sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Vereador do PSOL Foge com o Rabo no Meio das Pernas.

No início do ano passado, o vereador Pedro Ruas e a deputada Luciana Genro, ambos do PSOL, surpreenderam e alarmaram a sociedade gaúcha com denúncias gravíssimas contra Yeda Crusius, secretários estaduais, dirigentes partidários, empresários e familiares de Yeda Crusius.
Quem não se lembra de uma frase emblemática de Ruas e Luciana, ao falar sobre as provas: “Vimos gravações em vídeo, com a clareza de um filme de altíssima definição”.
O vereador Pedro Ruas foi particularmente agressivo com o professor Carlos Crusius, a quem chamou repetidas vezes de corrupto.
Ruas e Luciana prometeram mostrar as provas. Nunca mostraram nada.
Yeda e Carlos Crusius sequer respondem a processos.
Acontece que o professor Carlos Crusius resolveu bater às portas do 3º Juizado Especial Criminal para buscar duas respostas:
  • 1) As provas que Pedro Ruas disse existirem.
  • 2) Caso o vereador do PSOL não fizesse isto, Crusius queria metê-lo na cadeia e numa camisa de força.
Alguém pode supor que o Sr. Pedro Ruas se defendeu, apresentando as provas que disse ter, e reagindo ao ataque ?
Nem de longe. Ele apenas invocou uma suposta inviolabilidade parlamentar, que o isentaria de prestar contas por qualquer calúnia, injúria e difamação que cometesse. O juiz aceitou a defesa. Neste momento, o advogado Cesar Bitencourt, com quem o editor conversou nesta quinta, resolveu apelar. “A imunidade parlamentar não existe para o vereador, porque ela é apenas relativa e restringe-se aos temas municipais”, avisou o dr. Bitencourt.
- O mais curioso em todo o imbróglio é a covardia política dos caluniadores que não assumem as patifarias que praticam, escondendo-se atrás do manto da imunidade parlamentar.

Nenhum comentário: