segunda-feira, 30 de junho de 2008

Quem Não Cultiva a História de Sua Pátria, Não Tem Direito a Futuro

.
Reminiscências da Contra-revolução Democrática
A contra-revolução democrática de 31 de março de 1964, revelou verdadeiros heróis da Pátria. Heróis que a mídia comprometida e a esquerda proliferada em todos os Poderes não reconhece, pelos óbvios motivos de estarem ao mesmo tempo, confessando seus crimes e suas reais intenções de imposição do comunismo em nosso País.
Mas a história esta repleta de testemunhos, mesmo que essa esquerda, hoje festiva e corrupta “censure” com as verbas de propaganda e até valendo-se de uma TV que chama de Brasil, mas que em realidade se trata da TV LULA, inútil, cara, sem audiência, evidência concreta das suspeitas de alguns Senadores que votaram contra sua instalação.
Recentemente por ocasião de seção “solene”, (especialidade do congresso Nacional, na falta ou impossibilidade de fazer outras coisas) destinada a homenagear aos vencedores da Copa de 1958, manifestou-se um Senador que defende um “samba de uma nota só”, que é a educação, sem que tenha conhecimento real do que seja - visto que a usa apenas como “bandeira” para se reeleger. Sobre esse senador já se diz que será candidato a Presidência da República, apesar de ter passado toda sua vida defendendo o regime comunista marxista leninista. Esse lentíssimo senador deu mais uma prova de ignorância da história ao declarar da tribuna que os jogadores que participaram da Copa de 58, são “os verdadeiros heróis da Pátria, já que o Brasil nunca foi à guerra”. Não vou chamá-lo de “burro”. Além de o animal não ter nada com assunto, ele não o faz por burrice, mas por idiotice revanchista, pelo simples fato de os MILITARES terem derrotado sua camarilha na gloriosa contra-revolução de 64. Nesse sentido o obscuro ex-petista se pronunciou anteriormente em detrimento a verdade, por má fé e/ou por ignorância o Brasil deve desculpas ao Paraguai por ter o Exército Brasileiro matado trezentos mil paraguaios na guerra do Paraguai. Santa ignorância, o Exército do Paraguai era composto de dezoito mil homens (nesse sentido o “papagaio de moscou” já foi contestado e não vou perder tempo ensinando burro velho).
Obscuro senador! Os brasileiros, lutaram contra a Bolívia, destruíram com facões e armas obsoletas, três exércitos bolivianos, o último deles comandado pelo próprio Presidente da Bolívia, e nos legaram o Acre, sem ajuda sequer do governo brasileiro, e construíram a mais bela história de heroísmo. 
Esquerdopata senador! O Brasil foi a guerra contra o Eixo, e foram seus homens homenageados como heróis pelo mundo inteiro, suas glórias são indissolúveis, como a coragem demonstrada pelos pilotos do Senta Pua, pelo amor ao combate homem-a-homem de nossa Infantaria na tomada de Monte Castelo, na perseverança e coragem de nossa Marinha em comboiar nossos navios mercantes, em águas minadas, tantas vezes bombardeados.
Você senador, é que deve desculpas as Forças Armadas Brasileiras por blasfemar contra elas, e vociferando renegar o valor de quem deu a vida em troca da democracia que hoje lhe dá o direito de subir a uma tribuna, dita, do povo, para menosprezar os heróis de sua própria pátria, enquanto sua ideologia o obriga a elogiar a ditadura de Cuba, seu sonho ideal de realização.
Tenho absoluta certeza, que nenhum jogador da Copa de 58, aceitaria ser considerado herói se sobrepondo e em detrimento daqueles que deram a vida pelo País. Os saudamos e os festejamos, por ocasião de seu retorno ao Brasil, mas se tivéssemos perdido a Copa de 58, senador, sabe o que aconteceria? Nada. Mas imagine (se for possível) o que seriamos hoje, se perdêssemos a II Guerra para Hitler!
Partindo do princípio de que “pau que nasce torto, morre torto”, o melhor é reproduzir trechos documentados que a história nos legou, e que a esquerda não conseguiu calar, e nem conseguirá.
José Nascimento. R/1 EB
Cavaleiro da Ordem do Mérito Militar
Editor de Reservativa
.

Nenhum comentário: