC durante uma ação militar nas selvas ao sul do país serão transladados neste domingo para Bogotá.
Os corpos ainda permaneciam, na manhã de domingo, no lugar em que eram mantidos em cativeiro e, até o meio dia serão levados à Base Militar de Três Esquinas e depois à capital.
No mesmo vôo, chegará a Bogotá o Sargento da Polícia  LUIS ALBERTO ERAZO MAYA, que esteve sequestrado por mais de 12 anos pelos terroristas das FARC.
O Sargento ERAZO será internado na Clínica da Polícia para exames pois resultou ferido por estilhaços de uma granada.
O Ministro da Defesa da Colômbia, Juan Carlos Pinzón, explicou em uma declaração pública no sábado, que quando ERAZO escutou o ruído que os bandidos das FARC fizeram ao disparar contra seus quatro companheiros, "tomou a decisão de sair correndo". 
Horas mais tarde, o Graduado se encontrou com as tropas e agentes do Corpo Técnico da Fiscalía(*)  (CTI)  que foram enviados à zona para o reconhecimento legal dos cadáveres dos reféns mortos.
Fueron fusilados estando encadenados y desarmados.
Os quatro militares executados foram o Coronel da Polícia EDGAR YESID DUARTE VALERO, o Major da mesma Instituição, ELKIN HERNANDEZ RIVAS e o Intendente-Chefe ÁLVARO MORENO, assim como o Sargento-Mayor (Subtenente) JOSÉ LÍBIO MARTINEZ ESTRADA, do Exército.
Tanto o Coronel DUARTE como o Major HERNANDEZ RIVAS, foram sequestrados em 14 de outubro de 1988 em Paujil, localidade do departamento de Caquetá.
O Intendente MORENO foi sequestrado em 9 de dezembro de 1999, enquanto que o Sargento-Mayor MARTINEZ estava cativo desde 20 de dezembro de 1997 e era o refém mais antigo em poder das FARC.
(*) A Fiscalia é o equivalente colombiano à Procuradoria Geral da República.
O Sargento LUIS ALBERTO ERAZO 'corrió y se internó en la selva'
O Sargento da Polícia LUIS ALBERTO ERAZO MAYA logrou evadir-se dos terroristas que o mantinham e se internou na selva. Foi perseguido por tres terroristas da organização das FARC, que lançaram granadas durante sua perseguição, disse o Ministro da Defesa.
Pinzón explicou que "o Sargento ERAZO conseguiu esconder-se até as seis e quarenta da tarde. 
LUIS ALBERTO ERAZO MAYA havia sido sequestrado pelas FARC em 9 de dezembro de 1999 em Curillo (Caquetá).
A declaração
"Em meio à profunda dor que nos embarga hoje, pela morte desses quatro membros da Força Pública assassinados vilmente, indefesos nas mãos das FARC, temos uma boa notícia para o país.
Apareceu vivo o Primeiro Sargento LUIS ALBERTO ERAZO MAYA da Polícia Nacional que ficou sequestrado por mais de doze anos.
A informação que temos é a seguinte: No momento em que se escutaram os primeiros disparos, o Sargento ERAZO tomou a decisão de sair correndo. Correu e se internou na selva, segundo informa, foi perseguido por três terroristas da quadrilha das FARC, que inclusive lançaram granadas durante a perseguição. Isto lhe causou algumas feridas no rosto e à integridade desse Sargento. 
O Sargento ERAZO conseguiu esconder-se até às 06h40 da tarde quando escutou os ruídos das motosserras que estavam preparando o espaço para pouso dos helicópteros com o pessoal do CTI. Ele se aproximou do lugar onde se encontravam as tropas e foi encontrado por elas, resgatado imediatamente, atendido, estabilizado.
Neste momento se encontra com as tropas em condições razoáveis.
Esta é uma grande notícia para o país. De novo lamentamos, nos dói profundamente o crime dos outros quatro membros da Força Pública porém celebramos esta caso. A vida e o regresso à liberdade do Primeiro Sargento ERAZO da Polícia Nacional".
Fonte:  tradução livre de El Espectador
COMENTO:  lamentavelmente, nossas autoridades ainda se negam a considerar a narcoguerrilha das FARC como terroristas. A cumpanherada do Foro de São Paulo ainda alimenta a esperança de que a canalha colombiana possa se lançar como entidade política legal para auxiliar a implementação da "república socialista latino americana". E a nossa "grande imprensa", refém das verbas de "comunicação social" federais, se mantém quietas, surdas e mudas como "guri cagado"!

Nenhum comentário: