quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Petralha Querendo Fazer Média com Militares

.
Em maio de 2009 o deputado federal Paulo Pimenta, do PT/RS apresentou um Projeto de Lei onde propunha a promoção automática à graduação de 3º Sargento, após quinze anos de serviço, de Cabos e Taifeiros do Exército estabilizados.
O projeto garantia, ainda, que o militar nessa situação fosse inserido na QMS de origem, garantindo promoções sucessivas por antiguidade, com interstícios de 5 (cinco) anos até que o militar fosse transferido para a reserva remunerada. Isso contraria totalmente a legislação atual de promoções de Sargentos do EB, que prevê interstícios mínimos de sete anos e meio como 3º Sgt, sete anos e meio como 2º Sgt, e cinco anos e meio como 1º Sgt para a promoção às graduações imediatas. Isso significa, no mínimo, 21 anos de serviço "após a conclusão do CFS", se o militar tiver méritos para ser promovido nas primeiras "chamadas" de sua turma. O que sabemos, não ocorre nem mesmo com os melhores colocados nas turmas, que normalmente são "preteridos" pelos "atrasados" de turmas anteriores.
Obviamente, é mais um caso de petista incentivando a vadiagem (é só o que sabem fazer) na busca de votos dos Cb/Sd/Taifeiros do EB. Essa "cabeça-de-ponte" dentro da Instituição poderia muito bem ser denominada de bolsa-promoção, garantindo a simpatia de muitos militares que ficariam "devendo favor ao partido".
Promovido a 3º Sgt com quinze anos de serviço e a 2º Sgt com vinte, qual o incentivo para estudar e fazer concurso para freqüentar um Curso de Formação de Sargentos? Afinal, hoje em dia, os militares de carreira são promovidos a 1º Sargento, em média, dezessete ou dezoito anos após o ingresso em uma Escola de Formação. Se já for militar há dois ou três anos, o "sargento de carreira" seria promovido a 1º Sgt ao mesmo tempo que um Sgt QE de sua turma de recruta (que tenha incorporado ao EB no mesmo ano) ou até um ano depois.
Seria muito mais honesto um projeto para que Cb/Sd/Sgt Temp aprovados no concurso tivessem prioridade no preenchimento das vagas nos CFS, concorrendo de forma diferenciada dos civis que se preparam em "cursinhos" na busca de um "emprego público" e que nem sempre possuem pendores para a carreira militar. Assim, após passarem por um Curso de Formação, esses militares seriam efetivamente "Sargentos", sem ficar devendo favor a ninguém.
Todavia, todo projeto político petista é o de incentivar a vadiagem, a busca do jeitinho, enfim, a facilitação que promove a dependência, nunca a valorização do esforço individual. Afinal, na cabeça desses vadios, valorizar o mérito individual é coisa de burgueses capitalistas. O negócio é fazer com que as pessoas "ganhem alguma vantagem" e fiquem devendo favor moral a esses patifes. Se o candidato a uma "boquinha" for mal instruído, mais facilmente manipulável, melhor ainda!!
A propósito, o projeto foi recusado por ser inconstitucional em 21 Out 09, mas o desonesto "paralamentar" não teve pejo em colocar um vídeo no YouTube, em 20 Nov 09, fazendo um discurso "solicitando a aprovação do projeto" já rejeitado. É o "jeito PT de ser"! Mentiras e embustes para enganar os incautos e ignorantes. E ainda há quem acredite nesses patifes. Povinho de merda!
.

Um comentário:

Partido Alfa disse...

Já assisti pessoalmente esse congressista citar, em uma palestra, versículos da Biblia Sagrada, onde falou em Tiago, 11,5. Detalhe: não existe Tiago 11. Tiago vai até o capitulo 5, e só. Ou seja, coisa de f.d.p. se servir da palavra de Deus para se fazer de crente. Coisa de f.d.p. mesmo. E esse congressista é agente da PF licenciado, ainda por cima. Deus nos livre.