quinta-feira, 29 de abril de 2010

Sobre o que mais mente Dilma Rousseff?

As mentiras de Dilma Rousseff (para verificar a fonte da informação, aperte a tecla Ctrl e clique com o mouse no texto sublinhado em azul).

Dilma disse que era mestre pela Unicamp no site da Casa Civil e na Plataforma Lattes: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma Rouseff não obteve o título de mestre, confirmou a Unicamp.

Dilma disse que era doutoranda pela Unicamp no site da Casa Civil e no Sistema Lattes: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma não é doutoranda, pois teve sua matrícula cancelada em 2000, por falta de inscrição, e acabou jubilada pela Unicamp.

Dilma disse na Plataforma Lattes que obteve o mestrado da Unicamp com uma dissertação sobre “Modelo Energético do Estado do Rio Grande do Sul”: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma não apresentou dissertação nem obteve mestrado na Unicamp.

Dilma disse que não concluiu o mestrado porque assumiu a Secretaria da Fazenda da Prefeitura de Porto Alegre: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma só assumiu o cargo de secretária da Fazenda em 1986, três anos depois de ter deixado o curso de mestrado, segundo informou oficialmente a Casa Civil.

Dilma disse que não sabia das informações mentirosas em seu currículo: MENTIRA!
A VERDADE:
Pelo menos em duas ocasiões, quando foi entrevistada pelo programa Roda-Viva, da TV Cultura, Dilma ouviu impassiva as mesmas mentiras sobre seu currículo acadêmico publicadas pelo site da Casa Civil e pela Plataforma Lattes.

Dilma disse que foi presa por crime de opinião: MENTIRA!
A VERDADE:
Como lembra o jornalista Elio Gaspari, “presos e condenados por crime de opinião foram o historiador Caio Prado Júnior e o deputado Chico Pinto, Dilma Rousseff militou em duas organizações que, programaticamente, defendiam a luta armada para instalar um Governo Popular Revolucionário (Colina, abril de 1968) ou um Governo Revolucionário dos Trabalhadores, expressão da Ditadura do Proletariado (VAR-Palmares, setembro de 1969).

Dilma disse que não participou da luta armada, que não foi terrorista: MENTIRA!
A VERDADE:
O também ex-guerrilheiro Darcy Rodrigues testemunha que uma das funções de Dilma era indicar o tipo de armamento que deveria ser usado nas ações e informar onde poderia ser roubado. “Só em 1969 ela organizou três ações de roubo de armas em unidades do Exército, no Rio”.
A própria Dilma que contou, em entrevista: “Eu e a Celeste [Maria Celeste Martins, hoje sua assessora] entramos com um balde; eu me lembro bem do balde porque tinha munição. As armas, nós enrolamos em um cobertor. Levamos tudo para a pensão e colocamos embaixo da cama. Era tanta coisa que a cama ficava alta. Era uma dificuldade para nós duas dormirmos ali. Muito desconfortável. Os fuzis automáticos leves, que tinham sobrado para nós, estavam todos lá. Tinha metralhadora, tinha bomba plástica. Contando isso hoje, parece que nem foi comigo”.


Dilma disse que não tinha feito um dossiê sobre gastos pessoais da dra. Ruth Cardoso e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma informou, em um jantar com trinta empresários, que o governo estava colecionando contas de FHC consideradas incriminatórias. O jantar ocorreu um mês antes da ministra tentar justificar como “banco de dados” o dossiê produzido pela Casa Civil.
Fonte: Gente que Mente
COMENTO: e ainda há as estórias da reunião que não houve com a Secretária da Receita Federal, com o devido sumiço das gravações de segurança do Palácio do Planalto, posteriormente comprovada pelo aparecimento da agenda de Lina Vieira (devidamente defenestrada do cargo, como determina o método stalinista de governar); e os "equívocos" como a crítica aos que "fugiram" durante o governo contra-revolucionário militar (deveriam ter "assumido" a luta armada?); e as fotos no blog da candidata que andou fazendo comícios em todo o país por que não era candidata. E as mentiras que ainda não foram descobertas? Quantas serão?

Nenhum comentário: