quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Outro golpe contra a narcoquadrilha colombiana

O ataque que as Forças Militares Colombianas efetuaram na madrugada de domingo contra a Frente 48 das FARC, na região de San Miguel, em Putumayo, não só se considera como o primeiro grande golpe do atual Governo contra a guerrilha, mas também permitiu dar com o paradeiro de um dos chefes e ideólogos mais antigos das FARC.
Isto foi confirmado pelo Diretor da Policia, General Óscar Naranjo, ao informar que entre os 27 guerrilheiros abatidos no bombardeio ao acampamento da Frente 48 das FARC em Putumayo estava Sixto Antonio Cabana Guillén, vulgo "Domingo Biojó", antigo chefe subversivo e um dos 50 guerrilheiros mais procurados pelas autoridades da Colômbia e dos Estados Unidos.
Ao lado de "Biojó" também caiu María Victoria Hinojosa, apelidada de "Lucero", que dirigia a emissora clandestina Voz de la Resistencia do grupo guerrilheiro. Consta que ela foi companheira sentimental de Simón Trinidad, atualmente preso nos E.U.
"Podemos confirmar que alias "Domingo Biojó" foi abatido no bombardeio do amanhecer de domingo no município de San Miguel (...) tinha 55 anos, passou a metade de sua vida (25 anos) nas filas das Farc ", assegurou o General Naranjo.
O Presidente Juan Manuel Santos destacou ontem (20/9), este golpe às FARC. "¡Não vamos descansar um só segundo até que consigamos derrotar o terrorismo! (...)".
O Chefe de Estado acrescentou que com este tipo de operações se demonstra que "sim é possível uma Colômbia em paz e sem guerrilha, ¡pela razão ou pela força!".
Além da mulher e de "Domingo Biojó", também foram abatidos os criminosos conhecidos como "Pitufo", "Caballo" e "Segundo Cuellar".

Ataque conjunto: a fórmula
A Operação Fortaleza II se desenhou sob a conhecida, porém efetiva, fórmula de operações conjuntas das Forças Militares.
O Ministro da Defesa explicou à imprensa que após o bombardeio ao acampamento das FARC, Comandos Jungla (Combatentes de Selva) e tropas do Exército assaltaram o esconderijo atacado. Ali, além dos corpos dos subversivos, apreenderam 17 fuzis, material de guerra e computadores portáteis.
O objetivo da operação conjunta foi o mesmo grupo ao qual as autoridades atribuem o ataque há nove dias contra a Policia em Puerto Colón, na mesma região, onde morreram oito policiais.
O Diretor da Policia, General Óscar Naranjo, anunciou que serão pagas recompensas a pessoas que contribuíram com informação para localizar o acampamento guerrilheiro.
As autoridades militares informaram que os Comandos Jungla da Policia e o Exército continuam os operativos militares na zona, em busca de outros possíveis guerrilheiros mortos.

Ideólogo e o Plano Equador
O Diretor da Policia lembrou que em 2000 Cabana Guillén fue designado como membro do Comite de Negociações, durante os diálogos de paz de Caguán.
"Domingo Biojó", segundo Naranjo, era "amigo pessoal" do extinto chefe guerrilheiro "Raúl Reyes", asim como dos chefetes "Iván Márquez" e "Joaquín Gómez", dois dos sete membros do secretariado.
Cabana Guillén tinha três ordens de captura e uma "circular vermelha" da Interpol, e fazia parte dos 50 chefetes das FARC acusados nos E.U. por terrorismo e narcotráfico.
Informes de Inteligência da Policia dão conta que, depois de integrar por mais de 15 anos o bloco Caribe das FARC e após os frustrados diálogos em Caguán, "Domingo Biojó" foi encarregado por "Raúl Reyes" do chamado Plano Equador, consistente em buscar apoio político e social naquele país.
Para cumprir esse papel de "ideólogo", segundo as fontes policiais, com documentos falsos em nome de Telésforo Piedra Labanda, Cabana Guillén se movia com certa facilidade no Equador.
As autoridades também lhe atribuem, junto a "Joaquín Gómez", comandar o ataque guerrilheiro, em 31 de agosto de 1996, à base militar de Las Delicias, onde morreram uns 30 militares e outros 60 foram sequestrados.
O ministro da Defesa, Rodrigo Rivera, informou, também, que "Domingo Biojó" planejou o ataque guerrilheiro à população de Puerto Colón (Putumayo), no qual foram assassinados 8 carabineiros, em 10 de setembro passado. Rivera indicou, ainda, que no local do bombardeio foram localizados três acampamentos, que albergavam uns 60 guerrilheiros sob o comando de "Danilo", chefe da Frente 48 das FARC.
Fonte: tradução livre de El Colombiano
COMENTO: algumas fotos sobre o ataque ao acampamento dos bandoleiros podem ser vistas clicando AQUI.

Nenhum comentário: