quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Olhem Como Anda a Liberdade de Imprensa "Neçepaíz".

Texto 1.
"Senhores: a Brigada matou e prendeu bandidos em Porto Alegre.
Este sábado foi um dia de boas notícias para os gaúchos que não suportam mais a insegurança produzida pelos bandidos diante da inação policial e da “boa vontade” (leis permissivas) dos juízes.
A maioria dos leitores (leia manifestações a seguir) disseram que estavam de alma lavada e devem isto a um policial aposentado e a dois grupos diferentes de homens da Brigada Militar.
1) No bairro Santana, um policial aposentado, sexta de madrugada, baleou um bandido que ameaçava sua filha, surrou-o e algemou-o na grade da casa.
2) Neste sábado foi ainda melhor, porque a Brigada matou três criminosos e feriu outros três. E tudo num espaço de apenas uma hora e meia, entre 10h30m e 12.
O primeiro entrevero foi no Jardim do Lago, onde três jovens ladrões assaltaram uma família, tomaram o pai como refém e tirotearam com os brigadianos, até serem mortos e presos. O outro caso foi na Bento, em Porto Alegre. Aqui, os bandidos assaltaram dois minimercados na Lomba do Pinheiro. Eles foram mortos e feridos.
A governadora Yeda Crusius contratou e botou mais 3.200 brigadianos nas ruas (eles já estão nas ruas) e reequipou toda a Brigada. O que estava faltando era isto que ocorreu agora: matar, prender e mostrar a força aos bandidos do RS".
(Publicado no www.polibiobraga.com.br em 16 de janeiro de 2010)

Texto 2
“DOUTORES” PROCESSAM POLÍBIO BRAGA!!
O Ministério Público do RS resolveu processar o jornalista Políbio Braga porque considerou um texto dele “criminoso”, por “apologia ao crime”. No seu site, Políbio informou que dona Yeda contratou 3.200 brigadianos e reequipou toda a Brigada.
O jornalista, que também é advogado impetrou, em causa própria, na última terça, dia 24, habeas corpus no STF com o objetivo de trancar a ação penal.
Opiniões
Rogério Mendelski: Sempre pensei que apologia ao crime fosse o contrário, ou seja: a gente noticiar que os bandidos mataram um comerciante, roubaram o caixa e fugiram. Quer apologia melhor entre a gurizada que está na dúvida em estudar, ser assaltante ou traficante? E eu falo dessa gurizada que a tevê mostra todos os dias, sem identificá-los, que trabalham como mulas e se exibem portando armamento pesado.
Depois de te ler, fui à janela e fiquei vigiando o meu jardim. Por que é sempre assim: primeiro, o jardim, depois o cão, depois o pé na porta, depois arrancam a nossa voz. É o poema aquele...
João Garcia: Andei escrevendo para o jornal da minha terra, Arroio Grande, o Correio do Sul Regional, um semanário, sobre a Última Fronteira, elogio ao Poder Judiciário e merecido. Porém, acho que às vezes um ou outro Promotor Público atravessa o samba e neste caso do Polibio, foi quase um desabafo de quem vive com medo. O estilo do Políbio é assim. Tem sido processado e o admiro por isso, mas não me arriscaria a ser processado quando aqueles que ele defende não se manifestam. O Políbio precisa da nossa indignação e o Ministério Público, tão importante à sociedade não pode nos meter medo quando falamos do nosso sentimento. Porque assim derrubam nossa fronteira entre a barbárie e a cidadania.
Eduardo Martinez Vasconcellos: Excelente o texto do Políbio, disse tudo. Eu como já fui assaltado duas vezes num espaço de 30 dias sei o que é isso. Quero ver os magistrados no dia que forem assaltados continuarem a pensar que os bandidos são bonzinhos.
ISTO É UMA POUCA VERGONHA!!
Pior do que o processo é o silêncio das entidades que deveriam estar ao lado dos jornalistas.
Fonte: Blog do Prévidi - 01/09/2010
COMENTO: o jornalista processado esclarece que sua defesa é feita pelo "advogado Leudo Costa. A primeira audiência ocorreu na quinta-feira na 2ª Vara do Juizado Especial Criminal". Com essa ação, os 'procuradores' gaúchos parecem andar com poucos problemas para se preocuparem. Que tal se 'procurassem' os líderes da turba que quase agrediu o Promotor Gilberto Thums em evento na UCS. Gilberto Thums é aquele Promotor que tentou a dissolução do MST com farta documentação e argumentos jurídicos sólidos e bem embasados. Mas parece que só os 'direitos dus manu' podem ser defendidos por esses paladinos da justiça. E o pior de tudo, onde já se viu elogiar uma ação do pessoal da Brigada Militar (PM gaúcha), ainda mais sob o governo de Yeda Crusius!!
.

Nenhum comentário: