quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Poderes da República Subjugados

.
por Geraldo Almendra
Começo este artigo lembrando uma notícia transmitida pelo Jornal Nacional no dia 17 de novembro pelo casal William e Fátima.
O fato era que o Brasil tinha melhorando no ranking da corrupção depois de um estudo feito por uma entidade internacional.
Foi dito que o país melhorou alguns pontos, mas não foi ressaltado que o país está entre os países mais corruptos do mundo e com absurdos escândalos se sucedendo quase que diariamente. Este é o jornalismo que consegue a façanha de informar desinformando, e que se mantém vivo graças ao círculo vicioso das relações de dominação compradas com verbas de propaganda do poder público, financiamentos do BNDES e o relativismo ético que sempre caracterizou a Rede Globo de Televisão e outras emissoras de televisão.
Como esse estudo mede apenas a opinião da classe empresarial sobre suas relações com o poder público muita coisa está faltando. Se for acrescentado o que acontece dentro do poder público chegamos facilmente à conclusão que o Brasil é o país mais corrupto do mundo.
Temos então que indagar: - O que realmente foi construído como padrão de relacionamento social público e privado depois do Regime Militar e durante a fraude da abertura democrática?
A resposta a essa questão é absolutamente inquestionável: o Brasil se consolidou como uma corruptocracia no desgoverno petista em que quase todos, que ainda não são cúmplices diretos ou indiretos do aborto de nossos sonhos de democracia e justiça social, têm um preço: do seu telhado de cristal, do suborno financeiro, da oferta de sinecuras ou mordomias, do assistencialismo formador de escravos do Estado, e dos empregos estáveis oferecidos por um poder público bandoleiro que está pagando os maiores salários do mundo em termos de poder público para seus cúmplices em todos os níveis de sua gestão executiva.
Os Poderes da República agora somente existem no papel, pois com a degradação moral do pior, mais degenerado e mais corrupto Poder Legislativo que o país já teve, e a posição do STF em relação ao assassino comunista - que está sendo protegido no país com o total apoio do ministro da justiça - delegando para o presidente uma decisão que deveria ser sua, o poder Executivo já governa o país com poderes quase que absolutos, um verdadeiro estado de anarquia jurídica relativista, admitida por uma sociedade que silenciosamente e covardemente entrega seus filhos e suas famílias nas mãos do petismo.
O ministro da justiça, assumido comunista, está fazendo do poder judiciário um hediondo instrumento de deformação moral e ética da sociedade.
Como muito bem colocado por um jornalista na essência de artigo, anistias e reparações, promovidas pelo ministro da justiça e por um dos advogados mais ricos do país, constituem um verdadeiro coquetel de imoralidades e ilegalidades agora culminando com o caso Lamarca, demonstrando que a guerrilha virou caderneta de poupança e o terrorismo um dos mais rentáveis investimentos já feitos no país.
Cabe ressaltar o despacho de uma juíza - que ainda dignifica seu título - sobre o caso Lamarca: "altamente questionável a opção política de alocação de receitas para pagamento de valores incompatíveis com a realidade nacional, em uma sociedade carente de saúde pública em padrões dignos, deficiente na educação publica, bem como nos investimentos para saneamento básico, moradia popular e segurança".
Nossa sociedade, já quase moralmente devastada nas suas relações públicas-privadas assiste a tudo absolutamente impávida, não se deixando abalar pela perspectiva cada vez mais próxima de terem seus filhos e suas famílias governados por um covil de bandidos formados pela universidade aberta da canalhice do petismo.
O país não tem mais um Poder Judiciário. O que temos é um grupo de especialistas da ciência do direito, em todas as instâncias, que voltaram suas costas para a parcela da sociedade que não se apresenta explicitamente como cúmplice da corrupção e da prevaricação que tomou conta do poder público.
O Poder Judiciário é, descaradamente, por debaixo dos panos, cúmplice do Retirante Pinóquio, agora um ditador disfarçado de presidente republicano que tem o mais degenerado e imoral poder público de nossa história em suas mãos, para fazer o que quiser e bem entender.
Os casos de censura à liberdade de expressão, formalizadas por juízes vendidos ao fascismo de uma esquerda degenerada, corrupta e prevaricadora por princípio, demonstram o que nos espera após 2010 com a quase certa permanência do petismo no comando do país nas mãos de uma terrorista publicamente denunciada dentro do Parlamento por inúmeros crimes.
Ao avaliarmos de maneira imparcial o comportamento da parcela da sociedade que tem a educação suficiente para distinguir o bem do mal, o legal do ilegal, o moral do imoral, o ético do aético, e o honesto do desonesto, podemos concluir: o Brasil, durante a fraude da abertura democrática, construiu uma pirâmide social onde o topo se apodreceu e se corrompeu, o meio foi subornado ou se acovardou e a base se transformou em modernos escravos do assistencialismo que compra votos ao troco de uma sobrevivência com poucas expectativas de uma vida digna com justiça social e de crescimento pessoal e profissional.
A meta dos canalhas fantasiados de democratas foi, e continua sendo, a manutenção das oligarquias políticas prostituídas controlando o país, se revezando na arte de roubar o contribuinte entra desgoverno, sai desgoverno: agora é a vez de o petismo impor, no mínimo, três décadas ou mais de uma revolução fundamentada nos seus propósitos de transformar o Brasil em um Cuba Continental, mas enriquecida com um socialismo de mercado apodrecido e corrupto em que os meios de produção mais estratégicos e que permitem o controle econômico do país estarão estatizados ou coagidos a obedeceram as ordens do Poder Executivo.
Durante a fraude da abertura democrática as relações públicas e privadas se tornaram imorais comprometendo de forma quase irreversível a condição de autoavaliação ética dos esclarecidos em relação aos seus próprios atos.
A sociedade dos esclarecidos, que tem o poder de formar opiniões e evitar que o país seja conduzido por cidadãos irresponsáveis, inconsequentes e corruptos, não tem mais nenhuma preocupação em refletir de forma crítica sobre o ato moral. Com essa postura, os apátridas vendidos continuam validando o relativismo dos fins que justificam os meios, sendo esses fins associado a uma rigorosa prática do ilícito como forma de lutar pelo enriquecimento ou pela sobrevivência profissional.
O país durante a fraude da abertura democrática passou a ser o resultado direto dos interesses adquiridos da sociedade dos esclarecidos patifes que participam das atividades sociais e econômicas públicas e privadas. As canalhices do saber presumido-corrupto-prevaricador virou um valor inerente à condição de ser parte da elite cultural e acadêmica do país como aliados do petismo.
Para chegarmos a esse quadro de degeneração das relações públicas e privadas, os seguintes fatos agravaram muito nossa capacidade de reação ao processo de destruição de nossos sonhos de vivermos em uma sociedade mais digna e mais justa:
- o absurdo apodrecimento do Poder Judiciário, o suborno da mídia marrom e da academia, o suborno do meio estudantil;
- a transformação das instituições públicas de ensino em agentes do petismo;
- a transformação do poder público em um covil de bandidos,
- e a humilhação das Forças Armadas seguida da destruição de sua capacidade operacional e moral, fato esse seguido de um acovardamento ou cumplicidade de muitos oficiais com a geração de políticos que se revezaram no poder durante a fraude da abertura democrática.
Com este quadro de tragédia social se tornou muito mais fácil, para os antigos inimigos do comunismo e defensores da democracia se aliar aos canalhas das ideologias da esquerda fascista que já domina a sociedade, mais vantajoso do que continuar defendendo o país das garras dos canalhas da corrupção e da prevaricação com seus atuais líderes e corruptores gestados no poço fétido do comuno sindicalismo onde foram depositados os ovos da serpente.
O que é o Brasil às vésperas do Retirante Pinóquio conseguir formalizar o seu projeto de poder perpétuo?
- juventude corrompida agredindo os valores familiares e fazendo das salas de aula palcos de sistemáticos desrespeitos aos professores;
- veículos de comunicação de massa subornados e controlados;
- sociedade dividida em grupos antagônicos lutando pela destruição da unidade social;
- confiança da sociedade transformada em moeda de troca pelo suborno, pela coação de uma justiça corrupta, e pelo assistencialismo comprador de votos;
- absoluta falta de escrúpulos no trato com princípios democráticos e do Estado de Direito;
- incontrolável esbanjamento do dinheiro público;
- distúrbios sociais, invasão e destruição de propriedades privadas, provocados pelo exército dos sem-terra sistematicamente impunes;
- derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença na palavra dos políticos;
- gradual desarmamento da sociedade para impedir qualquer reação contra os milhares de filhotes dos ovos da serpente do petismo e,
- transformação das forças policiais e das Forças Armadas em instrumento de dominação da sociedade pela revolução socialista entrando em cena de formas disfarçadas a gestapo petista.
Traduzindo: estamos sendo descaradamente destruídos pelos mandamentos do decálogo de Lênin.
Fonte:  Blog DRWeidman

Nenhum comentário: