terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Despesa falsa põe deputado na cadeia

Por causa de míseros R$ 52 mil, o ex-deputado David Chaytor, do Partido Trabalhista inglês, foi sentenciado, na Grã-Bretanha, a 18 meses de prisão. Havia recebido irregularmente esse valor, como reembolsos irregulares, junto a Câmara dos Comuns. David foi impedido de se candidatar, no último pleito, e acabou expulso do partido. Agora dorme num presídio nos arredores de Londres. O Brasil tem que aprender, diante de exemplos como esse, a lidar com parlamentares corruptos.
Foto: Toby Melville/Reuters
David Chaytor já está na cadeia, o lugar apropriado para todos os políticos corrutos do planeta, inclusive do Brasil
Postado por Toinho de Passira
Fontes: G1, The Sun, Diário de Notícias, Publico, The Telegraph, The Independent, BBC - UK

Não podemos deixar de confessar inveja da Inglaterra, ao tomarmos conhecimento, que o ex-deputado trabalhista David Chaytor, foi encarcerado por 18 meses por ter reivindicado fraudulentamente cerca de £ 20.000 (R$ 52 mil) em despesas, na Câmara dos Comuns (Parece que a corrupção é um genes característico e dominante em todos os deputados trabalhistas do mundo).
Em menos de dois anos, depois da denúncia feita pelo jornal “The Telegraph”, o parlamentar foi para cadeia, depois de ter sido afastado do partido, no mesmo mês da denúncia, e proibido de participar de eleições que se seguiram.
Por ter se confessado culpado e devolvido a grana, pegou apenas 18 meses de prisão, pena considerada pequena, para os padrões locais. Originalmente ele poderia ser condenado a até sete anos de prisão.
Foto: Graham Barclay/Bloomberg
O presídio de Wandsworth, onde recentemente esteve “hospedado” Julian Assange, o homem do WikiLeak, será o novo endereço do deputado ingles David Chaytor, pelos próximos 18 meses

Notar que David não foi julgado no Supremo Tribunal inglês, um juiz singular o pôs no cárcere, sem mais delongas, alegando didaticamente que o delito cometido por ele é "um desrespeito a confiança" que lhe foi atribuída pelos eleitores. Dependendo do seu comportamento David poderá sair da prisão, em seis meses, mas estará sujeito a toque de recolher, coleira eletrônica e restrições nos deslocamentos, como qualquer cidadão britânico condenado.
O pecado de David Chaytor foi ter recebido indenização por serviços de informática, que não haviam sido realizados e reembolso para pagamento de aluguel, de imóveis, que mais tarde se constatou serem pertencentes à sua família.
Foto: David Chaytor/Reuteres
David Chaytor, ao centro, sem apelação e sem clemência, saindo da sala do julgamento em direção ao presídio

Além de David Chaytor espera-se, para muito em breve, o julgamento de outros políticos, também envolvidos em escândalos semelhantes. Ente eles, dois ex-deputados, um atual membro do parlamento e dois membros da Câmara dos Lordes.
O custo do estado britânico com os seus representantes é uma miséria em se comparando com o que despendemos com nossos parlamentares. Por baixo, cada deputado ou senador brasileiro onera os cofres públicos em torno de R$ 100 mil mensais. Estando, nesta conta, incluídos além dos salários dos deputados e senadores, o auxílio moradia, o pagamento de assessores, passagens aéreas, despesas médicas e planos de saúde, inclusive de familiares e os reembolsos, que sozinhos podem totalizar até R$ 32 mil.
Em números redondos um deputado inglês recebe 63.291 mil libras (R$ 17.600,00 por mês), mais os reembolsos de despesas que podem chegar até 24 mil libras anuais (R$ 6.000,00 mensais). Acontece que às despesas de alojamento, viagens, telecomunicações e o pagamento de salários de assessores, são todos de responsabilidades do parlamentar britânico, dentro dessa margem de reembolso.
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Presidenta Dilma Rousseff empossa como ministro do Turismo, o deputado Pedro Novais, o velhinho tarado do PMDB do Maranhão

No Brasil, a partir de 1º de fevereiro cada parlamentar receberá só de salário, R$ 24 mil, o equivalente ao que o parlamentar inglês recebe para pagar todas as despesas.
Por outro lado, os nossos deputados nunca, ou quase nunca são punidos, mesmo quando cometem atos semelhantes aos de David Chaytor e são descobertos. Nem precisa ir muito longe: basta lembrar que há pouco mais de um mês, o deputado Pedro Novais (PMDB-MA), foi flagrado recebendo, por conta da "verba indenizatória", um reembolso de R$ 2.156,00, referente a uma orgia para 15 casais, no Motel Caribe, em São Luís, Maranhão.
Descoberto pelo Jornal o Estado de São Paulo, disse que havia sido um engano, pagou o dinheiro que tentara afanar e em seguida foi nomeado sem maiores embaraços, Ministro do turismo, na Pocilga Ministerial de Dilma Rousseff.
Querem mais? O Presidente do Parlamento britânico, Michael Martin, no cargo desde 2000, no mesmo mês em que se descobriu o escândalo dos ressarcimentos irregulares dos deputados, renunciou por estar sendo acusado de não ter sido suficientemente diligente para impedir as falcatruas dos colegas parlamentares.
Foto: Reuters
No Brasil, o deputado Michel Temer, presidia recentemente a Câmara dos deputados, quando estourou o escândalo das passagens aéreas. Houve de tudo, deputado vendendo passagens, patrocinando viagens de turística pelo Brasil e exterior para familiares, amantes e correligionários. Até o próprio Michel Temer acabou envolvido na farra aérea. Pois bem, ao invés de renunciar e ser responsabilizado, o Michel brasileiro tornou-se vice-presidente do Brasil. No dia da posse ainda apareceu desafiador e orgulhoso pilotando o seu avião particular.
Veja o que já foi publicado no “thepassiranews” sobre o escândalo do Parlamento inglês:

Reino Unido: Deputados corruptos não têm perdão
Michael Martin renunciou já Michel Temer...


Nenhum comentário: