domingo, 8 de agosto de 2010

O Óbvio Deprimente

Nós e um grupelho de deslavados cínicos não questionamos os índices de aceitação da população inzoneira em relação à metamorfose ambulante, nem as pesquisas para as próximas eleições.
Podemos questionar os altos números, a áreas pesquisadas, o tipo de perguntas formuladas, mas não duvidamos de que a galera está com ELE, enquanto dure a sua benemérita gestão.
Os céticos podem duvidar de nossa cretinice, mas ela pode ser explicada, ou melhor, comprovada.
Senão vejamos. Quem lidera as pesquisas para o governo da progressista Alagoas? Adivinhem. Ele, o impávido Collor de Mello. Quem? Ele mesmo, o caçador de marajás.
Se subirmos para o grande Maranhão, como esperado, a Roseana é a preferida. Não importa que a mula manque nem que o Maranhão esteja na M... de sempre, e nem que as parasitas exaurem como sangue-suga um dos mais castigados estados do Brasil. A prova cabal é que a fortuna Sarney aumenta na razão direta da pobreza do estado.
Pulemos para o sul. Lá, quem domina a preferência? O Tarso, é claro. Parece que as diatribes de sua vigência no Ministério da Justiça, quando a Policia Federal pintou e bordou, as suas questionáveis ações na extradição dos cubanos, sua esdrúxula posição no caso Battisti, o incentivo pessoal e explícito para desvirtuar a Lei da Anistia, todas as intrigas listadas e muitas mais, mostram que estamos diante de um mau-caráter profissional e, portanto, nada a estranhar sua liderança nas pesquisas.
Vamos para o RJ onde a vexaminosa visão de um governador escandalosamente bêbado, enrolando a língua num terrível inglês, no Estado onde não existe bala perdida, pois elas sempre encontram um inocente útil para alojar-se, pois lá, na terra dos malandros e sambistas, quem lidera as pesquisas? Ele, o loquaz e descarado Cabral.
Podemos percorrer o País de norte a sul, de leste a oeste, e sempre, chegaremos à conclusão de que o brasileiro é de uma obviedade ululante (deprimente?). A preferência nacional por crápulas e corruptos, pelos vivos e pelos incomuns é escandalosa.
Lembram-se do Severino? Aquele monumento de ilibada honestidade? Já faz tempo, mas depois do tsunami de acusações sobre sua incompreendida pessoa, foi eleito e está prestigiado pela metamorfose, que o aponta como uma pobre vitima das “forças que estão contra o desgoverno”. Como é que pode? Podendo.
Na capital da corrupção, no epicentro da esbórnia, quem lidera a preferência popular? Quem? A resposta é uma só. Basta olhar para trás e verificar quem patrocinou um trem de bandalhas durante suas diversas gestões no governo do DF, para responder a uma só voz - o Roriz.
Por tudo, pelo muito que não foi dito, mas sinalizado, eu e meus realistas amigos, afirmamos, nós acreditamos nas pesquisas, mesmo que distorcidas.
A Dilma não fala “coisa com coisa”? Foi ou não foi guerrilheira? Dependendo da platéia, foi. Noutras, foi só um pouquinho. Assim, neste vai não vai, atiçando o lado sacana, conivente e complacente do nativo, busca atrair a simpatia popular. E para enriquecer o seu currículo, teve alguma participação no roubo do cofre do Adhemar? Agregou expertises não conquistadas em seu currículo? Assinou sem ler seu programa de Governo? Sim, mas quem não cometeu este pequeno tipo de deslize? Quem não deu uma palmada num filho (a)?
Eis um esboço da Dilma, que tem tudo para dar certo nesta terrinha, assim como ELE.
Pois é, aqui, em se enganado, enrolando, ludibriando e mentindo, tudo dá, inclusive, o aval popular.
Brasília, DF, 05 de agosto de 2010
Gen Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira
Fonte: Grupo Guararapes,
citado no Blog do Cel Lício
COMENTO: já fui admoestado por amigos, mais de uma vez, que é muito agressivo o termo que uso às vezes referindo-me à "sociedade brasileira" como "povinho de merda". Lendo o texto acima, não há como não concordar plenamente com o seu autor. E aí, não sei qual outro termo posso usar para qualificar os tais 84% da população que aplaudem o safado que se faz de apedeuta, mas na realidade é um safado friamente calculista que sabe como engabelar esse povão todo. De que adianta "lei de ficha-limpa", ou outros meios legais para coibir safadezas que, ao final, são manipulados pelos "legisladores" (vide a mudança no tempo verbal da nova lei, feita "inocentemente", que permite uma sucessão de recursos judiciais por parte dos canalhas candidatos a se perpetuarem em cargos públicos)? A legislação mal feita de propósito faz com que existam diferentes interpretações nas várias instâncias do poder judiciário - vide os casos das candidaturas de Joaquim Roriz e Jader Barbalho, que receberam decisões diferentes em procedimentos idênticos - minando a crença de que haja justiça "neçepaíz" e prolongando processos em que os envolvidos possam pagar bons advogados até a prescrição dos ilícitos cometidos. Pode haver um bom futuro para um país habitado por gente dessa espécie? Não há outra opção, este é um país habitado por um povinho de merda mesmo!!
.

Um comentário:

Esperança disse...

POVINHO
(Kamarada Mederovsk)

Somos um povinho de merda, deveríamos, isso sim, é levantar bandeiras e parar tudo por conta do cotidiano derramar de "obras" dos políticos locais ou por uma votação dirigida por pulhas no congresso, ou talvez, por conta da cassação de uma corrupta pseudo- liderança; parar e levantar bandeiras por alguma atitude cívica cidadã, ainda haveria algum sentido.Mas, não.

Nós os merdas brazucas paramos prá ver a bosta da seleção.

Perdemos toda uma tarde prá ver vinte e dois merdas correndo atrás de uma bola.

Cremos que tudo está por acontecer, quando já está tudo comprado e arranjado, somos definitivamente uns crentes, uns coiós, uns tolos.

Paramos prá ver um bando de fubangos idolatrados, estrangeiros, que ganham milhões e jogam mal, paramos por merda.

Hasteamos bandeira por merda e na hora errada.

Soltamos rojões por bosta nenhuma enquanto os políticos filhos da puta comem seu salário suado.

Cretinamo-nos todos, ouvindo e assistindo o bosta da globo.

Um monte de merda de impostos nas costas, que bovinamente recolhemos para a merda do erário, e veja, são quase quarenta por cento do que suadamente ganhamos.

Enquanto os ladrões soltam rojões, nós, otários, burros, babamos pra ver selecinha ganhar de um timinho de merda.

Meigamente esquecemos todas as mazelas que assolam esse país.
Só prá lembrar: mais de 12 milhões de entes sofrem de uma tal insegurança alimentar, o novo nome e o termo petistóide inventado, para falar de FOME no governilho de Lullainácio.

Se liga mermão! Grite ou morra ou vá fazer compras no xóping.

Pátria de chuteiras é o fiofó da rôla, somos uma pátria de idiotas.

Dá licença,vou tomar uns litros de água de melissa.
http://www.oquintopoder.com.br/denuncia/ed128_I.php