terça-feira, 14 de outubro de 2008

Silencio Sepulcral

Ao Excelentíssimo
Sr General de Exército Enzo Martins Peri.
DD Comandante do Exército Brasileiro.
Ilustre Senhor General,
De pronto, permita que me apresente: sou Militar Reformado do Exército; como V Excia, freqüentei os Cursos - com aprovação - da AMAN, EsAO e ECEME, entre outros; apesar de estar Reformado não abandonei o acompanhamento/análise da Situação Nacional em geral e, em especial, dos Assuntos de interesse do EB.
Não atingi o Generalato; mesmo porque, bem antes de minha Turma/AMAN estar em condições de ingressar no Quadro de Acesso, requeri Transferência para Reserva; longe de mim, a insinuação que se esperasse, seria promovido.
Só desejo caracterizar que não tenho o mínimo ressentimento de não ter sido promovido a General; repito: bem antes dos Oficiais aptos da Turma/AMAN ingressarem em Lista de Promoção, fui, por ter requerido, transferido para a Reserva.
Isto posto, permita V Excia que me dedique ao Assunto que me conduziu a esta Correspondência.
Trata-se do que está ocorrendo com o Silêncio Sepulcral dos Chefes Militares frente às incontáveis manifestações de desapreço/ofensas/críticas e tentativas de desmoralização das FFAA em geral e, ao EB, em especial.
Não há razões para ditas agressões e, em especial, por terem origem em pessoas de escassas qualidades e, modo geral, raríssimas virtudes e incontáveis defeitos.
Para não parecer que exagero, me permitirei citar, entre os detratores e agressores, pessoas como o Sr José Dirceu, Sr Tarso Genro, Sra Dilma Rousseff, Sr Nilmário Miranda, Sr Vannuchi e tantos outros que só são considerados/admirados/aceitos por paspalhões.
Observe, para exemplificar :
- a Sra Dilma afirmou que "... por cerca de três anos foi torturada fisicamente..."; "... ingressou na luta armada para combater a ditadura Militar e lutar pela democracia...";
- o Sr José Dirceu, em discurso, em Palácio e em Cerimônia Oficial, asseverou ser "... companheiro de lutas, de armas nas mãos ...";
- o Sr Tarso, recentemente, em Reunião de exaltação aos guerrilheiros, terroristas, baderneiros e assemelhados, disse: "... a condenação do Cel Ustra  servirá ...";
- juntos, em festa da UNE - coisa bem recente - os Srs. Tarso e Dirceu declararam serem "...heróis..." os canalhas que, de 1964 a 1985 tentaram, até mesmo com armas nas mãos, impor um regime comunista no País;
- são ou não uns falsos e mentirosos ?
- para concluir, sobre eles: todos alegam, como virtude, a luta pela democracia quando - até as pedras da Praça dos Três Poderes sabem - só tentavam impor o comunismo e alguns nem isso; aproveitavam a ideologia para roubar Bancos/Cofres/Trens.
Só para não parecer que estou a exagerar, permita que reproduza um trecho do Manifesto escrito/distribuído pelos seqüestradores do Embaixador dos EEUU e que tem a autoria atribuída ao Sr Franklin - hoje, exercendo uma das mais Altas Funções no Executivo pois é o Ministro da Propaganda (sic) a exemplo de Goebbels.

"Grupos revolucionários detiveram hoje o Sr. Charles Burke Elbrick, embaixador dos Estados Unidos, levando-o para algum lugar do país, onde o mantêm preso. Este ato não é um episódio isolado. Ele se soma aos inúmeros atos revolucionários já levados a cabo: assaltos a bancos, nos quais se arrecadam fundos para a revolução, tomando de volta o que os banqueiros tomam do povo e de seus empregados; ocupação de quartéis e delegacias, onde se conseguem armas e munições para a luta pela derrubada da ditadura; invasões de presídios, quando se libertam revolucionários, para devolvê-los à luta do povo; explosões de prédios que simbolizam a opressão; e o justiçamento de carrascos e torturadores".
Não há como negar o que está escrito e nunca foi repudiado.
Seria enfadonho e absolutamente desnecessário que sejam reproduzidas tantas agressões/impropérios/inverdades/meias verdades e coisa e tal ditas pelos senhores/senhoras que exercem Cargos/Funções de Alta Responsabilidade. E, observe, Excelência, muitos dos que lá estão, é mercê da Lei de Anistia que, por óbvio, todos os verdadeiros brasileiros aplaudem/festejam e estão de acordo por ser ela (a Lei) fruto de acertada decisão do então Governo do Sr Presidente, Gen Figueiredo - ainda que bem mais Ampla, Geral e Irrestrita do que desejavam, os Políticos - em verdade, eles (os Lideres Políticos da época) temiam que "exilados" do tipo do Sr Brizola e Sr Arraes disputassem os Palanques após o retorno.
Exmo Sr General, retornando ao Assunto "Silêncio Ensurdecedor" que se propaga/ecoa a partir dos QG e dos Comandos das FFAA desejo reafirmar o que penso:
- sei, por ser Militar há mais de 57 anos, que a Disciplina e a Hierarquia são bases da Vida Castrense; sem ambas, nada poderá existir nos Quartéis e Acampamentos.
Isso é aceito por Militares desde sempre.
Há, no entanto, um limite que se ultrapassado não caracterizará a quebra da Disciplina e nem da Hierarquia.
Desde os Tempos Imemoráveis, é reconhecido o direito de: "não cumprir ordem absurda".
O que estamos a assistir há bastante tempo - talvez, possamos delimitar, no tempo, nos Governos do Sr Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva - é absolutamente lastimável :
- as tentativas de desmoralização e desestruturação das FFAA são gritantes e atividades constantes no dia-a-dia.
Cito, para exemplificar, as nomeações dos Ministros da Defesa.
Um, foi exonerado após ter sido acusado de ser corrupto e estar vinculado, em seu Estado Natal, a grupos de homens/mulheres da pior espécie; outro, é um comunista que foi, em passado, atuante e, ao assumir, já apresentava sinais de imbecilidade; agora, temos um homem que se jactou de ter incluído na Constituição da qual foi Membro destacado, artigos não discutidos pelos Constituintes e pelo Plenário; desde que assumiu já propiciou atos e fatos que o caracterizam como um parlapatão.
Prometeu e promete mundos e fundos e quando questionado sobre nada realizar, arranja uma desculpa tão esfarrapada que nem parece ter sido Ministro da mais Alta Corte do País - verdade que nomeado por injunções políticas e não por méritos pessoais.
Excelência, não há como negar que o Sr Lula tem o direito de nomear quem ele desejar (dentro dos limites da Legislação) para os Altos Cargos de Ministros; daí, decorre, como exemplo, as nomeações dos Srs. Nelson Jobim e Mangabeira Unger. Até o Sr Carlos Minc, Sr Lupi são Ministros. Há, no entanto, limites impostos pelo bom senso. O Sr Mangabeira, em passado não tão distante escreveu que "...o Governo do Sr Lula é o mais corrupto da história..." e "...preconizava abertamente e em Artigos publicados o impedimento do Sr Lula..."; en passant, o dizia com toda a justeza.
Eis que, pouco depois, é nomeado para exercer um Ministério que nem existia e que, quando criado para a sua ocupação foi repudiado pelo Congresso Nacional.
Já a nomeação do Sr Jobim, até a presente data, não destaca uma justificativa plausível, pois o Sr Jobim não tinha, e continua a não ter, vínculos com os Militares e nem com as Forças Armadas.

É, não paira dúvida, um estranho no ninho.
E, para a tristeza dos Militares, posa com Uniformes adulterados e com Insígnias às quais não faz jus.
Houve tempos - acredite Excelência – que essas coisas eram motivos para a classificação no mínimo, como Transgressões e/ou Crimes Militares.
Não há como esquecer na resumida listagem dos absurdos e que são respondidos com o Silêncio Amplo/Geral/Irrestrito, as declarações eivadas de verdades do Exmo Sr Gen Ex Augusto Heleno Ribeiro Pereira e as Ações contra o Cel Ref Carlos Alberto Brilhante Ustra. No primeiro caso - palavras do Exmo Gen Heleno - só faltou, os comunistas/petistas/pessoas do Executivo e do Legislativo e cooptados, pedir a cabeça de S.Excia.; já no do Cel Ustra, aparentemente, os incalculáveis sacrifícios e dores por que passam o referido Militar e seus familiares e as inverdades assacadas contra ele não comovem os Chefes Militares que calam e, ao calarem, permitem que se pense em "aceitação e/ou cumplicidade". Verdade que se trata de Ação Judicial, entretanto, nada em favor do Cel Ustra foi dito.
Podemos, Excelência, imaginar que "...depois de matar o cachorro e arrancar as flores..." os Militares serão levados ao cadafalso sem que tenham "...alguém para reclamar...".
Sem quaisquer brilho/destaque/distinção, fui dos que não aceitaram a luta armada desencadeada pela camarilha comunista/guerrilheira/terrorista/baderneira de então e, dentro dos Limites da Lei e da Ordem, busquei cumprir meus Deveres e Ordens emanadas dos Chefes. Não busquei, não busco e não buscarei quaisquer vantagens pecuniárias por isso; não me alinho à canalha que diz "ser lutadora" e é, em verdade "investidora".
Exagero? Tenho certeza que não. Releia, Excelência, a interminável Lista dos (novos) endinheirados graças às Indenizações e Pensões Especiais; lá, serão encontrados nomes que até o diabo duvida.
Por derradeiro, Excelentíssimo Senhor General Comandante do Exército Brasileiro, entenda este Velho Soldado em suas manifestações; sou dos que, ainda, conservam, apesar da avançada idade, forças para tentar lutar contra a camarilha que se apoderou do Poder e que só pensam em: de um lado, usufruir das benesses e, de outro, impor o regime espúrio/esdrúxulo/nefasto do comunismo.
Se por ventura alguém mal intencionado tentar convencer V Excia que estou sendo indisciplinado e/ou arrogante ao escrever o que está escrito, não aceite. Não aceite pois o que move este Velho Soldado é o desejo incontido de manifestar o pensamento frente a um Silêncio Sepulcral.

Respeitosamente,
Rui Garavelo Machado
Oficial Reformado
Fonte: Ternuma

Nenhum comentário: