terça-feira, 14 de setembro de 2010

Atentado ou 'Teoria da Conspiração'?

.
Circula na rede uma "estória" sobre um atentado que teria sido perpetrado contra a Promotora Pública paulista Eliana Vendramini (foto), que atua em casos como o desmantelamento dos Bingos e a máfia do DPVAT em Santo André. Também investiga a morte do ex-prefeito Celso Daniel. Três casos que contrariam interesses mafiosos
O fato teria ocorrido há duas semanas e foi noticiado no blog da jornalista Sonia Racy - Direto da Fonte, hospedado no sítio do Estadão.
De acordo com a notícia, um Gol bateu repetidamente na lateral do veículo blindado da promotora, jogando-o contra a guia (meio-fio). Como conseqüência, ela teria perdido o controle do veículo que capotou por três vezes. O causador do acidente teria fugido sem prestar socorro.
As mensagens eletrônicas tratando do assunto chegam a descrever tiros que teriam sido disparados contra a promotora, que teria sido salva por seu carro ser blindado.
Quando se toma conhecimento de algo assim, não se pode deixar de lembrar que o "caso Celso Daniel" já teve sete ou mais mortes suspeitissimas entre pessoas nele envolvidas, que vão desde um dos supostos assassinos do político até um perito criminalístico que teria elaborado um laudo contrariando a tese de 'crime comum', passando por testemunhas arroladas no processo.
Por outro lado, no sítio CMI Brasil, um comentário afirma que a promotora, "Atendida num hospital, foi liberada em seguida. Alguns sites não jornalísticos indicaram estado de choque e de coma para a promotora, mas ela nada sofreu (nenhuma escoriação)".
Não consegui nenhuma fonte confiável que trate sobre o assunto. Também não consegui reencontrar um texto que criticava a "estória", alegando que um carro Gol não teria capacidade de abalroar um veículo blindado como o da promotora e fazê-lo capotar.
Isto me fez lembrar a história de alguns idiotas (o adjetivo, hoje, foi trocado para 'aloprados') que tentaram sequestrar o Cônsul dos EUA em Porto Alegre, em abril de 1970. Eles tentaram abordar o veículo do cônsul, uma enorme SW Plymouth, com um Fusca. O cônsul jogou seu carrão sobre eles, destruindo o VW e ainda atropelando Fernando Pimentel (ex-prefeito de BH e atual candidato a senador em Minas Gerais). Assim, a tese de jogar um Gol contra um veículo blindado pode não parecer tão fora de propósito para alguns incompetentes.
Por enquanto, não há nenhuma confirmação fidedigna do "atentado". O que não significa que não tenha ocorrido
ATUALIZANDO: Coluna do Claudio Humberto - 14 Set 2010

Promotora nega ‘atentado’
A promotora Eliana Faleiros Vendramini, que investiga o caso Celso Daniel, nega que teria sido alvo de “atentado”, em São Paulo, quando seu carro blindado capotou, após um Gol empurrá-la para fora da pista. “Foi uma fechada”, explica. E mais não comenta.
.

Nenhum comentário: