sábado, 31 de julho de 2010

É extorsão na "cara dura"

Tem 17 linhas em corpo 12 a carta que o coordenador financeiro da Campanha Dilma Presidente 2010 enviou a empresários gaúchos cinco dias antes da chegada de Lula ao RS.
. A carta é assinada pelo ex-prefeito de Diadema, José de Fillipi Júnior.
. É pedido de dinheiro para a campanha de Dilma Roussef.
. O editor nunca viu nada semelhante em campanha alguma.
. Não se trata de uma carta-circular, porque o ex-prefeito de Diadema usa um tom bem customizado, já que se refere a investidas anteriores que fez aos mesmos empresários para os quais dirigiu o novo pedido de dinheiro. Em alguns casos, ele cobra ajuda de maneira bastante brusca: "- Naquele momento (em 2006), sua empresa não aceitou o convite para contribuir com nossa campanha... contribuir ... é uma ação de cidadania corporativa."
. O coordenador da campanha de Dilma diz que a doação pode ser feita por DOC ou TED diretamente na conta da campanha.
Fonte: Políbio Braga
COMENTO: em outras palavras, "você está na nossa lista dos que 'não colaboram', trate de limpar sua barra ou...."

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O Banheiro do Papa e a Copa do Mundo em 2014

Tenho medo que a Copa do Mundo que se realizará no Brasil em 2014, torne-se mais um Banheiro do Papa.
Quem não viu o filme “O Banheiro do Papa” não entendeu nada do que eu disse, por isso vou primeiro contar um pouco sobre o filme.
O filme foi realizado em Melo no Uruguai e conta sobre os dias anteriores da chegada do Papa João Paulo II na cidade em maio de 1988. Expectativas frustradas e grande desilusão dos seus habitantes.
Emissoras de rádio, jornais e televisão, meses antes da visita começam anunciar que o pequeno vilarejo seria invadido por mais de 50.000 fiéis, sendo a grande maioria formada por brasileiros que buscariam no discurso que o pontífice faria sobre a importância do trabalho, sua consagração na fé.
Os moradores, ao invés de dar as boas vindas ao Papa, vêem nesta avalanche de fiéis clientes em potencial para os mais variados tipos de comércio.
Rádio e televisão anunciavam todos os dias que iria faltar, pão, água, todo o tipo de comida para tanta gente e que esta seria uma oportunidade ímpar para a população de Melo ganhar muito dinheiro.
Beto é um “bagayero”, que com sua bicicleta troca os mais variados itens na fronteira. Diariamente, ele percorre exaustivos 120 km até a fronteira. Embora não muito entusiasmado com a visita do Papa, eventualmente tem uma idéia para ganhar dinheiro com os visitantes. Beto irá construir um banheiro em frente à sua casa, situada à uma quadra da Esplanada de La Concordia, e cobrará uma “taxa de uso”.
Carmen e Sílvia, sua esposa e filha, não acreditam muito nas empreitadas de Beto, entretanto, concordam que, na pior das hipóteses, a família no final teria um banheiro novinho.
O filme de Patrick Siaretta e Hugo Kovenski e Francisco Salomon chega ao fim com Beto desapontado e sem dinheiro algum, o que nos deixa numa angustia só, o vendo carregando uma latrina contrabandeada do Brasil, ora na bicicleta que quebra, ora no ombro suado e ainda, perseguido por um policial, que é uma mistura de fiscal aduaneiro com inspetor de polícia corrupto.
Assim o Papa chega em Melo. Até os dias de hoje, a data simboliza a maior calamidade econômica na memória dos habitantes do vilarejo. A comida e a bebida não foram consumidas e, portanto foram doadas ou simplesmente desperdiçadas e jogadas ao porcos.
Para a Copa do Mundo que se realizará em 2014 em vários Estados brasileiro, também a imprensa vem criando uma grande expectativa de lucro em vários seguimentos. Muitos pensam vender tudo que tem, largar emprego, pegar dinheiro no banco, para comprarem casebres pertos dos estádios de futebol e lá montarem o negócio redentor de suas vidas para atender aos mais de 400.000 fanáticos torcedores que com seus dólares virão ao Brasil.
Na internet sites e blog, anunciam que 12 serão as cidades sedes dos jogos da Copa de 2014 no Brasil e que muitos trabalhos de artesanato podem servir de um atrativo a mais, não só para as cidades sede, mas sim como para o Brasil todo.
Cuidado, para que não aconteça como aconteceu com a população de Melo em o filme “O Banheiro do Papa”.
Fonte: Blog do Dirceo Stona
COMENTÁRIO do jornalista Jorge Serrão, do Alerta Total: "Foram divulgadas ontem as regras para a tão esperada desoneração de tributos para as empresas que construírem e reformarem estádios daqui até 2014.
A iniciativa, que será publicada hoje em um Medida Provisória (MP) assinada por El Rey $talinácio, prevê uma renúncia fiscal de R$ 350 milhões no período, dos quais R$ 35 milhões somente neste ano.
A medida tem por objetivo agilizar o andamento dos projetos e garantir que as obras serão entregues a tempo da próxima Copa.
Ou sejam se haverá renúncia fiscal de um lado, e o governo passa a gastar mais por outro, já se sabe quem vai arcar com o final da conta que não bate: o otário do contribuinte pagador de elevados impostos."

quinta-feira, 29 de julho de 2010

A OEA CONTRA A COLÔMBIA

Graça Salgueiro comenta o domínio que o Foro de São Paulo exerce sobre a OEA e apresenta mais uma prova da aliança do PT com as Farc no Foro de São Paulo: uma declaração do Partido Comunista da Catalunha.

No último dia 22 a Assembléia Permanente da OEA reuniu-se extraordinariamente, a pedido da Colômbia, para denunciar a Venezuela de abrigar em seu território 1.500 terroristas das FARC e ELN, além de mais de 80 acampamentos fixos. O embaixador colombiano ante a OEA, Luis Alfonso Hoyos, apresentou provas em fotos, vídeos, mapas, depoimentos de desmobilizados, além de correspondências comprometedoras encontradas em computadores de guerrilheiros abatidos (vejam mais detalhes aqui). Ao finalizar sua exposição, Hoyos disse que não se tratava de uma "guerra política" mas que seu país apenas desejava a cooperação da Venezuela no combate ao narco-terrorismo, sugerindo que se criasse uma comissão internacional para visitar os locais assinalados e averiguar se procediam as acusações.
As provas são insofismáveis e fartas, entretanto, o embaixador venezuelano ante esse organismo, Roy Chaderton, não tendo como contra-argumentar limitou-se ao deboche, ao escárnio, afirmando que nada daquele material constitua-se de provas e que foram "montagens" feitas pelos militares colombianos. Ato contínuo, Chávez oficializou o rompimento de relações diplomáticas com a Colômbia, o que, a meu juízo e de todos os analistas sérios, ele apenas confirmou o que se denunciava sobre ele. Se de fato as denúncias eram improcedentes, qualquer pessoa naquela situação mais que depressa ofereceria o local à visitação a fim de se livrar da acusação.
Durante a sessão, como era de se esperar, os países membros da ALBA defenderam a Venezuela, o Brasil não se manifestou publicamente mas apóia Chávez, e os países de quem se esperava um apoio mais efetivo por partilharem da mesma política (Peru, México, Estados Unidos, Costa Rica, Panamá, Chile, El Salvador e Canadá), limitaram-se a repetir que "só com o diálogo" se poderia resolver essa questão tão delicada. Ora, se até os países aliados caíram nesse conto idiota do "diálogo" em vez de uma ação afetiva e uma rigorosa sanção contra a Venezuela, não vejo muita esperança de que a proposta da Colômbia obtenha grandes resultados.
O porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, J. P. Crowley, afirmou hoje (24.07) que seu país apóia a criação de uma comissão de investigação, acrescentando:
"Cremos que a Venezuela tem a responsabilidade de responder com celeridade à importante informação apresentada ontem pela Colômbia. Acreditamos que seria útil a participação internacional nessa investigação que pode ser feita por várias vias". E concluiu enfático: "Esperamos uma resposta mais construtiva da Venezuela a esta reunião de ontem, porém, se a Venezuela não coopera, os Estados Unidos e outros países tomarão nota disto".
Caracas, por sua vez, rechaça as acusações e a possibilidade dessa comissão internacional visitar seu território com essa finalidade. O que piora as coisas é que, segundo as normas da OEA, só se pode enviar uma comissão desta natureza se o país a ser visitado concordar.
Todos lamentaram o rompimento das relações diplomáticas anunciada por Chávez mas não houve um só país a cobrar de Chávez o rompimento com os bandos narco-terroristas, pois este foi o objetivo precípuo da solicitação colombiana. Faltou contundência e coragem de todos os países para enfrentar Chávez de cabeça erguida. É como se todos temessem os arroubos despóticos deste ditador golpista e ficassem colocando panos mornos.
Ao mesmo tempo, no Brasil, o candidato a vice-presidente de José Serra, Índio da Costa, resolveu jogar no ventilador as ligações arqui-conhecidas do PT com as FARC, sendo em seguida endossado pelo próprio Serra. Como em 2002, quando ameaçou Boris Casoy, Lula voltou a engrossar a voz afirmando que "nem mesmo Serra acredita nessas tolices".
Entretanto, em matéria publicada hoje pelo jornal ABC da Espanha, Lula disse o seguinte:
"As pessoas podem não gostar do PT, podem ter divergências com o PT, porém acreditar que o PT tem nexos com as FARC é não conhecer a história do Foro de São Paulo, que coordenamos por mais de dez anos e no qual as FARC nunca tiveram participação".
Lula sempre negou a existência do Foro de São Paulo mas agora ele já existe e foi presidido pelo PT. Entretanto, a farsa de que as FARC nunca foram parte desta organização criminosa persiste. Será mesmo? Então leiam o que disse sobre o Encontro de 2008, que ocorreu em Montevidéu, o site do Partido Comunista Catalão, referindo-se aos participantes mais antigos e fundadores:
"A Frente Ampla, anfitriã deste evento, é fundadora do Foro de São Paulo junto com o Partido dos Trabalhadores do Brasil (seu promotor), a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FFFMLN), as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC),... e outras organizações de esquerda latino-americanas".
O Secretário-Geral da OEA, José Miguel Insulza, pertence ao Partido Comunista chileno, que é membro do Foro de São Paulo, assim como o PT de Lula e o PSUV de Chávez. Por isso a OEA não fará nada contra seus aliados e em favor da Colômbia.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Revelada a Farsa das Nações Indígenas


por Carlos Chagas
Era para ter sido manchete de seis colunas na primeira página, com direito a editorial, entrevistas variadas e repercussão imediata no Congresso. Infelizmente, a matéria ganhou um pé-de-página no final do noticiário político, aliás, página 17. Dirão uns estar o Congresso de recesso. Outros, que a sucessão presidencial prende muito mais as atenções.
Mesmo assim, louve-se a Folha de S. Paulo, que em sua edição de domingo, publicou pequena reportagem informando a existência de um relatório entregue pela ABIN à presidência da República, dando conta de que governos estrangeiros, ONGs e o Conselho Indígena estimulam a criação de um “estado independente” em Roraima, com autonomia política, administrativa e judiciária. Trata-se da Reserva Indígena Raposa\Serra do Sol, onde há alguns anos cidadãos brasileiros só entram com a aprovação de ONGs alienígenas, região da qual foram expulsos fazendeiros plantadores de arroz.
A acusação não partiu de aventureiros, de grileiros ou de garimpeiros interessados em explorar aquele território entregue aos índios, 46% do estado de Roraima. Deveu-se à Agência Brasileira de Inteligência, instituição respeitada até por haver desfeito os erros e abusos de seu antecessor, o SNI.
A constatação é gravíssima, aqui e ali já denunciada especulativamente, mas agora inequívoca por sua origem. O relatório encontra-se no Gabinete de Segurança Institucional, funcionando no palácio do Planalto e diretamente subordinado ao presidente da República. Não pode ser descartado nem engavetado. Pelo contrário, deveria ser distribuído aos ministérios da Defesa, Relações Exteriores, Justiça e ao Congresso, para providências. Acima de tudo, porém, para conhecimento da opinião pública e das entidades da sociedade civil, como CNBB, OAB, ABI e congêneres.
O que se pretende em Roraima, com óbvia participação de governos estrangeiros e ONGs financiadas por multinacionais, é incrementar a escalada em curso: de reserva indígena passou-se a território autônomo, agora para estado independente e, logo, para nação soberana. Melhor dizendo, nações, porque são várias as reservas indígenas espalhadas pela Amazônia, quase sempre na fronteira. Uma organização internacional qualquer poderá encarregar-se de reconhecê-las, no devido tempo, como repúblicas soberanas.
Índios com PHD na Holanda ou nos Estados Unidos seriam “presidentes”, as diversas etnias formariam os “partidos políticos” e enviariam representantes para o “Legislativo”, a “Suprema Corte” e penduricalhos.
O mais importante nessa farsa é que as “nações indígenas”, sem recursos, celebrariam convênios com as nações ricas e obsequiosas, encarregadas de prover o seu desenvolvimento através de contratos de concessão para exploração do subsolo rico em minerais nobres, do nióbio ao urânio. Sem esquecer a biodiversidade. Conseqüência natural seria que os “irmãos do Norte” cuidassem também da defesa dessas nações, contribuindo com suas forças armadas.
Até pouco, nem governos nem elites nacionais davam atenção aos poucos alertas divulgados, fosse por ignorância, soberba ou más intenções. A partir de agora, não dá mais para empurrar a sujeira embaixo do tapete, risco tão óbvio quando abominável. Com a palavra o presidente Lula.
COMENTO: aos que acham que o texto é um exagero, é só lembrar o problema separatista da Chechênia, onde a violência se impôs à diplomacia e a recente decisão da ONU de reconhecer a independência do Kosovo, contestada por diversos países-membros. Ainda na Ásia, temos o conflito entre a Rússia e a Georgia, com o seu desdobramento: Abecásia e Ossétia do Sul.
.

terça-feira, 27 de julho de 2010

País da corrupção e da impunidade‏

Qual a diferença que existe entre um jovem irresponsável, filho de uma celebridade que brinca de skate dentro de um túnel interditado e proibido para pedestres e outro jovem não menos irresponsável que também viola um bloqueio, desobedecendo uma ordem de interdição de transito e vai trafegar com seu carro por um lugar proibido e atropela o skatista desobediente que estava brincando onde não devia.
Qual a diferença desses dois para um pai ou uma mãe que nem sabe onde os filhos estão.
Qual a diferença destes para um policial que pede suborno para ficar cego e um pai que aceita suborná-lo?
Qual a diferença de todos os acima para um vice-presidente que se omite de reconhecer a própria filha ou um
um presidente da república que também escarnece do poder judiciário (em letras minúsculas mesmo) e também desobedece as leis por várias vezes somente por se achar que é autoridade e pode tudo.
Quem está certo ou errado nessa história toda?
Se tem alguém certo,
o que leva certas pessoas a defenderem esses tipos ilegais e ilícitos?
Será que
é por dinheiro ou devido à certeza de que por aqui no país da impunidade qualquer um pode tudo, a começar pelo presidente da república?
Será que ao invés de dizerem “Tenho orgulho de ser brasileiro” não seria mais verdadeiro e real estarem dizendo “Tenho orgulho de viver num país sem leis e da impunidade absoluta”.
Aliás, seria um ótimo mote de campanha.
Tomem vergonha na cara senhores celebridades e autoridades de merda, se não tiveram pai nem mãe para educá-los, agora paguem o preço, não reclamem, não chorem e parem de procurar culpados.
Olhem no espelho e vejam que os culpados estão mais perto do que vocês imaginam.
O que é, estão procurando um “mordomo” para assumir a culpa a troco de uns tostões?
Porque vendem a alma ao diabo, acham que podem comprar qualquer um? Acham que todos são iguais a vocês e suas camarilhas?
Vão educar seus filhos para serem íntegros e honestos porque
a natureza cobra e quando a corrupção explode, ela leva culpados e inocentes para a mesma vala. Infelizmente. Brasil, País da impunidade.
Edson Vergilio
Sorocaba - SP

O Pior Cego é Aquele Que Não Quer Ver

Assista o vídeo!
Faça uma análise crítica e depois, com um mínimo de responsabilidade cívica, tome a decisão quanto ao Brasil que pretende deixar para seus filhos e netos.
Afinal, AINDA estamos vivendo em um país MAIS OU MENOS democrático...
Se o povo brasileiro bobear, e continuar fingindo que não vê as mazelas petistas, a ala aloprada do PT vai acabar conseguindo "cubanizar" o Brasil, transformando-o em mais uma daquelas mentirosas "DEMOCRACIAS SOCIALISTAS", inventada na Rússia, em 1917, e "exportada" para diversos outros países, quase sempre pela força, tal como aconteceu em Cuba.

COMENTO: esse resquício do sistema que destruiu a antiga URSS vive de saudades e mentiras. A mesma mentira usada por Fidel para obter apoio para a sua Revolução, ao dizer que não era comunista ou marxista. A mesma mentira usada pelo Mico Mandante venezuelano antes de se eleger pela primeira vez, negando qualquer intenção ditatorial ou de promover limitações à imprensa ou à oposição. O que vemos em Cuba? O que vemos na Venezuela? Será que é isso o que será legado às próximas gerações brasileiras? Ou seguiremos os bons exemplos que nos foram dados pelos povos da Colômbia e de Honduras?
.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

O Covarde e Sanguinário "Heroi" do Presidente

por Hiram Reis e Silva
(...) assusta o Tenente no acordar sangrando, com a mão na chaga, olhar de espanto no Bezerra, que supunha colega de farda, com a mão esquerda o afaga e com a outra, a golpeada. No peito, profunda dor. Dor da ferida e da alma agredida por outro soldado pela Pátria adestrado, a serviço da nação comunista. Covarde, traidor. Não tem nome melhor o sanguinário matador.
(Ernesto Caruso)
‘Lulla’ recebeu esta semana, em Salvador, a Grã-Cruz da Ordem Dois de Julho - Libertadores da Bahia e, na oportunidade, homenageou alguns ‘heróis brasileiros’, citando o nome do facínora Gregório Bezerra, como se este crápula pudesse ser considerado um deles. ‘Lulla’ afirmou que alguns ‘heróis nacionais’ foram relegados ao ostracismo, considerados bandidos e que é preciso resgatar suas ‘histórias de lutas’. Criticou, ainda, o tratamento que se dá a esses personagens, considerados como vítimas, quando deveriam ser tratados como heróis e complementou dizendo que isso se tratava de um equívoco histórico.
O equívoco não é da história, mas da ‘companheirada’ que, como ‘elle’, acha que assassinar brasileiros indefesos, ainda dormindo, pode ser considerado um ato heróico. No mundo real ‘Lulla’, esses bandidos seriam condenados por homicídio triplamente qualificado pela covardia, crueldade e torpeza de motivos.
Gregório Bezerra Trajetória de um Assassino
O ex-sargento do Exército, Gregório Bezerra, nasceu no Sítio Mocós, em Panelas de Miranda, em 13 de março de 1900. A 06 de agosto de 1917, participou em Recife de uma passeata que reivindicava melhores salários e se solidarizava ao movimento bolchevique soviético. Bezerra é preso, julgado.
Mais tarde, no Recife, em 1923, ingressa no Exército, sendo transferido para o Rio de Janeiro. Em 1927, faz o curso de Sargento de Infantaria. Como segundo-sargento, é designado Instrutor da Companhia de Metralhadoras Pesadas na Vila Militar, no Rio de Janeiro e logo em seguida, pede transferência para o Recife. Em janeiro de 1930, filia-se ao Partido Comunista Brasileiro - PCB passando a “organizar a massa militar na caserna”. Em 1935 era um dos líderes do movimento armado Aliança Nacional Libertadora (ANL).
.
Intentona Comunista de 1935
por Carlos Alberto Brilhante Ustra
O Sargento Gregório Bezerra assassina, covardemente, o Tenente José Sampaio, que estava dormindo, e fere o Tenente Agnaldo Oliveira de Almeida, antes de ser subjugado e preso.
(...) Em Pernambuco, o movimento teve início dia 24 de novembro, pela manhã, quando um sargento, comandando um grupo de civis, invadiu a Cadeia Pública e roubou o armamento dos policiais. No Centro de Preparação de Oficiais da Reserva, o sargento Gregório Bezerra, na tentativa de roubar o armamento do quartel, feriu o Tenente Aguinaldo Oliveira de Almeida e assassinou o Tenente José SAMPAIO Xavier. Os revoltosos tentaram tomar o Quartel General da 7ª Região Militar e outras unidades do Exército, mas, não o conseguiram porque a antecipação do movimento em Natal prejudicou a surpresa e colocou a guarnição Federal em alerta.
(...) A reação partiu do 29º Batalhão de Caçadores (29ºBC), em Socorro, a 18 km de Recife, auxiliado pelas Forças Federais de Alagoas e Paraíba e pela Polícia Militar de Pernambuco. Esse foi o mais sangrento de todos os levantes. O número de mortos chegou a algumas centenas. O historiador Glauco Carneiro em Histórias das Revoluções Brasileiras, volume II, página 424, escreveu:
“... dos três levantes comunistas de 1935, foi o de Pernambuco o mais sangrento, recolhendo-se 720 mortos só na operação na frente de Recife.”
Em 26 de novembro, o Presidente Vargas, ciente da gravidade da situação, decretou o estado de sítio em todo o País, após autorização do Congresso Nacional. (...)
No Rio de Janeiro, no 3º Regimento de Infantaria (3ºRI), na Praia Vermelha, o Capitão Agildo Barata Ribeiro, que estava preso no Quartel, auxiliado pelo Tenente Francisco Antônio Leivas Otero, aliciara inúmeros militares, formando uma célula comunista entre os oficiais e praças da unidade. Portanto, foi fácil para eles iniciar a rebelião na hora marcada. Às duas horas da manhã, apagaram-se as luzes. A escuridão favoreceu os amotinados que, assim, não podiam ser identificados. O tiroteio foi intenso e alguns militares que se opunham aos comunistas morreram ainda dormindo.
A ação determinada dos Capitães Alexânio Bittencourt e Álvaro da Silva Braga impediu o sucesso comunista no Quartel da Praia Vermelha. Pela manhã do dia 27 de novembro, o 3ºRI estava cercado pelo Batalhão de Guardas (BG), pelo 2º Batalhão de Caçadores (2º BC) e pelo 1º Grupo de Obuses. Às 13 horas, atendendo a uma intimação do General Eurico Gaspar Dutra, os rebeldes se renderam.
O movimento, se vitorioso, teria duas fases. Na primeira, seria organizado um Governo Popular de Coalizão. Na seguinte, viriam os ‘sovietes’, o Exército do Povo e a hegemonia dos comunistas. Derrotados, mudaram o estilo, a técnica e a forma de atuar, mas não se afastaram, jamais, dos seus desígnios de implantar no Brasil um governo marxista-leninista.
Como a direção do PCB não fora atingida, ela continuaria a agir, na clandestinidade e de forma mais cautelosa, visando à instituição de um Governo Popular Nacional Revolucionário. Na Praça General Tibúrcio, na Praia Vermelha, Rio de Janeiro, foi erguido um monumento em homenagem aos mortos pelos comunistas em 27 de novembro de 1935”.
Coronel de Engenharia Hiram Reis e Silva
Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);
Acadêmico da Academia de História Militar Terrestre do Brasil (AHIMTB);
Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS);
Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional
Fonte: Blog do Montedo,
citado no Blog do Cel Lício.
COMENTO: esse é o tipo de "herói" desse crápula e de seus cupinchas. Assassinos sanguinários, assaltantes, terroristas e outros tipos de meliantes que agrediram a sociedade brasileira no século passado, além de ditadores e dirigentes políticos que pretendem perpetuarem-se na direção de países onde a população, igual à nossa, é facilmente manipulável, trocando seu voto e sua liberdade por esmolas governamentais, simples migalhas do "banquete dos usurpadores", como diria a ex-senadora de jeans e camiseta. Atualmente existem no Brasil diversas obras públicas com homenagens ao assassino, morto em 1983: uma ponte em Recife/PE; uma avenida em São Paulo/SP; e ruas em Recife, São Paulo, Cajazeiras/PB, Gama/DF, Diadema/SP e Moreno/PE.
.

domingo, 25 de julho de 2010

O ATENTADO DE GUARARAPES

Em 1966, dois anos depois da Revolução Democrática de 31 de Março, a Nação brasileira empenhava-se em reerguer o País, após o caos dos primeiros anos da década de 60.
Entretanto, uma pequena minoria inconformada, constituída pelos comunistas e pelos corruptos que haviam sido alijados da vida política nacional, procurava reorganizar-se e, de qualquer maneira, expressar seu descontentamento.

Recife, a capital pernambucana, foi a escolhida para ser o cenário inicial de uma nova forma de luta - o terrorismo - que, por muitos anos, viria a ensangüentar e a enlutar a sociedade brasileira.
O 31 de Março de 1966 amanhecia com sol. O povo pernambucano e as autoridades já estavam reunidos no Parque 13 de Maio, aguardando o início das comemorações do segundo ano da Revolução.
Nesse momento, exatamente às 0847h, ocorria violenta explosão no 6º andar do edifício dos Correios e Telégrafos, onde funcionavam os escritórios regionais do SNI e da Agência Nacional.
Ao mesmo tempo, uma segunda explosão atingia a residência do Comandante do IV Exército.
Mais tarde, seria encontrada uma terceira bomba, falhada, num vaso de flores da Câmara Municipal de Recife, onde havia sido realizada uma sessão solene em comemoração à Revolução Democrática.
Três bombas montadas para, num só momento, atingir personalidades e entidades representativas do governo brasileiro. Iniciava-se a guerra suja.
Entretanto, a bomba falhada no legislativo municipal deveria estar incomodando os terroristas e estar sendo vista como um parcial fracasso de execução.
Assim é que, em 20 de Maio de 1966, 50 dias após esse ensaio geral, foram lançadas outras três bombas - dois "coquetéis molotov" e um petardo de dinamite, contra os portões da Assembléia Legislativa de Pernambuco.

A Nação, estarrecida, vislumbrava tempos difíceis que estavam por vir.

Em 25 de Julho de 1966, uma nova (terceira) série de três bombas, com as mesmas características das anteriores, sacode Recife. Uma, na sede da União de Estudantes de Pernambuco, ferindo, com escoriações e queimaduras no rosto e nas mãos, o senhor José Leite, de 72 anos, vítima inocente que passava pelo local. Outra, nos escritórios do Serviço de Informações dos Estados Unidos (USIS), causando, apenas, danos materiais. A terceira bomba, entretanto, acarretando vítimas fatais, passou a ser o marco balizador do início da luta terrorista no Brasil.

Nessa manhã de 25 de julho de 1966, o Marechal Costa e Silva, então candidato à Presidência da República, era esperado por cerca de 300 pessoas que lotavam o Aeroporto Internacional dos Guararapes.

Às 08:30h, poucos minutos antes da previsão de chegada do Marechal, o serviço de som anunciou que, em virtude de pane no avião, ele estava deslocando-se por via terrestre de João Pessoa até Recife e iria, diretamente, para o prédio da SUDENE.

Esse comunicado provocou o início da retirada do público.

O guarda-civil Sebastião Tomaz de Aquino, o "Paraíba", outrora popular jogador de futebol do Santa Cruz, percebeu uma maleta escura abandonada junto à livraria "SODILER", localizada no saguão do aeroporto. Julgando que alguém a havia esquecido, pegou-a para entregá-la no balcão do DAC.

Ocorreu uma forte explosão.
O som ampliado pelo recinto, a fumaça, os estragos produzidos e os gemidos dos feridos provocaram o pânico e a correria do público. Passados os primeiros momentos de pavor, o ato terrorista mostrou um trágico saldo de 17 vítimas.
Morreram o jornalista e secretário do governo de Pernambuco Edson Regis de Carvalho, casado e pai de cinco filhos, com um rombo no abdômen, e o vice-almirante reformado Nelson Gomes Fernandes, com o crânio esfacelado, deixando viúva e dois filhos menores.

O guarda-civil "Paraíba" feriu-se no rosto e nas pernas, o que resultou, alguns meses mais tarde, na amputação de sua perna direita.

O então Tenente-Coronel do Exército, Sylvio Ferreira da Silva, sofreu fratura exposta do ombro esquerdo e amputação traumática de quatro dedos da mão esquerda.
Ficaram, ainda, feridos os advogados Haroldo Collares da Cunha Barreto e Antonio Pedro Morais da Cunha, os funcionários públicos Fernando Ferreira Raposo e Ivancir de Castro, os estudantes José Oliveira Silvestre, Amaro Duarte Dias e Laerte Lafaiete, a professora Anita Ferreira de Carvalho, a comerciária Idalina Maia, o guarda-civil José Severino Pessoa Barreto, o Deputado Federal Luiz de Magalhães Melo e Eunice Gomes de Barros e seu filho, Roberto Gomes de Barros, de apenas seis anos de idade.

O acaso, transferindo o local de chegada do futuro Presidente, impediu que a tragédia fosse maior.
O terrorismo indiscriminado, atingindo pessoas inocentes e, até, mulheres e crianças, mostrou a frieza e o fanatismo de seus executores. Naquela época, no Recife, apenas uma organização subversiva, o Partido Comunista Revolucionário (PCR), defendia a luta armada como forma de tomada do poder. Dois comunistas foram acusados de envolvimento no ato terrorista: um, Edinaldo Miranda de Oliveira, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR) e que, em 1986, era professor de Engenharia Elétrica em Recife, e o outro era Ricardo Zaratini Filho, então militante do PCR e atual assessor parlamentar da liderança do PDT na Câmara Federal.
Durante muito tempo, a esquerda escondeu, enquanto pôde, a autoria desse atentado, chegando a afirmar que teria sido feito pela direita para tentar incriminá-la. Técnica antiga muito usada, até os dias de hoje, pela esquerda.
As autoridades, atônitas, procuravam os autores desses atentados. Não obtinham nenhuma resposta. Não tínhamos, até então, nenhum órgão para combater, com eficiência, o terrorismo.
Foi um comunista, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), que teve a hombridade de denunciar esse crime: Jacob Gorender, em seu livro Combate nas Trevas - edição revista e ampliada - Editora Ática - 1998, escreve sobre o assunto:
Membro da comissão militar e dirigente nacional da AP, Alípio de Freitas encontrava-se em Recife em meados de 1966, quando se anunciou a visita do general Costa e Silva, em campanha farsesca de candidato presidencial pelo partido governista Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Por conta própria Alípio decidiu promover uma aplicação realista dos ensinamentos sobre a técnica de atentados.
Em entrevista concedida a Sérgio Buarque de Gusmão e editada pelo Jornal da República, logo depois da anistia de 1979, Jair Ferreira de Sá revelou a autoria do atentado do Aeroporto de Guararapes por militantes da AP. Entrevista posterior, ao semanário Em Tempo, referiu-se a Raimundinho como um dos participantes da ação. Certamente, trata-se de Raimundo Gonçalves Figueiredo, que se transferiu para a VAR-Palmares (onde usava o nome de guerra Chico) e morreu, a vinte sete de abril de 1971, num tiroteio com policiais do Recife.”
Fica, portanto, esclarecida a autoria do atentado ao Aeroporto de Guararapes:
· Organização responsável: Ação Popular (AP);
· Mentor intelectual: ex-padre Alípio de Freitas - que já atuava nas Ligas Camponesas -, membro da comissão militar e dirigente nacional da AP;
· Executor: Raimundo Gonçalves Figueiredo, militante da AP.

Em 2004, o ex-padre Alípio de Freitas, residente em Lisboa, foi beneficiando por uma indenização fixada pela Comissão de Anistia em R$ 1,09 milhão.
Raimundo Gonçalves Figueiredo é nome de uma rua em Belo Horizonte/MG e sua família também foi indenizada.

Um ano depois do atentado, em 25 Jul 67, foi inaugurada no Aeroporto uma placa de bronze com os seguintes dizeres:
"HOMENAGEM DA CIDADE DO RECIFE AOS QUE TOMBARAM NESTE AEROPORTO DOS GUARARAPES, NO DIA 25 DE JULHO DE 1966, VITIMADOS PELA INSENSATEZ DOS SEUS SEMELHANTES.
- ALMIRANTE NELSON FERNANDES
- JORNALISTA EDSON REGIS
GLORIFICADOS PELO SACRIFÍCIO, SEUS NOMES SERÃO SEMPRE LEMBRADOS RECORDANDO AOS PÓSTEROS O VIOLENTO E TRÁGICO ATENTADO TERRORISTA, PRATICADO À SORRELFA PELOS INIMIGOS DA PÁTRIA."
Não sabemos se essa placa ainda permanece no aeroporto ou foi retirada ou, mesmo, substituída por homenagens aos comunistas.
Hoje, os terroristas daquela época, arvorando-se em "heróis" libertários, afirmam que o que fizeram foi uma reação à "violência" do Governo brasileiro. Intencionalmente, procuram deturpar a História e levar ao esquecimento as vítimas que causaram em sua sanha fratricida, dentre elas, as de 1966.

Passaram-se muitos anos.
Mas as bombas de Recife e o atentado de Guararapes não serão esquecidos.
Fonte: Ternuma
e A Verdade Sufocada
COMENTO: Hoje em dia, os companheiros dos terroristas daquela época ocupam cargos eletivos ou foram nomeados para cargos "de confiança" dos eleitos. E tentam manter-se no poder ou em sua proximidade, elegendo-se ou colocando seus aliados em posições privilegiadas na política nacional, com a cumplicidade de um eleitorado ignorante e incapaz de saber o mal que está fazendo aos seus descendentes ao aceitar o jogo sujo desses patifes, trocando seu voto por esmolas apelidadas de "benefícios sociais". Leia mais e veja fotografias de logo após o atentado de Guararapes, clicando em qualquer um dos enlaces das fontes.

sábado, 24 de julho de 2010

José Serra e sua inenarrável vontade de ser amigo do PT

Para vocês, amigos, que não vêem a hora de escolher alguém para fazer oposição a Lula, por estarem cansados de serem podidos mais. Na foto abaixo, Lula confirmando que dá prá fazer:

"O candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, rejeitou nesta quarta-feira (21), em entrevista à TV Brasil, o título de candidato oposicionista ao governo Lula... "Não sou candidato da oposição. Sou do 'pode mais' e 'dá pra fazer'"..." Leia mais
Fonte: Comunismo Nunca Mais
COMENTO: e ainda há gente que acredita em democracia ou existência de oposição nessa ditadura disfarçada que impera "neçepaíz". Já estou pensando que para ajeitar essa merda, só instalando urgentemente a única coisa que funciona bem no comunismo, "El Paredón"!!!

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Colombia Apresentou as Provas da Presença das FARC na Venezuela

.
O embaixador colombiano na OEA, Luis Alfonso Hoyos, apresentou provas de que a Venezuela de Hugo Chávez protege, a apenas 23 quilômetros de sua fronteira, os narcoterroristas das FARC.
"Temos dados e informações de 87 locais onde as FARC e o ELN atuam, mas hoje vamos nos referir apenas a quatro deles", disse Luis Alfonso Hoyos, no início da sua apresentação.
Enquanto a delegação da Colômbia denunciava a inoperância do regime de Chávez e até sugeriu a sua cumplicidade, foram exibidas fotos e vídeos que comprometeriam cada vez mais a Venezuela.
Foi possível observar imagens dos supostos campos das FARC, onde se vê claramente que estão ligados por um caminho, há plantações, um quiosque, cozinha, salas de reunião, etc. "As imagens falam por si, inclusive há estátuas de líderes guerrilheiros", explica ele.
"Na selva colombiana, onde se esconde a narco-guerrilha, estão todos caindo, e acabam na prisão. Lembre-se que na selva, que é o único lugar onde podem se esconder no país, cabem uma Espanha e um Portugal, mesmo assim já não podem mais se esconder. Agora o problema é que, se estas coordenadas que lhes mostramos fossem na Colômbia, teríamos avançado, mas como podem ver, estão na Venezuela ", disse o diplomata.
"Nós já resgatamos meninos que foram recrutados quando tinham 8 anos e agora tem 18, ou seja, 10 anos nessas condições", também afirmou Hoyos.
Como resposta, a Venezuela não permite o acesso de jornalistas às zonas que o governo colombiano mostrou ante a OEA, apesar de serem zonas de fácil acesso.
Antes mesmo do início da reunião extraordinária do Conselho Permanente da OEA, convocado pela Colômbia para denunciar a presença de líderes da guerrilha das FARC e do ELN na Venezuela, a denúncia teve duas consequencias. O governo colombiano convocou para consultas a embaixadora no país vizinho, María Luisa Chiappe.
A funcionária chegou ontem à noite (21/7) a Bogotá para definir as ações a seguir com relação as tensões com a Venezuela.
Ontem foi também conhecida a renúncia do embaixador equatoriano, Francisco Proaño, como presidente da reunião extraordinária do organismo internacional.
O Ministério da Relações Exteriores do Equador não especificou as razões da decisão, tomada na noite de terça-feira. De várias autoridades, soube-se que a renuncia foi devida a pressões da Venezuela para não convocar a sessão especial, um procedimento que cabia a Proaño pela presidência do Conselho de Administração. Tais pressões foram corroboradas pelo chanceler equatoriano Ricardo Patiño.
De acordo com o jornal eletrônico Ecuador Inmediato os problemas começaram na semana passada, quando Proaño recebeu um pedido do embaixador da Colômbia para convocar a reunião.
Com a renuncia de Proaño, seu substituto hoje (22/7) foi o embaixador de El Salvador na OEA, Joaquín Alexánder Maza Martelli, novo presidente do Conselho Permanente, que convocou ontem (21/7), sem titubear, a sessão extraordinária solicitada pela Colômbia.
À noite, o chanceler colombiano Jaime Bermúdez assegurou que o Governo tem informação de que vários países estariam interessados em retardar ou cancelar a sessão extraordinária solicitada pela Colômbia.
Fontes: En Semana.com
e El Colombiano
COMENTO: sem uma resposta convincente, o Mico Mandante decidiu simplesmente romper as relações diplomáticas, outra vez, com a Colômbia. Por sua vez, o "cumpanhêru" equatoriano delegou ao seu chanceler a missão de criticar o Secretário-Geral da OEA por permitir a realização da reunião em que as provas colombianas foram apresentadas. Por aqui, saiu uma "nota" pedindo que o problema seja resolvido diplomaticamente. Isto é, "Top-top" Garcia quer que o problema seja esquecido e tudo continue como dantes. Afinal, se a coisa "esquentar", pode surgir algum dado novo dos computadores de Raul Reyes, envolvendo a ratalhada brasileira.
ATUALIZANDO: vale a pena ler mais e assistir os vídeos do Notalatina!!!!
.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

CORES DO COMUNISMO

Por Arlindo Montenegro
No blog "Movimento Endireitar", Carlos I.S. Azambuja, nos brinda com um excelente trabalho que começa assim: “O conhecimento do que foi o terror comunista pode ajudar muitas pessoas, sobretudo as mais jovens, a entenderem a importância da verdadeira liberdade, sem coletivismos e falácias socialistas, impedindo a repetição de tragédias semelhantes”.
Depois da queda do muro de Berlim, parece que foi combinado propalar que "o comunismo acabou". A mídia internacional omite falar de comunismo, como se fosse um tabú lembrar os crimes da pior e mais execrável experiência de governo. Agora se dizem "socialistas", como se o horror ficasse cor de rosa; se dizem "verdes" para esconder o vermelho das entranhas da melancia; o PT ressuscita o "paz e amor" dos hippies drogados e até se diz democrata.
O PT quer esconder seus vínculos, documentados, com o Foro de São Paulo, com as Farc, com o Sendero Luminoso, com Chávez cujo socialismo bolivariano está desgraçando com a Venezuela, ao ponto de violar o sarcófago de Bolívar apenas para aterrorizar mais a nação vizinha, antes das eleições de setembro em que sairá vencedor, embora com apenas 20% de aprovação dos venezuelanos violentados por milícias treinadas por cubanos e perseguidos pelo serviço secreto dirigido pelo cubano Ramiro Valdez.
Peña Esclusa continua preso. Já foi levado a um "Juiz" de Chávez, para ser indiciado por "terrorismo". A farsa da implantação de explosivos na gaveta da menina de 7 anos foi gravada, mostra o ator e o momento da ação, comprova a manobra insidiosa da ação comunista, para fingir que está agindo "na legalidade".
Pesonalidades e jornais, protestam nas Américas e na Europa, contra a safadeza e a falsidade dos métodos do comunismo bolivariano. No Brasil apenas uma trintena de blogs documentam a verdade. Graça Salgueiro, do Notalatina, é quem documenta e atualiza a safadeza dos cubanos na Venezuela, por ser amiga do casal Esclusa e estar em contato direto com Indira, a esposa de Alejandro, enquanto nossa imprensa, com raras exceções, noticia a versão de Chávez.
Natural! É assim que se impõe a "agitação e propaganda" comunista. E os comunistas devem ser vistos, apontados, como o que são de fato as pessoas que comandam e atuam por seus partidos: PT, PCdoB, PSol, PSB, seus aliados e defensores mascarados de democratas. São todos defensores do PNHD e como há anos vem dizendo Olavo de Carvalho, obedientes às diretrizes do Foro de São Paulo, organização que acoita comunistas do mundo e suas guerrilhas, como as Farc e o Sendero Luminoso .
Por falar em Sendero Luminoso, esta semana tivemos a notícia do Perú, onde aquele grupo maoista, reiniciou as ações violentas. Nos últimos vinte anos, o Sendero matou 69.000 pessoas, sendo que no último ano morreram 50 militares e policiais. No domingo, os narcoterroristas que ocupam a região conhecida como Vrae, onde produzem coca, enfrentaram uma patrulha das Forças Armadas. Ficaram dois guerrilheiros mortos e alguns feridos.
O Perú terá eleições regionais em Outubro e em 2011 começa a campanha eleitoral para a Presidência. Os guerrilheiros, seguindo seus pares das Farc, dominaram o narcotráfico, para manter a provisão de armas, munições e alimentos. É importante para os comunistas, para os cubanos e para seus bolivarianos que o Perú seja mais uma nação conquistada, custe o que custar, para o comunismo latino americano. Alan Garcia que se cuide! Chávez vai agir.
A Colômbia, líder e exemplo para os poucos países que ainda não estão sob o domínio de comunistas nas Américas, denunciou a presença de um acampamento de guerrilheiros das Farc na Venezuela. Há fotos e até depoimentos de militares venezuelanos que sabem da presença dos narcoterroristas das Farc, a 30 km da fronteira com da Colombia. Chávez nega.
As provas vão ser apresentadas à OEA nesta semana. E para engrossar o caldo, repórteres da Colombia, pediram autorização para fazer imagens no municipio de El Nula, onde está o acampamento das FARC. Um pelotão do exército bolivariano os prendeu, transportou em helicoptero para um quartel, incomunicáveis. Os repórteres ficaram sem seu equipamento de trabalho. As câmeras foram confiscadas.
É assim que agem os comunistas. Um histórico primoroso da ação destes psicopatas no Brasil, está disponível no www.notalatina.blogspot.com sob o título: O DOSSIE FARC-PT. É uma leitura essencial, direta, remetendo a documentos postados por Olavo de Carvalho e Diogo Mainardi.
Finalizando fica a notícia dos "socialistas(?)" espanhóis, declarando que "somos todos iguais" e anunciando que o Banco Santander e a Telefônica, faturam mais no Brasil que na Espanha. Por tanto, o "socialismo" no Brasil tem de ser mantido, custe o quanto custar e doa a quem doer.
As cores, as palavras, os filmes, as novelas, as pessoas que consciente ou inadvertidamente apoiam, defendem, militam, assessoram e aprovam o comunismo estão aí, bem do seu lado. Defendem lulas, dilmas, castros, chavez... repetem "palavras de ordem", sabem tudo, são irracionais.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

A Corja e as FARC, Com a Benção de Fidel

.
A corja anda exaltada com o candidato a vice de Serra por ter ele colocado o dedo na ferida podre da petralhada, que todos conhecem mas ninguém dessa oposição de merda que temos no país teve coragem para cutucar. Assim, só para lembrar o Zé Eduardo (que está pensando em processo por danos morais, como se amigo de narcoterrorista tivesse alguma moral para ser danificada), estou republicando (com algumas atualizações minhas) um texto do Blog "A Língua", de outubro de 2007, onde se relatam algumas coisas que a liderança petralha, a exemplo de seu chefe, pode alegar não saber.
As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia foram um dos membros iniciais do Foro de São Paulo. Sua atuação em território brasileiro é vasta (e nefasta). Além de montar bases estratégicas para o tráfico de drogas e armas na selva amazônica, as FARC ensinam táticas de guerrilha urbana para soldados do PCC e Comando Vermelho, em território paraguaio, segundo o juiz federal Odilon de Oliveira. A relação entre PT e FARC é antiga, confira alguns fatos:
* Em 1999 e em 2001, comandantes das FARC foram recebidos em Brasil pelo então governador do Rio Grande do Sul Olívio Dutra (PT). Os líderes das FARC foram honrados e aclamados durante o I Foro Social Mundial. Na ocasião, deputados da assembléia do Estado do Rio Grande do Sul protestaram. Olívio Dutra foi, de 2003 a 2006, Ministro das Cidades do governo Lula.
* Ainda em 2001, no X Foro de São Paulo, uma resolução classifica como ‘terrorismo de estado’ a repressão do governo boliviano às guerrilhas locais (FARC e ELN), e ratifica ainda a “legitimidade, justeza e necessidade da luta” dessas organizações.
* Em 2003, o presidente Lula recebeu carta de felicitação das FARC por sua eleição a presidente.
* Em março de 2005, Veja relatou um encontro entre militantes petistas e representantes das FARC, no qual o ‘padre’ Olivério Medina teria prometido o repasse de cinco milhões de dólares para a campanha eleitoral petista de 2002. O envio do dinheiro não foi comprovado. A revista faz alusão ao início do relacionamento entre petistas e as FARC, mas esquece de citar o nome da entidade: mais uma vez, Foro de São Paulo. As FARC, assim como o PT, foi uma das organizações fundadoras do evento.
* Em agosto de 2005, a Polícia Federal prendeu Olivério Medina, representante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). Sua prisão foi a pedido do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Ele atendeu uma solicitação do governo da Colômbia que acusa Medina de homicídio e terrorismo, além de suas ligações com as FARC.
* Em setembro de 2005, integrantes do PT, PSOL, PCB, PCdoB e UNE se mobilizaram para evitar a extradição para a Colômbia de Francisco Antonio Cadenas Collazzos, conhecido como “Olivério Medina.
* Em julho de 2006, o Comitê Nacional para Refugiados reconheceu a condição de refugiado político para o colombiano Francisco Antonio Cadena Colazzos, conhecido como "Olivério Medina".
* Em dezembro de 2006, o presidente Lula recebeu carta de felicitação das FARC por sua reeleição a presidente.
* Em março de 2007, o STF (Supremo Tribunal Federal) negou o pedido do governo colombiano de extradição do ex-padre Olivério Medina, integrante das FARC, arquivou o processo contra ele e revogou a sua prisão domiciliar. Em abril, as FARC enviaram uma carta ao governo Lula congratulando-o e agradecendo pela decisão.

Já o Midia Sem Máscara não deixou por menos:
...................
Ainda há mais. Como a nomeação da esposa do pseudo-padre articulador das FARC Olivério Medina, para uma "boquinha" na Secretaria Especial de Agricultura e Pesca, a pedido de Dilma Roussef. Saiu na Gazeta do Povo:
A Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, órgão do governo federal com status de ministério, emprega desde 2006, em um cargo de confiança, a paranaense Ângela Maria Slongo, mulher do ex-guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) Francisco Antônio Cadenas Collazzos, conhecido como Oliverio Medina. Ela também é, desde 1986, professora concursada da Secretaria de Educação do Paraná e foi cedida pelo governo do estado ao órgão federal em 2006 - num pedido feito pela ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, ao governador Roberto Requião.
Acusado de homicídio e terrorismo na Colômbia, Medina viveu em prisão domiciliar em Brasília entre 2005 e março do ano passado, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) extinguiu o pedido de extradição para o país vizinho.

(Gazeta do Povo)
Reinaldo Azevedo também escreveu artigo relembrando de alguns desses fatos, e tem mais informações por aí. Elenquei algumas, dando ênfase aos veículos de comunicação bem conhecidos da patuléia, para não aparecer nenhum bobalhão dizendo que se trata de mais uma "teoria da conspiração".
Sabe como é. Estamos lidando com brasileiros. Gente que vota em tucanos e petistas.
Fonte: Midia Sem Máscara
COMENTO: também há a histérica reação de Marco Aurélio Boca Podre e do Megalonanico, por ocasião do ajuste de contas de Raul Reyes e o Capeta nas selvas equatorianas, acusando a Colômbia de crime internacional. Histeria mais do que justificada pelo temor do que havia nos computadores do narcoterrorista morto, e que, no que diz respeito ao Brasil, provavelmente a Colômbia evitou divulgar o conteúdo completo. Enfim, a última frase de Edson Camargo, no texto do MSM resume toda a tragédia "deçepaíz"!
.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Verdades dos abusos da frente 47 das FARC

De nada serviram o esforço e as súplicas da mãe à chefe guerrilheira nas três vezes que se arriscou nas montanhas de Argelia e Nariño (Antioquia) em busca de sua filha recrutada à força pelas FARC. "Não insista companheira, já te disse que não a vou entregar", lhe respondeu secamente a guerrilheira conhecida como "Karina".
A resposta da temida comandante da Frente 47 das FARC se cumpriu e ainda que tenha tentado resgata-la, Viviana nunca mais voltou a ver sua filha V.C.P.M., de 13 anos, sequestrada em 17 de janeiro de 2000 no parque de Argelia por três milicianos.
A mulher relatou à Fiscalía que, após o rapto, três vezes foi em busca dos acampamentos da Frente 47 em Argelia e Nariño, sem conseguir que lhe permitissem sequer falar com sua filha adolescente.
Este ano, uma década depois do rapto da jovem, Viviana Carmenza, sua mãe, soube a verdade pela boca de Elda Neyis Mosquera, vulgo "Karina", a mesma que por três vezes se negou a devolver sua filha. Durante uma audiência ante o Fiscal 29 de Justiça e Paz, a ex chefe guerrilheira confesou que a menina foi fuzilada por "desobediência".
Agora, a mãe da adolescente assassinada só espera que Mosquera confesse onde enterraram o corpo.
Este homicidio é um dos 214 delitos confessados até agora por "Karina" em Justiça e Paz. Além dela, começaram a declarar outros 18 desmobilizados daquela Frente.
Segundo os fiscais, os testemunhos dos ex guerrilheiros desmobilizados revelam não só delitos de lesa humanidade contra a população civil, mas também crimes de guerra.
Muitos destes fatos foram cometidos durante 14 ataques contra populações em que "Karina" reconheceu que participou, como as tomadas de Arboleda, Nariño, Granada, Monte Bonito, Monte Zuma, Mutatá, Valencia, Riosucio e Caicedo, em Antioquia, Caldas e Chocó.
Recrutamentos e assassinatos
As confissões tem demonstrado que o recrutamento de menores foi uma pratica sistemática da Frente 47 no Oriente antioqueño. Só "Karina" confessou o recrutamento de 108 crianças, entre 1998 e 2004.
Porém como no caso da menina V.C.P.M., muitos desses menores estão mortos porque foram fuzilados ou morreram em combates. A Fiscalía está dependendo de localizar as fossas para exumá-las.
A ex chefe subversiva já reconheceu 80 fuzilamentos, muitos deles de menores, por "desobediência", por ser "infiltrados" e até por "desmoralização".
As atrocidades também começam a ser conhecidas. Uma delas foi confessada em 28 de maio passado. Em audiência "Karina" declarou que em abril de 2004 um médico chegou ao acampamento da Frente na vereda San Andrés para dar um curso de enfermagem, para isso, sugeriu conseguir um cadáver fresco ou o corpo de um animal. Em vez disso, relatou "Karina", ordenaram "trazer um habitante da vereda San Pedro, um senhor Omar". Duas guerrilheiras menores de idade o assassinaram e com seu corpo simularam uma necrópsia.
De acordo com outro desmobilizado, nas tomadas a populações, os guerrilheiros violaram mulheres. "Isso ocorría, porém ninguém falava disso", disse em seu depoimento.
Um dos crimes de guerra que os fiscais atribuem à Frente 47 foi confessado por "Karina", que reconheceu que na tomada de Arboleda fuzilaram a oito policiais, os quais tinham se rendido ao acabar suas munições.
Outros fatos que chamam a atenção por serem condutas menos conhecidas da guerrilha são o deslocamento forçado e o despojo de bens. "'Nódier', segundo em mando da Frente, confessou que se apropriaram de sítios no Oriente antioqueño após despejar seus donos. Uma delas foi uma finca panelera (granja produtora de rapadura) que, segundo "Nódier", foi "entregue a um miliciano para que trabalhasse com outros guerrilheiros".
O despojo incluía o roubo de gado. Também haviam escriturado sítios e casas para guerrilheiros e colaboradores.
A denuncia desta prática e a "ajuda logística" por parte de um alcalde (prefeito) de Samaná (Caldas), denunciada por um Procurador, conduziu ao assassinato deste, declarou Leonardo Marín, vulgo "Leo", chefe de milicias em Nariño.
Os desmobilizados da Frente 47 começam também a revelar supostos vínculos com funcionários e dirigentes políticos, cuja veracidade a Fiscalía deverá investigar. "Nódier" e "Garganta" declararam que se aliaram com dirigentes no Oriente antioqueño e em Caldas, os quais lhes permitiam fazer proselitismo em troca de ajudar a guerrilha com contratos, provisões e alimentos. Os desmobilizados se referiram a um sequestro massivo de vereadores, que segundo eles foi apresentado assim para encobrir uma reunião para definir apoios para as FARC.
Começam a revelar-se as verdades e crimes da Frente 47 das FARC. Porém as vítimas, em especial as mais de 10.000 registradas no Oriente antioqueño, ainda não assistem nem participam decididamente no processo contra os ex guerrilheiros. "Uns tem ainda medo e outros não tem a suficiente informação ou o dinheiro para deslocar-se desde as veredas até as salas de audiencias", sustenta uma líder das vítimas da zona.

» Contexto
Uma Frente em extinção
A Frente 47 foi uma das estruturas mais fortes das FARC em Antioquia, onde chegou a ter uns 250 guerrilheiros em 2002. O grupo semeou o terror no Oriente antioqueño com tomadas de povoados, homicidios, explosões de torres, extorsões e centenas de sequestros e 'pescas milagrosas' (sequestros-relâmpagos) na autopista Medellín-Bogotá. Porém a ofensiva da Força Pública, as mortes em combate e dezenas de deserções dizimaram esta Frente, que hoje está quase extinta.
Segundo fontes militares, após a captura em março passado, em Granada, do vulgo "Moncholo", chefe da Frente, ao grupo restavam cerca de 10 guerrilheiros, que terminaram absorvidos pela nona Frente.

» Os desmobilizados
Hernán García, vulgo "Nódier" - foi segundo em mando da Frente 47 das FARC
Este mês começaram as audiências de Hernán García Giraldo, vulgo "Nódier", segundo em mando da Frente 47 e condenado a 20 anos de prisão pela morte de 23 pessoas na tomada de Argelia, em dezembro de 2000. Ele disse que confessará assassinatos, vínculos com autoridades e indicará localizações de fossas com restos.

Leonardo Quintero, vulgo "Leo" - chefe de milicias da Frente 47 das FARC
Vulgo "Leo" foi chefe de milicias da Frente 47 em Nariño e Puerto Venus. Em suas versões confessou assassinatos de pessoas asinaladas como delinquentes e colaboradores da Força Pública, de um total de uns 50 homicidios que reconheceu até agora. Disse que indicará as localizações de seis fossas.

Marco F. Giraldo, "Garganta" - Mando medio da Frente 47 das FARC
Após a desmobilização de "Karina" este ex guerrilheiro chegou a ser segundo em mando da Frente 47 das FARC. Mencionou vínculos de funcionarios como alcaldes e concejales (vereadores) com o grupo armado ilegal, os quais lhes permitía fazer proselitismo em troca de ajudar a guerrilha.
Fonte: tradução livre de El Colombiano
COMENTO: essa é parte das "ações insurgentes" dos aliados do PT no Foro de São Paulo e que nosso desgoverno se recusa a qualificar como bandidos. Espero que os meliantes aqui citados apodreçam nas masmorras até o fim de suas podres vidas. Notícias como esta não se vê na nossa grande imprensa, comprada com as verbas públicas que deveriam ser destinadas a obras de infra-estrutura pelo país a fora. Nos resta a esperança de que o novo Presidente colombiano dê seguimento às ações de Álvaro Uribe e que consiga desbaratar totalmente esse bando de desqualificados, para o lamento dos seus admiradores brasileiros, particularmente os deficientes dentais.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Indio da Costa para presidente do Brasil

Amigo, depois que o vice chutou o pau oco da barraca, quem quer saber de Serra? Serra? Será que há? Será que não há? Índio da Costa para presidente. Vamos à matéria:
Da Folha Assinantes:
Vice de Serra liga o PT a guerrilha e narcotráfico
Indio fez ataques em entrevista a portal do PSDB, que retirou vídeo do ar
Deputado chama Dilma de "esfinge do pau oco" e diz que ela pode dar "chute" em Lula para se aliar a mensaleiros
BERNARDO MELLO FRANCO DE SÃO PAULO
Candidato a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB), o deputado Indio da Costa (DEM-RJ) radicalizou o embate com o PT e acusou o partido de ligação com o narcotráfico e guerrilheiros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Ele fez os ataques em entrevista a usuários do portal "Mobiliza PSDB", que integra o aparato da campanha tucana na internet. "Todo mundo sabe que o PT é ligado às Farc, ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso", afirmou Indio, que começou o bate-papo pedindo perguntas "picantes" aos internautas. O vice também mirou na adversária Dilma Rousseff (PT). Disse que, se eleita, ela pode dar um "chute no Lula" para governar com petistas acusados de envolvimento no escândalo do mensalão. "Quem nos garante que no dia seguinte à eleição ela não vai fazer o que no Brasil é comum entre criatura e criador? Dá um chute no Lula e vai governar sozinha, com as garras do PT por trás dela." "Em janeiro, se a Dilma é eleita, o Lula volta para casa. Mas o PT fica com todos aqueles mensaleiros. O Lula tem poder sobre eles, mas eles têm muito poder sobre a Dilma", continuou Indio. As declarações foram transmitidas ao vivo na noite de sexta-feira, enquanto Dilma participava de comício no Rio. Ontem, o vídeo sumiu da página tucana. Na capa do "Mobiliza PSDB", a única referência ao vice de Serra era uma chamada publicada no último dia 2, sobre sua participação nas mídias sociais.
Após atacar o PT, o deputado contou que, em visita a Cuba, tentou provocar autoridades da ilha circulando com uma revista que associava o partido às Farc. "Ia para tudo que era canto com ela debaixo do braço. Até queria ser preso, para ver como é que era lá em Cuba essa história que tanto falam. Mas é um horror aquilo. Vocês não podem imaginar. Coitado do cubano", disse. Em março de 2005, a revista "Veja" disse ter tido acesso a dossiê da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) que relataria o envio de US$ 5 milhões das Farc para o PT na campanha de 2002. O partido negou a acusação, que nunca foi comprovada. Depois da entrevista, Indio fez novos ataques a Dilma no Twitter, onde se referiu à candidata como "ateia" e "esfinge do pau oco". Ele reagiu à declaração da petista de que seu vice - o deputado Michel Temer (PMDB-SP) - não foi improvisado e "não caiu do céu". "Para uma ateia, deve ser duro ter um adversário que cai do céu", escreveu, por volta de 0h de sábado. Ainda na madrugada, o vice de Serra usou o microblog para acusar Dilma de "dissimular sobre religião". "Ela nem consegue olhar nos olhos do eleitor. Esfínge [sic] do pau oco", atacou. Os comentários foram republicados por dezenas de internautas pró e contra Dilma. Petistas acusaram o deputado de "apelar" e baixar o nível do debate eleitoral. A candidata não quis comentar as declarações, segundo sua assessoria. Ela tem se apresentado na campanha como católica. Em sabatina na Folha em 2007, disse não ter certeza sobre a existência de Deus: "Eu me equilibro nessa questão. Será que há? Será que não há?"
Fonte: Comunismo Nunca Mais
COMENTO: é como tenho escrito. PT e PSDB são as duas faces da mesma moeda. Serra entrou nesse embate com a missão de perder. Até por que não fascina a ninguém, segurar o pepino que será a economia brasileira após as eleições. Dilma não é tão incompetente como quer deixar transparecer em suas poucas aparições públicas. É difícil definir qual é o menos motivado por votos nessa eleição. Se o PT, com sua candidata empurrada goela abaixo da militância por Luiz Inácio, ou se o PSDB com a candidatura de Serra, tão vibrante que não conseguiu um candidato a vice em seu próprio partido, e ainda se recusa a agir como se oposição fosse. É nítido o "corpo mole" do ramo envernizado da erva daninha comunista. Lamentavelmente o Democratas, que poderia muito bem lançar candidatura própria, com um verdadeiro discurso de oposição, deixou-se abater pelas "cagadas" de Arruda et caterva no DF e seguiu o PSDB no joguinho do "faz de conta que é democracia". Não se espante se o PSDB "desautorizar" a manifestação do candidato a vice-presidente, ou até mesmo, censurá-lo.

domingo, 18 de julho de 2010

Brasiguaios

por Odoaldo Vasconcelos Passos
É triste a situação de mais de seiscentas famílias de brasiguaios que foram expulsos pelos campesinos (sem-terras) do Paraguai e estão vivendo à margem da BR 163, no Estado do Mato Grosso do Sul.
Eles viveram uma situação de verdadeiro terror lá no Paraguai, onde eram roubados, maltratados e explorados. Sem agüentar o terror, eles fugiram das suas terras exploradas há anos e saíram sem nada. Teve gente que viveu lá quarenta e um anos e saiu com uma mão na frente e outra atrás.
O município no Mato Grosso do Sul, não tem suporte para atender à demanda dessas famílias e a sua Prefeita clama por providências do governo federal para atender a tantos necessitados. Pessoas que lá nasceram, estão sem nada, até sem documentos, analfabetas. Isto acontece em uma região lá no Paraguai, conhecida pelos conflitos absurdos, por Bagdá.
Os campesinos paraguaios tomam as terras dos brasiguaios e tudo que eles possuem, deixando-os em completa miséria. A solução, para não morrerem, é fugir para o Brasil.
Agora é hora de perguntar: e a diplomacia brasileira, essa que tanto defende os interesses de outros países, que perdoa dívidas e doa milhões de dólares, o que está fazendo para socorrer essas famílias e as que ainda estão lá, sofrendo perseguições e perdendo tudo que possuem? E os oito bilhões de dólares que o governo de Luiz Inácio doou para o Paraguai do bispo reprodutor? Não poderiam ser utilizados para resolver os problemas daqui? Já que o presidente Luiz Inácio está disposto a aumentar a taxa de utilização para o Paraguai, da energia de Itaipu, de 120 milhões de dólares, para 360 milhões/ano, por que não utiliza esses recursos para solucionar problemas tão graves com os nossos patrícios?
Brasileiros, vocês estão vendo, está na hora de mudar. Precisamos eleger um governo que se preocupe com os nossos problemas internos e não com os dos outros.
Fonte: Coluna do Claudio Humberto - 18 Jul 2010
COMENTO: é muita patifaria essa benevolência para com os "cumpanhêrus bolivarianos" - perdão da invasão de nossas refinarias na Bolívia, doações para Cuba e ditaduras africanas, empréstimos para Venezuela, "renegociação" do que não pode ser renegociado com o Paraguai - enquanto que para os desastres ocorridos em Santa Catarina, Rio de Janeiro, Pernambuco e Alagoas sobraram promessas mas, ajuda concreta só mesmo das doações da população brasileira. Por outro lado, a atuação diplomática brasileira, que já foi modelo de competência internacional, está no fundo do poço, acumulando fiascos e frustrações ao longo dos últimos anos em que age sob a batuta do chanceler de fato, o ministro "Top Top Tartárico", secundado pelo "Megalonanico" que se acha tão popular a ponto de "recusar a uma candidatura eleitoral" (é muita pretensão!). E ainda há quem dê crédito ao patife - o "cabo eleitoral" melhor pago do país - e sua "laranja".

A outra face de Dilma

Artigo do Alerta Total
Por Rodrigo Constantino
“Ninguém pode usar uma máscara por muito tempo: o fingimento retorna rápido à sua própria natureza” (Sêneca)
De olho nos eleitores mais moderados, a candidata Dilma Rousseff tem alterado seu discurso, vestindo uma embalagem mais atraente. Não foi apenas o cabelo que passou por uma transformação radical. Agora, Dilma já fala em reduzir a dívida pública para 30% do PIB, em imposto zero para investimentos, em combater as invasões ilegais do MST e na defesa da liberdade de imprensa. Entretanto, este discurso soa estranho na boca da petista. A nova personagem não combina nada com a figura histórica.
Para começo de conversa, o governo Lula teve oito anos para fazer as reformas estruturais, reduzir os impostos, atacar as invasões do MST etc. Não só deixou de fazer isso tudo, como muitas vezes agiu à contramão do desejado. A carga tributária aumentou, ocorreu uma escalada de invasões do MST, que recebe cada vez mais verbas públicas, e a liberdade de imprensa se viu inúmeras vezes ameaçada: Ancinav, Conselho Nacional de Jornalismo, tentativa de expulsão do jornalista estrangeiro que falou dos hábitos etílicos do presidente, PNDH-3 e Confecom. Foram diversas tentativas de controle dos meios de comunicação. A participação de Dilma em alguns destes projetos foi direta.
O Programa Nacional de Direitos Humanos, com viés bastante autoritário, saiu de seu gabinete. Além disso, Dilma sempre deixou claro que acredita num Estado centralizador como locomotiva da economia. Foi durante a gestão de Luciano Coutinho que o BNDES se transformou numa espécie de “bolsa empresa”, torrando bilhões dos pagadores de impostos em subsídios para grandes empresas. O Tesouro teve que emitir dezenas de bilhões em dívida para bancar os empréstimos do BNDES. Coutinho é cotado como possível ministro no governo Dilma. Como acreditar no discurso de redução da dívida pública? As palavras recentes dizem uma coisa, os atos concretos dizem outra, bem diferente.
O passado de Dilma também levanta suspeita sobre esta nova imagem “paz e amor”. Dilma foi guerrilheira e lutou para implantar no país um regime comunista. Com este “nobre” fim em mente, ela se alinhou aos piores grupos revolucionários, aderindo à máxima de que os fins justificam quaisquer meios. Colina e VAR-Palmares foram organizações que praticaram os piores tipos de atrocidades, incluindo assaltos, ataques terroristas e sequestro.
Claro, devemos levar o contexto da época em conta: Guerra Fria, muitos jovens idealistas iludidos com a utopia socialista, e dispostos a tudo pela causa. Mas o tempo passou, e vários colegas colocaram as mãos na consciência e fizeram um doloroso mea-culpa, reconhecendo os erros do passado. Dilma, entretanto, declarou com todas as letras numa entrevista à revista “Veja”: Jamais mudei de lado.
Sabendo-se que este lado nunca foi o da democracia, e sim o lado que aponta para Cuba, resta perguntar: qual Dilma pretende governar o país? Em um típico ato falho freudiano, a campanha de Dilma apresentou ao TSE o programa de governo do PT, ignorando a aliança com o PMDB. Neste programa, que contava com a rubrica de Dilma, estavam presentes os ideais golpistas da ala radical do partido, como o controle da imprensa, os impostos sobre “fortunas” e a relativização do direito de propriedade no campo, beneficiando os criminosos do MST.
Chávez, em 1998, declarou que não tinha nenhuma intenção de nacionalizar empresas, de controlar a imprensa ou de destruir a democracia e permanecer no poder. Ao contrário, ele se mostrou bastante receptivo ao capital estrangeiro. Na época, ele estava prospectando clientes. Depois, era tarde demais. Ele já tinha o domínio da situação, e estava pronto para sacrificar suas vitimas ingênuas. “Quem espera que o diabo ande pelo mundo com chifres será sempre sua presa”, alertou o filósofo Schopenhauer.
Em uma de suas fábulas, Esopo faz um alerta aos que acreditam nas mudanças da essência dos seres humanos. Um lavrador, durante um inverno rigoroso, encontrou uma serpente congelada. Apiedou-se dela e a pôs em seu colo. Aquecida, ela voltou à vida normal, picou seu benfeitor ferindo-o de morte. E ele, morrendo, disse: “É justo que eu sofra, pois me apiedei de uma malvada.
A História está repleta de casos em que a crença nas lindas promessas de políticos autoritários se mostrou fatal. Dilma apresenta ao público sua nova face, com um discurso bem mais moderado. Mas é a outra face que não sai de minha cabeça, aquela que acompanhou a candidata por toda sua vida.
Rodrigo Constantino é Economista.
Publicado em O Globo de 13 de julho de 2010.