quarta-feira, 15 de julho de 2009

A Mimada

por José Previdi
Fazer política é complicado. Mas, ao mesmo tempo, tem a sua lógica. Por ser complicado não se aprende apenas numa faculdade. E por ter certa lógica os chamados cientistas políticos falam muitas obviedades.
Por isso que inúmeras carreiras políticas não passam de um sonho ou despencam no primeiro mandato. Ou não. Tem pessoas que conseguem enganar na política por um bom tempo. Porque são excelentes ilusionistas.
Vejam o caso desse deputado federal gaúcho que deixou o país indignado com umas bobagens que andou falando. Acontece que ele é adorado em sua cidade. Acreditem. Periga se eleger outras vezes, até que leve um tombo. Sempre é assim.
É o caso da Professorinha.
Não que ela faça coisas erradas, que seja uma malversadora. Nada disso. O seu erro, que insiste, é ter um comportamento de mocinha mimada. No seu entorno devem ter muitos mimadores. Muitos.
Lembro que ela brigou publicamente com o pai por questões político-partidárias – tanto que deixou a sigla em que papai milita. E foi fundar um partido, só pra ela e seus mimadores. A partir daí não parou mais de brigar. Tipo aquele gordinho que é dono da bola e quando é contrariado vai pra casa. Com a bola embaixo do braço.
Mais recentemente fez graves acusações contra um poderoso empresário, entre outros. Está sendo processada. E deve adorar isso, porque disse que o lugar certo pra nossa gestora-mor é a cadeia. Já imaginou? Dá a impressão de que o Brasil deveria se transformar numa grande cadeia. Numa ilha, de Angra dos Reis, por exemplo, ela se aboletava com alguns parentes, amigos e seguidores. Como uma versão do século 21 do Jim Jones. Aí seria mimada para o resto de sua vida.
Hoje, nos jornais, leio que a Professorinha quebrou os pratos com o seu líder na Câmara Federal. Chamou-o de machista e desequilibrado.
A resposta do cara: “a postura dela pode ser derivada da imaturidade no trato com as divergências”. No popular? Mimada!!
Cá entre nós: A Professorinha não tem mais idade pra ser uma adolescente rebelde ou dirigente de centro acadêmico. Mimada.

Nenhum comentário: