domingo, 12 de abril de 2009

O MST e Seus Aliados Intimidam o Ministério Público do RS

.
Só numa terra dominada pela bandidagem política podem ficar sem respostas das autoridades e dos representantes da sociedade civil, frente ao conjunto das denúncias de um procurador do Ministério Público, no caso o procurador Gilberto Thums, que não resistiu às pressões do MST e seus aliados, renunciou à fiscalização de ações pedagógicas dos liderados do sr. Stédile e denunciou publicamente o seguinte, nesta quinta-feira, em Porto Alegre: 
1) um claro atentado político contra a sua vida, em Porto Alegre.
2) grampeamento dos seus telefonemas e intimidações pelo telefone (os grampeadores emitem as gravações ilegais quando o próprio Thums atende novamente).

3) implacável patrulhamento internacional (via Web, palestras e mídia padrão) por parte do MST e seus aliados nacionais e estrangeiros.
A gota d’água foi a cilada a que foi levado o procurador Gilberto Thums nesta terça-feira, na Comissão de Educação da Assembléia do RS, quando foi “linchado” por uma multidão aparelhada pelos aliados do MST. O próprio Thums disse depois que concordou com a multidão porque seria linchado de verdade se não fizesse isto naquele momento.
O pior de tudo é a falta de apoio ao procurador do MPE, que com colegas igualmente destemidos, mandou o governo estadual fechar as escolas do MST e obrigar os pais dos sem-terra a matricular seus filhos na rede estadual de ensino.
Quais as razões do MPE:
1) ninguém controla as escolas do MST.
2) nas escolas todo o conteúdo pedagógico tem inspiração ideológica comunista, o que fere frontalmente o que está disposto na Constituição do Brasil. O governo estadual tenta cumprir o Termo de Ajustamento de Conduta assinado com o MPE, mas a reação às ordens da autoridade pública é selvagem.
Ao abrir mão da legalidade e da autoridade diante dos arreganhos dos grupos de bandoleiros políticos, os governos constituídos e a sociedade transformam-se em fantoches e presas fáceis dos aventureiros que buscam impor sua própria ordem.
O povo que cala, consente. As tragédias que levaram ao nazi-fascismo e ao comunismo, como ao holocausto, começaram desta forma.
COMPREENDA MAIS - O Conselho Nacional do MP iniciou julgamento de representação do Ouvidor Agrário Nacional contra o MP do RS. CLIQUE AQUI para ouvir o áudio da sessão.
EM CARTAZ, o filme Katyn, de Andrzej Wajda, conta o massacre terrível de 20 mil oficiais poloneses durante a II Guerra Mundial. A obra foi dos comunistas soviéticos, apenas um dos heróis cultuados nas aulas e desfiles das escolas do MST no RS. CLIQUE AQUI para ver o trailer do filme.
COMENTO: a falta de atitude da maioria silenciosa da sociedade dá margem a que uma minoria ativa ganhe espaços políticos, aumentando a sensação de insegurança, conivência e de impunidade. Assim, a canalha vermelha vai impondo seus pontos de vista como "vontade do povo". Até quando?
.

Nenhum comentário: