quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Pela Legítima Defesa



RS é o estado que mais arrecada armas no País
Em relação ao número de habitantes, o Rio Grande do Sul é o estado onde mais armas (2.641) vêm sendo entregues na Campanha Nacional do Desarmamento 2011 - Tire uma Arma do Futuro do Brasil. Em números absolutos, está atrás apenas de São Paulo (5.349). Os dados do Ministério da Justiça indicam, ainda, Rio de Janeiro, Pernambuco e Minas Gerais compondo a lista de unidades da Federação com maior quantidade de entrega, em terceiro, quarto e quinto lugares respectivamente.
"Este é o resultado de uma releitura que está sendo feita pelos gaúchos, que estão compreendendo que possuir uma arma não significa segurança. Ao contrário, pode gerar uma insegurança ainda maior", segundo a opinião do adjunto da Secretaria da Segurança Pública (SSP), Juarez Pinheiro. Na ótica dele, o desarmamento teria influência na redução da criminalidade. Pinheiro apontou que, em números relativos, o Rio Grande do Sul fica em primeiro lugar em arrecadação.
O resultado verificado no Estado, na avaliação de Pinheiro, deriva de um esforço da SSP, coordenado pela equipe do Departamento de Gestão Estratégica Operacional (DGEO), envolvendo o trabalho da Brigada Militar e da Polícia Civil, em conjunto com as polícias Federal e Rodoviária Federal, totalizando 229 postos de recolhimento no RS.
Dados da Campanha Nacional
Nos quatro primeiros meses da campanha, entre 06 de maio e 09 de setembro, desenvolvida pelo Ministério da Justiça com o apoio dos estados, foram recolhidas 22,2 mil armas. De acordo com o Ministério, o número supera em mais de 20 vezes o total recebido de janeiro a abril deste ano.
Os revólveres são quase a metade das entregas, com 10.828. Somados com 1.862 pistolas e outras armas, o total do grupo pequeno porte ficou em 18.489. Outra medida dos resultados alcançados na mobilização é a entrega das armas de grande porte - o balanço da campanha contabiliza 3.734, sendo 2.562 espingardas e 716 carabinas, entre outras.
Opinião contrária
Apesar da campanha do governo federal, existem muitas opiniões contrárias aos resultados da mesma. O juiz Henrique Baltazar Villar dos Santos, de Natal (RN), por exemplo, é de opinião de que não se deve entregar as armas. No Twitter, ele tem difundido seus argumentos. “Desarmar o cidadão não é solução: Os países que proibiram a venda de armas tiveram aumento da criminalidade e da crueldade dos bandidos”. E complementa: “Não aconselho ninguém a dar armas para o governo. Aconselho a legalizá-las e guardar em casa e aprender como usar se realmente necessário”. O juiz também critica a falência de alguns órgãos que deveriam combater os crimes.
Fonte:  Jornal Agora
COMENTO:  o desgoverno petista continua pensando que pode enganar a todos por todo o tempo. Usa fatos e argumentos ardilosamente para convencer os cidadãos a se desarmarem. Quando querem falar mal de quem possui armas, falam em milhões de armas, mas quando querem elogiar sua campanha falida de expropriação de armas, duas dezenas de armas (muitas delas velhas e inoperantes ou de fabricação caseira) são mostradas como exemplo de sucesso. E ainda há quem acredite nesses calhordas (e jornais que se prestam a reverberar esse tipo de bobagem, trocando sua credibilidade por algumas migalhas de "verbas de publicidade").

Nenhum comentário: