sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Morte em Campo Para “Viciados em Internet” Reaviva Suspeitas Sobre Repressão Socialista


.
O jovem chinês Deng Senshan, 15, morreu estranhamente num “centro de reabilitação para vício em internet” na Província de Guangxi, informou a agência de notícias oficial Xinhua. Deng foi espancado até morrer menos de um dia depois de os seus pais o enviarem ao campo, segundo a versão governista.
Porém, o caso suscita interrogações. O governo chinês está engajado numa luta de supervivência para censurar a Internet. E continuamente passa sinais intimidantes para os usuários.
Segundo a versão oficial da Xinhua, diversas marcas foram encontradas no corpo do jovem e quatro agentes do Campo de Treinamento de Salvação de Qihang foram presos.
Para lavar um pouco o rosto, o ministro da Saúde proibiu o uso de “terapia de eletrochoque” em supostos drogados em internet. Magro consolo para os dissidentes...
A primeira clínica marxista para tratar o “vício em internet”, na realidade é parte de um hospital militar de Pequim. Seu diretor, Tao Ran, não teve vergonha ao dizer que mortes como essa não são excepcionais, pois raros campos usam métodos científicos, mas sim disciplina crua. No que é que isto se diferencia de tortura? Tao Ran não explicou.
Tao deplorou que muitos usuários da internet não exercem autocontrole. Obviamente, se o exercessem deveriam estar cantando louvores a Mao Tsé Tung e não se interessando por matérias que o regime desaprova como liberdade, direitos e religião.

Nenhum comentário: