sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Junto a 'Mono Jojoy', também pode ter ido 'Romaña'

As autoridades confirmaram que na Operação "Sodoma" realizada contra as FARC na Serra de La Macarena, no departamento de Meta, também pode ter sido abatido Henry Castellanos Garzón, vulgo "Romaña".
A ação conjunta das Forças Militares, realizada entre 20 e 22 de setembro,  de acordo com o Presidente da República, Juan Manuel Santos, contou com mais de 700 agentes os quais estiveram respaldados por 30 aviões e 27 helicópteros.
Alias "Romaña" faz parte do  Estado Maior do Bloco Oriental das FARC e era o encarregado de dirigir os anéis de segurança de "Jorge Briceño" ou "Mono Jojoy".
Ele ingressou nas FARC na década dos anos 80 após fazer parte das milícias urbanas do grupo guerrilheiro.
É acusado de diversos fatos violentos, um deles o assalto ao município de Mitú, Vaupés, onde foram assassinados 16 policiais e mais de 40 sequestrados. Também lhe são atribuídos múltiplos sequestros em Meta e Cundinamarca. É considerado, ainda, o responsável pelos primeiros sequestros massivos, conhecidos no país como "pescas milagrosas".
"Romaña", faz parte da Frente 53, e está relacionado com delitos de narcotráfico, tendo participado na elaboração da política de comercialização de drogas pelo grupo à margem da lei, pelo que Estados Unidos oferecem uma recompensa de até 2,5 milhões de dólares por informação que permita sua captura.
A Fiscalía da Nação têm abertos 70 processos contra ele por delitos relacionados com sequestro, terrorismo, narcotráfico e homicídio
Seis meses de Inteligência permitiram operação contra "Mono Jojoy"
A decisão do bombardeio foi tomada pelo Presidente da República, Juan Manuel Santos,  na tarde de segunda-feira. Já havia passado seis meses de trabalhos de Inteligência que permitiram às Forças Militares e da Policia preparar a "Operação Sodoma", que chegou ao "covil" de Júlio Suárez Rojas, mais conhecido como "Jorge Briceño Suárez" ou "Mono Jojoy".
Foram 38 aeronaves da Força Aérea entre Tucanos, Kfir e helicópteros artilhados e outras 34 aeronaves do Exército em que foram  transportados entre 700 e 800 homens até o lugar conhecido como La Escalera, na Serra de La Macarena, Meta.
Ali, "Mono Jojoy", um dos sete principais integrantes do Secretariado das FARC, tinha um acampamento de cerca de 300 metros e se escondia em um ‘bunker’ de concreto com túneis e áreas de escape para burlar a ofensiva da Força Pública. O sitio servia de guarida ao guerrilheiro que esteve nas FARC durante 42 anos.
Mais de 50 bombas
Na terça-feira iniciaram as ações. Mais de 50 bombas dirigidas por coordenadas impactaram a região sob vigilância, se estima, por mais de 600 homens. Na quarta-feira, por volta das cinco da manhã começaram os combates. Foram nove, confirmou o Ministro da Defesa, Rodrigo Rivera Salazar.
Na madrugada de quinta, já quando o pessoal da Força-Tarefa Conjunta Omega e da Equipe Jungla da Policia haviam entrado na área, se pode estabelecer que "Mono Jojoy" havia morrido no que, sem dúvidas, é o maior golpe contra o coração das FARC.
"Podemos confirmar que com esta operação chegamos à mãe de todos os acampamentos das FARC", disse Rivera, que minutos antes havia sido recebido com aplausos nas instalações do Ministério da Defesa.
"Demos um dos golpes mais fortes na história da Colômbia contra essa organização. (...) seguimos na ofensiva, a consigna segue sendo apertar, apertar e apertar, e creio que é um dia de glória, de júbilo aos colombianos e damos Graças a Deus porque nos abençoou com a vitória", acrescentou.
Não são intocáveis
Por sua parte, o Comandante do Exército, Major General Alejandro Navas, assegurou que "antes eles se acreditavam intocáveis, esta é uma demonstração de que não são".
Para o êxito da operação foi indispensável a cooperação de estruturas próximas a "Mono Jojoy". "As FARC  estão se desmoronando por dentro. Os próprios membros dessa organização narcoterrorista se dão conta de que não tem sentido perseverar em prejudicar aos colombianos e menos ainda seguir com terrorismo e com o narcotrafico", asseverou o Ministro Rivera.
O chefe da carteira da Defesa destacou o heroísmo dos militares que participaram na operação que uniu as forças de todas as unidades militares. "É um resultado de coordenação com o Exército, a Infantaria da Marinha, a Força Aérea, a Policia Nacional, desdobrados na zona e de um grupo especializado de todas as Forças Militares e de Policia".
ATUALIZAÇÃO DE 25 SET 2010:
O Instituto Nacional de Medicina Legal confirmou na tarde de ontem (24/9) que um dos cadáveres trazidos a Bogotá na noite de quinta-feira desde a zona de La Macarena corresponde a Víctor Julio Suárez Rojas, identificado com a Cédula de Cidadania 17.708.695. Essa era uma das identidades falsas do guerrilheiro.
Também foram identificados outros três guerrilheiros, duas mulheres e um homem, dentre os outros seis corpos que foram retirados do local onde foi bombardeado um dos principais acampamentos das FARC.
Os outros identificados são Gilma Espinosa, com Cédula 40.272.555, nascida em 17 de maio de 1978 em Mesetas, Meta, onde foi expedido o documento.
A outra mulher é Ana Ruth Montoya Vargas, com Cédula 30.080.524, nascida em 3 de janeiro de 1972 em Villavicencio.
O homem trata-se de  Héctor Sandoval Durán, com Cédula 17.571.079, nascido em Contratación, Santander, em 21 de junho de 1980.
Nas instalaciones de Medicina Legal repousam outros três cadáveres sem identificação, de uma mulher e dois homens, também mortos no bombardeio.
Ainda não há confirmação da morte de Henry Castellanos Garzón, o "Romaña"
Fonte:  tradução livre da Edição Especial de El Colombiano

Nenhum comentário: