domingo, 5 de setembro de 2010

E o "Boca Podre" Acha Que 'Los Cumpañerus' Não São Terroristas

Medellín - 3 de setembro de 2010
As últimas 48 horas foram adversas para as Forças Militares e Policia com a morte de 14 Policiais em uma emboscada atribuida às FARC em Caquetá, e de outros quatro militares em Nariño e Norte de Santander.
Na noite de 2 de setembro, as autoridades confirmaram que na zona rural de El Doncello (Caquetá) morreram 14 policiais como consequencia de uma emboscada ocorrida na quarta-feira à noite na região de Manguare, atribuída a guerrilheiros das FARC.
Segundo as primeiras informações, uma patrulha da Policia que se movia entre os povoados de Doncello e Rionegro na noite de quarta-feira foi atingida pela explosão de uma carga explosiva. O Governador de Caquetá, Edilberto Ramón Endo, informou horas depois que "o veículo resultou incinerado, cinco policiais morreram e três resultaram feridos".
Porém, ontem (2/9), as autoridades que se deslocaram até o local do ataque descobriram que os mortos eram na realidade 14 policiais.
Eles eram membros de um Esquadrão Móvel de Carabineiros e morreram na noite de quarta-feira quando os cinco veículos em que se deslocavam caíram em um campo minado instalado pelas FARC.
Outros sete carabineiros ficaram feridos no primeiro veículo, o que recebeu o maior impacto das explosões. Eles já foram trasladados a hospitais de Florencia e Bogotá.
Como evidencia da magnitude das explosões que impactaram os veículos da Policia, na trilha onde ocorreu a emboscada ficaram varias crateras de até um metro de profundidade e o dobro de diametro.
"Havia uns policiais que estavam abrigados por causa do ataque e quando os encontramos verificamos que os mortos eram 14", declarou o diretor dos Carabineiros, General Santiago Parra Rubiano.
"Após terem entrado em um campo minado, foram assassinados com 'tiros de misericórdia' e depois molhados com gasolina. É um ato de barbarie das FARC contra a Força Pública, porém estes fatos reforçam a disposição para desarticular a todos os geradores de violencia", disse.
Os patrulheiros mortos eram oriundos do Vale de Cauca, Cundinamarca, Costa Atlántica, Tolima e Caquetá.
Estas são as identidades dos uniformados mortos: Orlando de la Rosa Rivas, Luis Alberto Rodríguez Corrales, Odair Berrío Salcedo, Edwin Caviedes Argote, Carlos Alfonso Salamanca, Armando Sánchez Mina, Arjey Molano Arias, Édison Muñoz Vásquez, Luis Alberto Sánchez Chaparro, Alexander Muñoz Márquez, Nelson Octavio Orozco Velandia, Jhon Fredy Arboleda Correa, Carlos Montiel Arango e Óscar Iván Pinzón.

Outros quatro uniformados

As más noticias para as Forças Militares continuaram na quinta-feira, um dia depois da emboscada em Caquetá, quando quatro militares morreram em ataques do EPL e do ELN em Nariño e Norte de Santander.
Na vereda Los Milagros, em Ábrego (Norte de Santander), dois soldados perderam a vida e um resultou ferido ao cairem em um campo minado instalado por remanescentes do EPL.
O outro ataque sucedeu na vía entre Ricaurte e Mallaba (Nariño), onde morreram os soldados Javier Cáceres Fonseca e Javier Enríquez Torres, quando atendiam denuncias sobre supostos explosivos abandonados. Quatro militares resultaron feridos neste fato atribuído ao ELN.

Recompensa de 500 milhões de pesos por "Wílmer"

O presidente da República Juan Manuel Santos Calderón ofereceu uma recompensa de até 500 milhões de pesos (cerca de 500 mil reais) por informação que permita capturar o chefe da frente 15 das FARC, vulgo "Wilmer", apontado como mandante da emboscada em El Doncello.
"Este ataque terrorista foi perpetrado pela frente 15 das FARC, cujo cabeça é um tal de "Wílmer", e por isso estamos oferecendo uma recompensa de 500 milhões de pesos a quem nos de informação para encontrar este terrorista que tanto dano está causando à populacão e ao país", afirmou o Mandatario.
Após condenar o ataque e a sevicia dos policiais, que foram emboscados, assassinados e tiveram seus corpos queimados, Santos reiterou que a ordem dada aos altos comandos militares é a de "arrochar, arrochar e arrochar" a ofensiva.
O presidente Santos revelou também que as autoridades tinham informação de que as FARC planejavam um atentado contra a Força Pública e que os policiais emboscados estavam em tarefas de verificação dessa informação.

Abatidos 15 guerrilheiros

Além do Conselho de Segurança realizado ontem em Caquetá, o Governo Nacional informou que 15 guerrilheiros do ELN morreram em um bombardeio da Força Aérea a um acampamento insurgente na zona rural do municipio de Saravena, em Arauca.
O ataque se realizou às cinco da manhã no local conhecido como Altos de Satoca, com seis aviões, entre eles um Super Tucano, afirmou à agencia AP, o General Javier Fernández, Comandante da VIII Divisão de Exército.
O oficial confirmou que uns 200 militares entraram no acampamemto após o bombardeio e ontem estavam evacuando os corpos para o municipio de Arauca.

» Contexto
Caquetá, zona onde se vive o conflito
Caquetá é um dos departamentos do país onde se concentra a ofensiva das Forças Militares contra as FARC, que mantém uma forte presença na selvática região. No local da emboscada há concentração da frente 15 e da coluna Teófilo Forero das FARC, além de áreas cultivadas com folhas de coca.
O último fato grave na zona, antes da emboscada de quarta feira passada, ocorreu em 31 de julho deste ano, quando cinco policiais e um militar morreram em uma emboscada na localidade de Solita. Outro antecedente de atentados das FARC foi o sequestro e assassinato do governador de Caquetá, Luis Francisco Cuéllar, em 21 de dezembro de 2009.
COMENTO: e por aqui, enquanto um cretino disfarça e se diz crítico de métodos violentos para alcançar o poder, o seu aspone para besteiras internacionais coloca todo o povo brasileiro na ridícula situação "neutro" a respeito dos narcobandoleiros colombianos. O patife não sabe que ainda há brasileiros decentes que sabem distinguir criminalidade de luta política.

Um comentário:

Esperança disse...

Emboscada de Lula, Chávez e Correa ao presidente Santos

http://www.heitordepaola.com/publicacoes_materia.asp?id_artigo=2133