segunda-feira, 13 de junho de 2011

Ao perdedor, as salsichas?

Por Jorge Serrão
Pergunta de um irônico amigo, dos velhos tempos de Universidade Federal Fluminense, que tem parentes militantes da Defesa dos Direitos Humanos: “Pergunta se a Dilma comia salsicha enquanto esteve presa no DOI-CODI?”. Arrisco responder que não! Esta vergonha de faltar comida nos quartéis é fato comum da Nova República para cá. Talvez porque falte alimento para a tropa, mas tenha muito “melancia” se omitindo, na burrocracia. A vida é assim: ao perdedor, as salsichas.
A chefona-em-comando Dilma Rousseff detestou saber, por seus assessores que leram a barbaridade publicada sexta-feira passada neste Alerta Total, que um senador cobraria do governo uma explicação para a falta de comida para a tropa, forçada a passar fome ou a trabalhar no ilegal e anti-operacional regime de meio-expediente – como se a defesa nacional pudesse ser feita à meia-boca, em meio-turno apenas.
O Alto Comando do Exército ficou ainda mais alarmado com o texto de um Patriota que circulou, entre e-mail e oficiais da ativa e da reserva, especificando onde ocorria o problema de meio-expediente por falta de comida e o lamentável repasto da salsicha. O grave é que os prejudicados são de tropas de elite do EB. Imagina a situação dos “não-elitizados”...
O Patriota escreveu: “Como velho artilheiro, tendo passado pelo Grupo Bandeirante - FEB - G CAN 40, (hoje 20º GACL - Aeromóvel) indignado e constrangido, venho informar ao nobre Compatriota em Mallet, que, por absoluta falta de mantimentos mínimos, foi cancelada a maior solenidade anual do Grupo Bandeirante: A comemoração do Dia da Artilharia. Há duas semanas não tem havido expediente naquela tão importante OM (membro integrante da 12ª Brigada Aeromóvel, uma FARE - Força de Ação Rápida do Exército - subordinada ao COTER), por falta de comida para a tropa. Situação semelhante está afetando o 2º Batalhão de Polícia do Exército - 2º BPE - Osasco, SP - onde há 16 dias não há expediente e a guarda está alimentando-se apenas de salsichas, sem pão, objeto de doações”.
O Patriota acrescentou: “Isto é um verdadeiro crime hediondo contra o Exército Brasileiro, contra os Valores Castrenses, contra os Símbolos Nacionais, contra a Honra, e contra cada um de nós, que, com as devidas limitações individuais, nos esforçamos para difundir e preservar a memória histórica do Exército de Caxias, sua Imagem, sua real importância para a Nação, ultima fronteira viva a proteger a nossa Pátria contra o Crime Organizado Federal e contra a cobiça internacional que nos ameaça”.
A reação ao texto foi um sinal dos tempos de midiotização coletiva que vivemos. Muitos militares ficaram PTs da vida com o Alerta Total e com o Patriota que escreveu tal mensagem na Internet. Deviam ficar PTs da vida com os causadores do “Exército da Fome”. A Dilma ficou PT da vida com o Ministério da Defesa e com o Comando do Exército, por lhe causarem mais este inútil desgaste público – não bastassem o escândalo Palocci, a alta renitente da inflação e as interferências indevidas do milionário palestrante Extalinácio no governo. Ninguém se surpreenda se a guerrilheira Ceci “pedir” para o Peri sair... Ela anda na fase de mexer no time que anda marcando gols contra seu governo.
Mais vergonhosa é a posição dos Generais em relação aos seus Comandados. Está no papel dos inimigos do EB deixar fraca a Força. O problema é se há conivência com eles. Não é justo que os Generais ajam como Samurais em relação à tropa (que deve obedecer calada a tudo de errado que acontece). Também não parece digno o comportamento de gueixas em relação aos poderes superiores. Isto só fica bem para as japonesinhas que estudam e praticam a milenar arte da sedução.
O Exército vive um momento político interno delicado, e os inimigos da Força se aproveitam disto. Ocorre, nos bastidores do Forte Apache, uma clara disputa de poder entre dois grupos. Os Generais das “Forças Especiais” querem tirar do poder a “Turma de Engenharia” – que comanda o EB há muito tempo. Enquanto se desenrola esta briga de Samurai Grande, o Exército da Salvação fica vivendo à míngua, de promessas de recursos, fazendo umas obrinhas aqui, umas missões humanitárias ali, e tudo vai ficando sempre pior que dantes no Quartel do Abrantes.
Quem vai levar a salsicha? Por enquanto, só a tropa – que permanece disciplinada, mas revoltada por dentro. Ninguém se surpreenda se um movimento igual aos dos Bombeiros do Rio de Janeiro pipocar no Exército. Isto não será bom para a frágil democracia brasileira. Se a sociedade não tomar vergonha e discutir o papel fundamental das Forças Armadas para a Nação, vamos todos para o saco de lixo da História.
Aos perdedores, nem as salsichas sobrarão... Aos vencedores, por enquanto, só batatas quentes...
Fonte:  Alerta Total

Nenhum comentário: